Serie A

33ª rodada: Inter e Atalanta aproveitam tropeço da Juve para se aproximarem na reta final



Os resultados da 33ª rodada esquentaram a disputa pelo scudetto. Se o título parecia cada vez mais perto de Turim, o terceiro jogo sem vitórias da equipe de Sarri fez com que a vantagem para Atalanta e Inter diminuísse. A Juventus ainda é amplamente favorita, mas os times da Lombardia sonham com a possibilidade de o troféu da Serie A, enfim, retornar à região.

Vivendo ótima fase, a Atalanta é quem mais tem motivos para acreditar. Com mais uma goleada, o time de Gasperini parece sobrar na Itália, enquanto a Juve vai sobrevivendo aos trancos e barrancos, como no jogo desta rodada contra o Sassuolo, no qual tomou a virada e foi buscar o empate, fora de casa. A Inter, por sua vez, venceu a lanterna Spal e, mesmo estando longe da melhor fase, é quem está mais perto dos bianconeri: são seis pontos atrás da Velha Senhora, contra sete da Dea.

Na briga pelas duas vagas restante para a Liga Europa, Roma e Milan deram grandes passos. Com a vitória sobre o Verona, o time de Paulo Fonseca abriu 10 pontos de vantagem sobre o Sassuolo, oitavo colocado, faltando cinco rodadas para o fim do campeonato. A equipe romanista permanece à frente do Milan, que terminou a rodada empatado com o Napoli e, com sua pontuação, iria à fase preliminar do torneio europeu. Confira a análise da jornada, que teve média de 3,7 gols por partida e futebol muito bem jogado – o que dificultou a escolha dos nomes para a nossa seleção do meio de semana.

Sassuolo 3-3 Juventus

Gols e assistências: Danilo (Pjanic), Higuaín (Pjanic) e Alex Sandro (Bentancur); Djuricic (Caputo), Berardi e Caputo (Berardi)
Tops: Caputo (Sassuolo) e Pjanic (Juventus)
Flops: Peluso (Sassuolo) e Ronaldo (Juventus)

Sassuolo e Juventus fizeram o jogo mais aguardado da rodada. A líder do campeonato, que vive má fase, contra um dos melhores times da Itália desde o retorno da Serie A. E o confronto atendeu a todas as expectativas. Neroverdi e bianconeri fizeram um jogão, repleto de reviravoltas e de emoção, com o time da casa revertendo um 2 a 0 e sofrendo o empate dez minutos depois.

Jogando mal, a Juventus conseguiu arranjar um empate com o Sassuolo após um começo de jogo avassalador. Com menos de 15 minutos, a Velha Senhora já havia anotado dois gols, muito graças à genialidade de Pjanic. Mas se a Juve tinha o bósnio, o Sassuolo tinha Berardi e Caputo, grandes nomes da resposta neroverdi, coadjuvados por Djuricic e Müldür. Com o empate, a equipe de De Zerbi chegou à marca de sete jogos sem perder, enquanto o time de Sarri, que tem a pior defesa juventina em nove anos, está a três rodadas sem saber o que é vencer. No Mapei Stadium, não fossem as defesas de Szczesny, poderia ter sido ainda pior.

Spal 0-4 Inter

Gols e assistências: Candreva (Sánchez), Biraghi, Sánchez (Biraghi) e Gagliardini (Young)
Tops: Sánchez e Biraghi (Inter)
Flops: Reca e Vicari (Spal)

A Internazionale viajou até Ferrara e venceu a lanterna Spal com muita tranquilidade. O triunfo diante do time emiliano contou, mais uma vez, com a participação de Sánchez, que já havia sido crucial na vitória nerazzurra na última rodada, quando deu duas assistências. A derrota spallina, a sexta em sete partidas, impediu que os mandantes deixassem a última posição da competição com o Brescia, se mantendo na parte mais baixa do campeonato. O rebaixamento bate à porta do time treinado por Di Biagio.

