Serie A

11ª rodada: casos de racismo ofuscam volta da dupla romana ao G4



A 11ª rodada da Serie A tinha tudo para ser uma das mais interessantes no quesito futebol, mas, outra vez episódios de racismo foram registrados nos estádios da Itália. Nesse fim de semana, foram mais duas ocorrências: Balotelli foi agredido por uma barulhenta minoria da Curva Sud do Verona, enquanto os ultras da Roma proferiram cantos xenófobos contra napolitanos. Ambas as partida foram paralisada por conta dessas manifestações e a bola só voltou a rolar quando elas cessaram. Ainda é necessário, contudo, punir aqueles que cometem esse crime.

No aspecto esportivo, tivemos grandes jogos entre Roma e Napoli, Milan e Lazio e Atalanta e Cagliari. A Juventus venceu o clássico contra o Torino e manteve a liderança, mas a Inter segue seu rastro. Confira o que aconteceu na rodada.

Assista ao Campeonato Italiano no Dazn com 1 mês grátis. Assine.

O jogão

De Ligt marcou seu primeiro gol pela Juve na vitória sobre o Torino (Getty)

Roma 2-1 Napoli

Gols e assistências: Zaniolo (Spinazzola), Veretout (pênalti); Milik (Lozano)
Tops: Zaniolo (Roma) e Meret (Napoli)
Flops: Çetin (Roma) e Callejón (Napoli)

Napoli e Roma abriram a rodada protagonizando uma partida repleta de emoções até os minutos finais, mas encerrada com uma importante vitória da Roma no Derby del Sole. O time de Paulo Fonseca, mesmo com sete desfalques, chega à oitava partida sem derrota e ultrapassa os napolitanos, se afirmando na zona de Liga dos Campeões, com a terceira colocação. Por sua vez, os partenopei vivem um momento negativo na competição: com a menor quantidade de pontos obtidos desde 2011, ocupam a sétima posição. O time de Ancelotti passa por uma grande queda de rendimento e está longe de ser a sombra da Juventus, como havia sido nas últimas temporadas.

A Roma abriu vantagem com Zaniolo e teve a chance de marcar o segundo gol, com Kolarov, mas o sérvio perdeu seu segundo pênalti com a camisa da Roma diante de Meret. Na segunda etapa, Veretout converteu o segundo pênalti para o time da casa, fazendo o 2 a 0. Os giallorossi poderiam ter liquidado a partida, mas perderam muitas oportunidades e pararam em Meret. O Napoli, que acertou a trave duas vezes e teve uma bola tirada em cima da linha, descontou com Milik e entrou na partida, pressionando pelo empate até os minutos finais. No último minuto, o jovem Çetin – que já havia falhado no gol dos napolitanos – fez falta na entrada da área e recebeu o segundo amarelo que pôs fim a sua terrível atuação no Olímpico. Milik, porém, desperdiçou a cobrança.

Apesar do jogo ter tido alto nível técnico e bastante intensidade, tivemos incidentes fora das quatro linhas. O árbitro Gianlucca Rocchi teve de interromper a partida em virtude de cânticos discriminatórios dos ultras da Roma em direção aos napolitanos. O jogo só foi retomado depois que os gritos da arquibancada pararam.

Olho no lance

Em grande momento, Lukaku assumiu a segunda posição na artilharia da Serie A (AFP/Getty)

Torino 0-1 Juventus

Gol e assistência: De Ligt (Higuaín)
Tops: Sirigu (Torino) e Higuaín (Juventus)
Flops: Verdi (Torino) e Bernardeschi (Juventus) 

A Juventus de Sarri entrou no dérbi precisando da vitória para se manter na liderança. Isso porque, minutos antes, a Inter havia vencido o Bologna e ultrapassado momentaneamente os bianconeri. Apesar da grande diferença de elenco entre as equipes e da péssima fase do Torino, a equipe de Mazzarri fez jogo duro frente à Juve, como tem sido praxe. Da mesma forma, também sucumbiu no final.

Dentro de campo, a partida foi recheada de polêmicas. A começar pelo toque com o braço de Meïté dentro da área granata. Daniele Doveri entendeu que o braço do francês estava junto ao corpo e nem precisou consultar o VAR para mandar prosseguir o jogo. Minutos mais tarde, outro toque com o braço dentro da área: dessa vez De Ligt interceptou cabeceio de Belotti e, em seguida, mandou a bola para escanteio. O árbitro interpretou que o braço estava em posição natural.

