Liga dos Campeões

Inter e Atalanta perdem e se veem em situação difícil na Champions League

A terceira rodada da fase de grupos da Uefa Champions League não começou nada bem para o futebol italiano. Inter e Atalanta tinham adversários complicados pela frente, acabaram derrotadas e, agora, se encontram em situação difícil em suas chaves. Nesse momento, a equipe de Milão é a quarta colocada do Grupo B, enquanto a formação bergamasca ocupa a terceira posição no D. Confira como foram os jogos da dupla nerazzurra.

Real Madrid 3-2 Inter

No acanhado estádio Alfredo Di Stéfano, a Inter tinha um encontro decisivo: vencer o Real Madrid significaria recuperar pontos perdidos contra Borussia Mönchengladbach e Shakhtar Donetsk, em partidas nas quais atuou melhor, mas só empatou. Novamente, porém, a Beneamata teve atuação superior à do adversário, mas dessa vez obteve resultado pior. Nem somou pontos e caiu para a última posição do Grupo B.

Sem Lukaku, lesionado, a Inter precisaria contar com boas atuações de Martínez e Perisic no ataque – e elas vieram. Antes disso, Asensio obrigou Handanovic a fazer uma grande defesa, pouco depois da saída de bola, mas os 20 minutos seguintes foram dos nerazzurri. Barella acertou o travessão, Lautaro parou numa boa defesa de Courtois e um chute de Vidal passou com muito perigo. Porém, aos 25, Hakimi cometeu erro imperdoável: recuou errado para o seu goleiro. Benzema aproveitou a “assistência”, driblou o arqueiro esloveno e abriu o placar. Aos 33, De Vrij esqueceu de marcar Sergio Ramos em cobrança de escanteio e o espanhol foi mortal no jogo aéreo, como de hábito.

A Inter poderia ter se abatido, mas conseguiu reduzir a desvantagem de imediato. Barella deu um lindo passe de calcanhar para Lautaro marcar. Com a tranquilidade restabelecida, a Beneamata passou a comandar a partida, tendo em Barella seu ponto de equilíbrio no meio-campo: o italiano iniciava a maior parte das jogadas, trabalhava para recuperar a posse e tinha vantagem sobre Casemiro e Valverde. Nesse cenário, os nerazzurri empataram aos 68, depois que Vidal lançou Martínez e o argentino foi esperto ao, de cabeça, ajeitar para a finalização de Perisic.

Depois que empatou, a equipe de Conte cresceu no jogo e poderia ter virado sobre os merengues, uma vez que teve finalizações perigosas de Lautaro e Perisic a seu favor. Só que, aos 78, um extenuado Barella deu lugar a Gagliardini e a Inter não conseguiu manter o ritmo. Dois minutos após esta alteração, quando o time italiano ainda era melhor, as mexidas que Zidane havia realizado aos 64 surtiram efeito: Vinicius Junior recebeu lançamento nas costas de D’Ambrosio e cruzou para Rodrygo mandar para as redes.

Com o 3 a 2 no placar, o Real Madrid viu a Inter perder lucidez e conseguiu segurar a vitória. Por um lado, mais uma vez os comandados de Conte mostraram personalidade para buscar um resultado negativo e um bom nível de atuação. Por outro, erros pontuais continuam custando resultados importantes: se o salto de qualidade no trabalho vier, pode já ser tarde demais. Agora, a Beneamata tem 2 pontos e segura a lanterna do embolado Grupo B; o surpreendente Mönchengladbach lidera, com 5, e Shakhtar e Real Madrid têm 4.

A Atalanta tentou segurar o Liverpool, mas não conseguiu: foi merecidamente goleada (LaPresse)

Atalanta 0-5 Liverpool

Depois de empatar em casa com o Ajax, a Atalanta teve seu segundo jogo seguido no Gewiss Stadium e, dessa vez, um tropeço ainda mais categórico – uma queda clamorosa, na verdade. A goleada sofrida para o Liverpool fez Gasperini divagar em sua entrevista coletiva: para ele, o elenco atual da Dea não tem a mesma capacidade de imprimir a intensidade de outros tempos. O treinador acredita que as mudanças no plantel, ocorridas na janela de transferências, alteraram algumas características do seu time e entende que ajustes precisarão ser realizados.

Sem qualquer reparo, a Atalanta foi trucidada por Diogo Jota e companhia. O português mostrou que estava com fome de bola já no primeiro minuto, quando obrigou Sportiello a fazer grande defesa. Aos 16, porém, Alexander-Arnold efetuou um passe que rasgou a defesa e achou o substituto de Roberto Firmino – que ganhou a titularidade pela má fase vivida pelo brasileiro. Palomino até tentou cometer o pênalti, mas desistiu no meio do caminho e Jota só deu uma cavadinha para inaugurar o placar. O atacante anotou sua doppietta aos 33, depois de receber lançamento, cortar Hateboer e finalizar com precisão.

A Dea chegou a evitar que o Liverpool fizesse o terceiro ainda na primeira etapa, quando Sportiello fez defesaça com a ponta dos dedos em chute de Mané. Porém, o destino seria selado logo após o intervalo: Salah aproveitou sobra de escanteio nerazzurro, puxou contra-atacou sozinho e finalizou no ângulo. Na sequência, o egípcio achou um bolão para Mané, que deu uma cavadinha na saída de Sportiello e ampliou.

Cinco minutos depois, aos 54, Diogo Jota anotou sua tripletta: o português recebeu em profundidade, driblou Sportiello e só completou para as redes. A diferença tão grande no placar ratificou o que já se sabia: a Atalanta não pode sonhar em enfrentar os grandes de peito aberto se contar com um zagueiro lento como Palomino em seu onze inicial. O mesmo vale para Mojica, que entrega futebol muito inferior ao de Gosens, a quem substituiu nesta terça.

Depois de seu Liverpool abrir 5 a 0, Klopp promoveu alterações, descansou peças e reduziu o ritmo de sua equipe. Por outro lado, a partida virou um duelo de Zapata com o gol: em dia ruim, o colombiano acertou a trave, parou em Alisson e ainda teve um tento anulado. No fim das contas, o Liverpool manteve 100% de aproveitamento e chegou aos 9 pontos, ampliando a liderança isolada no Grupo D. Ajax e Atalanta têm 4 e o pobre Midtjylland, ainda zerado, está na lanterna.

Deixe um comentário