A vitória dos comandados por Conte é a segunda consecutiva, após tropeçar contra Bologna e Verona no começo do mês. A torcida nerazzurra tem mais de um motivo para comemorar a vitória contra a Spal. A seis pontos da líder, o time de Milão não via a ponta da tabela tão próxima havia um bom tempo. Soma-se a isso a excelente fase de Sánchez, a sua melhor com a camisa azul e preta. Substituindo Martínez, por opção técnica, ou Lukaku, por lesão, o chileno apresentou um futebol influente e eficiente, sendo responsável, direta ou indiretamente, por quatro dos últimos sete gols interistas.

Alegria contra frustração: Sassuolo fez bom jogo e provocou tropeço da Juventus (LaPresse)

Atalanta 6-2 Brescia

Gols e assistências: Pasalic (Malinovskyi), De Roon (Gosens), Malinovskyi (Castagne), Zapata (Gosens) Pasalic (Malinovskyi) e Pasalic (Colley); Torregrossa e Spalek (Tonali)
Tops: Pasalic e Malinovskyi (Atalanta)
Flops: Bjarnason e Andrenacci (Brescia)

A Atalanta não tomou conhecimento do Brescia no dérbi da Lombardia e aplicou uma senhora goleada no seu grande rival: 6 a 2. Esse foi o sexto jogo nesta Serie A em que a equipe de Bérgamo anotou cinco ou mais gols. Com atuações impecáveis de Pasalic, que anotou uma tripletta, Malinovskyi, autor de um gol e de duas assistências, e Gosens, a máquina de Gasperini ainda sonha com o título. Persegue, rodada após rodada, os líderes da Velha Senhora.

Com o segundo melhor ataque das cinco grandes ligas europeias, atrás apenas do Bayern Munique, a Dea chegou ao seu 15º jogo de invencibilidade, somando todas as competições. Já o Brescia vê a possibilidade de escapar do descenso cada vez menor. Nove pontos atrás do Genoa, primeiro time fora da zona de degola, a equipe de Tonali e companhia sofre com a segunda pior defesa e o segundo pior ataque da competição, apresentando um saldo de inacreditáveis 40 gols negativos. Para a parte final do campeonato, o treinador López deve ter o experiente Delneri como tutor, no cargo de diretor técnico.

Roma 2-1 Verona

Gols e assistências: Veretout (pênalti) e Dzeko (Spinazzola); Pessina (Zaccagni)
Tops: Mkhitaryan e Veretout (Roma)
Flops: Alan Empereur e Amrabat (Verona)

Com uma atuação nada inspirada e bastante pragmática, a Roma bateu o Verona em casa, no estádio Olímpico, por 2 a 1. Apesar de os giallorossi não terem apresentado um futebol de encher os olhos, o triunfo deu a Paulo Fonseca e à equipe uma pequena “gordura” na luta pela vaga direta na Liga Europa, já que o Milan continua quatro pontos atrás. O Sassuolo, abaixo dos rossoneri, encontram-se a 10 pontos de distância.

Depois de perder três partidas em sequência, a Roma engatou, com a vitória sobre o Verona, uma série de três triunfos. Nesta quarta, a vitória teve uma atuação envolvente de Mkhitaryan e Veretout no meio-campo, e até poderia ter sido mais elástica, caso Dzeko e o próprio armeno tivessem aproveitado oportunidades. Do lado veronês, apesar do belo gol de Pessina e da certeza matemática da permanência, em virtude da derrota do Lecce, foi dia de jogar a toalha. Após cinco jogos sem vencer, Juric assumiu que seu time está praticamente fora da briga pela Liga Europa. O Hellas tem nove pontos a menos que o Milan, sétimo colocado.

Mesmo com time reserva, a Atalanta goleou o Brescia no clássico (Sportimage)

Milan 3-1 Parma

Gols e assistências: Kessié (Çalhanoglu), Romagnoli (Çalhanoglu) e Çalhanoglu (Bonaventura); Kurtic (Grassi)
Tops: Çalhanoglu e Kessié (Milan)
Flops: Iacoponi e Gervinho (Parma)

O Milan venceu o Parma, de virada, com direito a atuações de gala do camisa 10, Çalhanoglu, e do 79, Kessié. O turco, que vive uma das suas melhores temporadas com os rossoneri, participou de todos os três tentos milanistas, dando duas assistências e anotando o terceiro e último gol da partida. Já o marfinense é um dos melhores volantes do campeonato desde a sua retomada e vem se valorizando. Com o melhor momento dentre os três principais concorrentes a Liga Europa, o Milan é, no momento, o principal candidato à quinta colocação.