O camisa 4 da Juventus assumiria o protagonismo no segundo tempo, quando marcou o gol da vitória para os visitantes e desencantou com a camisa bianconera. A partida havia mudado desde a entrada de Higuaín, que incomodou bastante a defesa grená e, com sua assistência, ajudou a decidir o Derby della Mole.

Bologna 1-2 Inter

Gols e assistências: Soriano (Svanberg); Lukaku e Lukaku (pênalti)
Tops: Skorupski (Bologna) e Lukaku (Inter)
Flops: Orsolini (Bologna) e Brozovic (Inter)

A Inter visitou o Bologna e teve um jogo complicado no Renato Dall’Ara, que só foi decidido nos minutos finais. Mesmo sem Mihajlovic à beira do gramado, o time da casa jogou com inteligência e posicionou Sansone e Orsolini nas costas dos alas. Os dois levaram perigo à meta de Handanovic ao abusarem da velocidade nos contra ataques e de chutes de média distância.

Já pelo lado nerazzurro, a dupla de ataque Lukaku-Lautaro teve boa atuação: cada um marcou seu gol no primeiro tempo, mas ambos foram anulados. Mesmo assim, a dupla Lu-La teve atuação crucial para sacramentar a virada da Inter. O belga marcou os dois, chegando a nove em 11 rodadas, e o argentino sofreu a penalidade máxima convertida pelo colega – no último minuto, Martínez foi derrubado por Orsolini.

A Beneamata é a única equipe entre aquelas que disputam os cinco maiores torneios nacionais da Europa a ter vencido todas as partidas como visitante até então. Outro ponto positivo para a Inter foi a boa estreia de Lazaro como titular: o austríaco substituiu Candreva na faixa direita do campo e foi uma válvula de escape interessante para a equipe.

Milan 1-2 Lazio

Gols e assistências: Bastos (contra); Immobile (Lazzari) e Correa (Luis Alberto)
Tops: Immobile e Luis Alberto (Lazio)
Flops: Léo Duarte e Rebic (Milan)

Os biancocelestes conquistaram importante vitória fora de casa e voltaram à zona de Liga dos Campeões. Ainda que esteja com os mesmos 21 pontos de Cagliari e Atalanta, o time romano leva vantagem nos critérios de desempate e, por isso, ocupa a quarta posição na tabela. O triunfo confirma a boa fase da Lazio e põe fim em um jejum de 30 anos sem vitórias contra o Milan no San Siro, considerando partidas válidas pela Serie A. Mais uma vez, coube ao decisivo Correa dar números finais à peleja.

Além de acabar com o tabu, a Lazio pode celebrar outra grande atuação de Luis Alberto e, sobretudo, uma impressionante marca de Immobile. Com o gol anotado no primeiro tempo, o atacante alcançou a marca de 100 tentos com a camisa do clube e se isolou ainda mais na artilharia do campeonato, com 13 bolas nas redes. No momento, Ciro é o sexto maior artilheiro celeste e o jogador com a melhor média de gols entre os dez maiores artilheiros da história laziale. Ciro coloca a pelota na casinha uma vez a cada 119 minutos.

Pelo lado rossonero, o recém-chegado Pioli terá muito trabalho para recuperar a moral dos jogadores e estabelecer um padrão de jogo para a equipe. O treinador segue escalando o time inicialmente no 4-3-3, como fez em seus trabalhos anteriores, porém mudou o desenho para o 3-5-2 em vários momentos da partida, dando mais liberdade a Hernandez pela esquerda e posicionando Çalhanoglu como segundo atacante, por trás de Piatek. O primeiro tempo foi bom, mas a equipe não deu continuidade e sucumbiu com o passar dos minutos.

Atalanta 0-2 Cagliari

Gols e assistências: Pasalic (contra) e Oliva (Simeone)
Tops: Oliva e Nainggolan (Cagliari)
Flops: Ilicic e Pasalic (Atalanta)

O Cagliari conquistou uma vitória maiúscula ao visitar a Atalanta em Bérgamo e chegaram ao quinto triunfo nos sete últimos jogos contra os orobici. Os casteddu foram a 21 pontos, se igualaram à própria Dea e à Lazio na tabela, e sonham com o retorno às competições europeias – algo que seria um grande feito para o clube, que comemorará o centenário no ano que vem.