Com o resultado o Milan chegou a sete jogos sem perder na Serie A, mantendo a boa fase que começou com a chegada de Ibrahimovic e com o maior aproveitamento de Rebic no time titular. Já o Parma vive péssimo momento, ainda que não tenha atuado mal – na verdade, perdeu muitos gols, com Gervinho e Inglese, além de contar com o azar, ao ter acertado a trave uma vez. O time de Kulusevski e companhia entrou na rodada com a chance de pontuar pelo segundo jogo consecutivo, algo que não acontece desde o dia 23 de junho, quando venceram o Genoa. Agora, os crociati acumulam cinco derrotas nos últimos cinco compromisso, o que os coloca em um limbo: distantes do rebaixamento e das competições europeias.

Udinese 0-0 Lazio

Tops: De Paul (Udinese) e Strakosha (Lazio)
Flops: Okaka (Udinese) e Immobile (Lazio)

Udinese e Lazio não saíram do zero na Dacia Arena. Com o resultado, a equipe celeste da capital perdeu a segunda colocação para a Atalanta e a terceira para a Inter, embora mantenha oito pontos de desvantagem para a líder Juventus. O time de Simone Inzaghi está distante da disputa pelo scudetto, mas pode reacendê-la em caso de triunfo sobre os bianconeri, na próxima segunda. Do lado da Udinese, o empate contra um time do topo, mesmo em má fase, contribuiu para que ficasse sete pontos à frente do Lecce, 18º colocado.

A partida foi marcada pelo confronto entre De Paul e Strakosha, os destaques dos seus respectivos times. E no duelo entre o meia e o goleiro, foi o arqueiro laziale quem se deu melhor. Strakosha fez cinco defesas, com a maioria delas saindo dos pés do argentino – e uma cara a cara com Lasagna. O albanês ajudou a garantiu o empate das águias, mas a trave (duas vezes) também contribuiu para impedir que o time da capital chegasse à quarta derrota seguida.

Em grande fase, Kessié marcou golaço na vitória do Milan sobre o Parma (Getty)

Bologna 1-1 Napoli

Gols e assistências: Barrow (Soriano); Manolas (Politano)
Tops: Soriano (Bologna) e Politano (Napoli)
Flops: Tomiyasu (Bologna) e Lozano (Napoli)

Bologna e Napoli ficaram no empate no estádio Renato Dall’Ara, num jogo que valia pouco: afinal, os comandados de Mihajlovic estão longe de uma vaga europeia e precisam de apenas dois pontos para se garantirem matematicamente na elite, enquanto a equipe de Gattuso já conseguiu classificação à Liga Europa e tinha poucas chances de roubar a quarta posição. O empate, a propósito, acabou com a possibilidade: o Napoli não pode mais alcançar a Lazio.

Mesmo vindo de duas derrotas, o Bologna chegou a assustar o Napoli em alguns momentos. Sem Orsolini no time titular, barrado por Mihajlovic pelo fraco desempenho apresentado nos últimos jogos, a equipe rossoblù teve dois gols anulados, um em cada tempo. O time da casa também bateu um recorde, no mínimo, indesejado: com o gol sofrido diante da equipe partenopea, os rossoblù chegaram a 28 jogos consecutivos sendo vazados, ultrapassando os 27 do Livorno. O tropeço fora de casa freou uma boa sequência napolitana, mas fez o time chegar ao quarto jogo consecutivo sem sofrer uma derrota.