Sem Zapata e De Roon, o ataque da Atalanta não teve o mesmo poder de fogo e passou em branco, algo que não acontecia pela Serie A desde abril deste ano. Debaixo da chuva que assolou Bérgamo, o desempenho ofensivo não foi dos melhores, mas os nerazzurri também tiveram azar – a exemplo do chutaço de Gómez, que explodiu no travessão, nas costas de Olsen e saiu em escanteio. Para completar, Ilicic foi expulso em um lance banal, quando a equipe já perdia por 1 a 0. A partir daí, o time de Maran administrou o resultado e conseguiu ampliar o marcador no início do segundo tempo com o uruguaio Oliva, que fez seu primeiro gol na competição.

O resultado representou o primeiro revés da Atalanta em casa desde a conclusão das reformas no estádio, no início de outubro. Os nerazzurri voltam as atenções à Liga dos Campeões e precisarão de um milagre para somar os primeiros pontos na competição, já que enfrentarão o Manchester City de Guardiola.

A vergonha da rodada

Mais uma vez inconformado com ofensas racistas, Balotelli tentou abandonar a partida entre Verona e Brescia (Getty)

Verona 2-1 Brescia

Gols e assistências: Salcedo (Veloso) e Pessina (Zaccagni); Balotelli (Rômulo)
Tops: Salcedo (Verona) e Balotelli (Brescia)
Flops: Stepinski (Verona) e Sabelli (Brescia)

Verona e Brescia fizeram partida equilibrada, que terminou em vitória dos favoritos. Os gialloblù possuem no momento a melhor defesa da competição e estão a oito pontos da zona de rebaixamento: nada mal para um time apontado como favorito ao descenso no início da temporada. Do outro lado, Corini amargou a terceira derrota consecutiva e encerrou sua passagem de 14 meses no cargo. O título da Serie B e as boas atuações na elite não foram motivos suficientes para que o intempestivo presidente Cellino mantivesse o técnico.

O primeiro tempo foi moroso e contou com apenas um lance de perigo real protagonizado pelos visitantes: em cobrança de falta, Balotelli acertou a trave esquerda de Silvestri e, no rebote, Cistana cabeceou sem direção. Na volta do vestiário, as equipes entraram com mais apetite e criaram mais ocasiões. Com cinco minutos, o jovem Salcedo abriu o placar para os mandantes numa jogada de bola parada. Lamentavelmente, a partida foi interrompida minutos depois do primeiro gol, em um dos lances de ataque do Brescia. O motivo foram as manifestações de parte da torcida da Curva Sud do Bentegodi, que reproduzia sons de macaco e ofensas racistas em direção a Balotelli.

O atacante ficou indignado e teve uma reação explosiva: chutou a bola em direção à torcida e deixou o gramado por vontade própria. Depois disso, Mario foi consolado por jogadores das duas equipes e aplaudido por outros setores do estádio. A partida ficou paralisada até que os insultos cessassem. No fim das contas Balotelli permaneceu em campo e conseguiu responder aos imbecis com um belo gol de fora da área. O golaço, contudo, mas não foi suficiente para evitar a derrota da Leonessa.

Os outros jogos

O artilheiro Immobile marcou seu centésimo gol pela Lazio e enterrou o tabu da equipe contra o Milan (Getty)

Fiorentina 1-1 Parma

Gols e assistências: Castrovilli (Dalbert); Gervinho (Kucka)
Tops: Castrovilli (Fiorentina) e Gervinho (Parma)
Flops: Milenkovic (Fiorentina) e Pezzella (Parma)

Debaixo de muita chuva, Fiorentina e Parma fizeram uma partida pouco entusiasmante, terminaram em igualdade e se distanciaram da zona de Liga Europa. Ambas as equipes sofreram com desfalques importantes: Montella foi a campo sem Ribéry, Pezzella e Cáceres, ao passo que D’Aversa não pode contar com Inglese, Laurini, Bruno Alves e Grassi

Os visitantes tiveram superioridade no começo da partida e, para agredir o adversário, apostaram em transições rápidas, por conta das características de Gervinho e Karamoh. E foi dessa forma que o marfinense abriu o placar para os crociati na reta final da primeira etapa. Vale destacar o belo lançamento de Kucka na jogada.