Sampdoria 3-0 Cagliari

Gols e assistências: Gabbiadini (Jankto), Bonazzoli e Bonazzoli (Jankto)
Tops: Bonazzoli e Jankto (Sampdoria)
Flops: Pisacane e Ionita (Cagliari)

Por enquanto, julho é pura festa para a Sampdoria de Ranieri. Com a vitória sobre o Cagliari, a equipe de Gênova chegou ao seu quarto triunfo em cinco compromissos no mês. A grande estrela da partida, disputada no estádio Luigi Ferraris, foi o jovem camisa 9 Bonazzoli, que iniciou uma partida como titular pela quinta vez na temporada e anotou em dois jogos seguidos – dessa vez, uma doppietta em que mostrou, novamente, dotes acrobáticos.

Mas se a Sampdoria vive um bom momento – o suficiente para lhes dar nove pontos de vantagem para o Lecce, primeiro time na zona de rebaixamento –, o mesmo não pode ser dito sobre o Cagliari. Em clara decadência desde o ótimo começo de ano, a equipe da Sardenha não vence há cinco jogos, curiosamente, desde que o mês de julho começou. Candidatos a surpresa, no início da temporada, os sardos terminarão a Serie A apenas no meio da tabela.

Novamente decisivo, Belotti afastou o Torino da zona de rebaixamento (Actionplus)

Lecce 1-3 Fiorentina

Gols e assistências: Chiesa (Cutrone), Ghezzal e Cutrone (Chiesa); Shakhov (Vera)
Tops: Chiesa e Cutrone (Fiorentina)
Flops: Rispoli e Paz (Lecce)

A Fiorentina não teve dificuldades para vencer o Lecce no estádio Via del Mare, no salto da Bota. Com boas atuações de Chiesa e Cutrone, a Viola, que não perde há quatro jogos, manteve a boa fase e se aproximou da metade da tabela, enquanto os salentinos se mantêm na zona de degola. Na próxima rodada, o time de Liverani terá um confronto decisivo com o Genoa, seu maior adversário na briga pela permanência na elite.

Chiesa foi, definitivamente, o homem da partida. O camisa 25, de apenas 22 anos, anotou um gol, deu uma assistência, quatro passes decisivos e ainda criou uma grande chance de gol. Cutrone e Ghezzal também tiveram participação importante: o italiano anotou uma vez e cedeu assistência, enquanto o argelino marcou belo tento de falta e sofreu o pênalti desperdiçado por Pulgar. O único destaque positivo do time de Liverani foi Barák, que acertou 89% dos passes, sendo dois deles decisivos, gerando finalizações para a equipe do sul. Muito pouco para quem precisa somar pontos.

Torino 3-0 Genoa

Gols e assistências: Bremer (Verdi), Lukic (Belotti) e Belotti
Tops: Belotti e Sirigu (Torino)
Flops: Goldaniga e Biraschi (Genoa)

Em jogo importante para a parte de baixo da tabela, o Torino venceu o Genoa por 2 a 0 e conseguiu um enorme passo para permanecer na elite: após a terceira vitória em 14 rodadas, foi a oito pontos de vantagem sobre o Lecce, com 15 em disputa. A derrota no confronto direto pode custar caro para os genoanos, que ficam apenas um ponto acima do Lecce, seu adversário contra o descenso. As equipes se enfrentam no fim de semana.

Apesar de um começo de jogo ruim, com os visitantes levando perigo para a equipe da casa e Sirigu mostrando a segurança de sempre, o Toro chegou ao primeiro gol após bom escanteio cobrado por Verdi e completado pelo brasileiro Bremer – que teve ótima oportunidade minutos antes. No segundo tempo, após de três defesas vitais do veterano Sirigu no mesmo lance, os grenás garantiram o triunfo. Belotti fez duas ótimas jogadas e, com gols em excelentes finalizações de fora da área, os três pontos ficaram no Piemonte.

Seleção da rodada

Szczesny (Juventus); Biraghi (Inter), Müldür (Sassuolo), Yoshida (Sampdoria), Gosens (Atalanta); Çalhanoglu (Milan), Pasalic (Atalanta), Malinovskyi (Atalanta); Berardi (Sassuolo), Sánchez (Inter); Caputo (Sassuolo). Técnico: Gian Piero Gasperini (Atalanta).



Deixe um comentário