Pelo lado da Fiorentina, Dalbert e Castrovilli fizeram boa partida e comandaram a reação viola, sendo responsáveis diretos pelo tento dos mandantes no segundo tempo. O brasileiro foi bastante acionado e funcionou como uma válvula de escape pelo setor esquerdo do campo, enquanto o camisa oito ajudou bastante na construção das jogadas e, por vezes, surgiu como elemento surpresa na grande área adversária. A partida ainda marcou a estreia de Pedro pela viola. O atacante havia sido contratado junto ao Fluminense em setembro, mas tinha atuado apenas pela equipe Primavera.

Genoa 1-3 Udinese

Gols e assistências: Pandev (Kouamé); De Paul (Nestorovski), Sema (Okaka) e Lasagna (Teodorczyk)
Tops: Kouamé (Genoa) e Okaka (Udinese)
Flops: Ankersen e Pinamonti (Genoa)

A Udinese costuma ser uma pedra no sapato do Genoa quando o enfrenta e dessa vez não foi diferente. Os bianconeri chegaram ao sétimo jogo consecutivo sem perder dos genoveses e, de quebra, conquistaram a primeira vitória fora de casa na Serie A.

Os grifoni saíram na frente graças a uma boa trama ofensiva da dupla Kouamé e Pandev. Depois do gol, no entanto, os rossoblù demonstraram dificuldade para segurar a vantagem e cederam o empate ainda no primeiro tempo, depois que De Paul acertou uma bomba no ângulo. O fator de desequilíbrio, porém, era Okaka, que ganhou quase todos os confrontos com Ankersen e Ghiglione.

A equipe de Thiago Motta até conseguiu superioridade na posse de bola e criou muitas oportunidades, mas não foi eficaz. Eficiência foi justamente o que não faltou aos visitantes no final da partida: os gols do triunfo, com Sema e Lasagna, saíram aos 87 e aos 92, em lances de contra-ataque.

Spal 0-1 Sampdoria

Gol e assistência: Caprari (Ramírez)
Tops: Caprari e Depaoli (Sampdoria)
Flops: Igor e Petagna (Spal)

O duelo entre os dois piores ataques da competição por pouco não terminou sem gols. Spal e Sampdoria fizeram uma das piores partidas da rodada em nível técnico, mas guardaram um pouco de emoção para os minutos finais. O time da casa propôs o jogo e teve mais organização no começo da peleja, mas foi a Samp que abriu o placar no sétimo minuto. Gabbiadini, porém, estava impedido e o tento foi anulado.

No segundo tempo, Semplici mexeu na equipe e colocou Floccari e Missiroli em campo. Ranieri respondeu minutos depois, trocando Gabbiadini e Jankto por Ramírez e Augello, mas o panorama do jogo não mudou muito. Sua cartada final foi a troca de Bonazzoli por Caprari: uma alteração feita a princípio para ganhar tempo, mas que acabou decidindo a partida, já que o tento da vitória blucerchiata, nos acréscimos, saiu dos pés do jogador criado pela Roma. No entanto, providencial a atuação de Depaoli, que foi fundamental para evitar um gol spallino e ainda participou da construção do lance que tirou a Samp da lanterna e empurrou o time de Ferrara para lá.

Lecce 2-2 Sassuolo

Gols e assistências: Lapadula (Rossettini) e Falco; Toljan (Locatelli) e Berardi
Tops: Falco (Lecce) e Boga (Sassuolo)
Flops: Meccariello (Lecce) e Kyriakopoulos (Sassuolo)

Lecce e Sassuolo brigam para não cair, mas gostam de praticar um futebol sem amarras, jogado para frente. Nessa toada, o confronto entre as equipes foi agradável e reservou alguns golaços. No lado salentino, tivemos a habilidade de Lapadula em dominar e finalizar e a de Falco na bola parada. Pelos neroverdi, o destaque foi a construção da jogada do tento de Toljan. A pelota rodou de pé em pé até encontrar o alemão, que se deslocava buscando a profundidade.

Se o jogo foi interessante, o placar não foi muito bom para as equipes. Tanto Lecce quanto Sassuolo continuam fora da zona de rebaixamento, mas as vitórias de Udinese e Sampdoria embolaram a tabela – sem falar no triunfo do Verona, que vai acumulando uma gordura importante na corrida contra o descenso.

Seleção da rodada

Sirigu (Torino); Depaoli (Sampdoria), De Vrij (Inter), Smalling (Roma), Pisacane (Cagliari); Zaniolo (Roma), Oliva (Cagliari), Nainggolan (Cagliari); Luis Alberto (Lazio); Immobile (Lazio), Lukaku (Inter). Técnico: Rolando Maran (Cagliari).



1 comentário

Deixe um comentário