Serie A

Dois jogaços e um clássico sob a égide de Diego Maradona marcam a 9ª rodada do Italiano

Poucos dias depois da morte de Diego Maradona, o estádio San Paolo receberá uma das partidas mais aguardadas pelo torcedor do Napoli em todas as campanhas. Após o clássico contra a Juventus e os embates contra Inter, Milan e Verona, é o duelo contra a Roma, no Derby del Sole, que mexe com os brios dos azzurri. Na 9ª rodada da Serie A, porém, o sol se escondeu e o céu perdeu a cor: a passagem do maior ídolo da história napolitana deixou tudo cinza na Campânia e, a bem da verdade, em grande parte do mundo. Só uma vitória dos mandantes poderá aplacar, minimamente, esta dor.

Além do clássico em Nápoles, a rodada contará com um jogaço entre Sassuolo, vice-líder, e Inter, quinta colocada, às 11 horas de sábado: as partidas desta Serie A que tiveram os neroverdi em campo resultaram em 29 gols, ao passo que as dos nerazzurri produziram 33. No mesmo horário, mas no domingo, Milan e Fiorentina se encaram em San Siro e fazem o terceiro jogo mais interessante da jornada. Confira a prévia.

O jogão

Domingo, 29/11, 16h45

Napoli x Roma

Napoli e Roma disputarão o Derby del Sole pela 147ª vez na Serie A, naquele que será o primeiro clássico do San Paolo desde a morte de Maradona – a quem o estádio deverá ser intitulado, muito em breve. Nos últimos tempos, os azzurri têm levado vantagem sobre os romanistas: venceram quatro das últimas sete partidas pelo campeonato, superando os momentos negativos vividos no confronto desde que retornaram à elite, em 2007.

A forma caseira do Napoli de Gattuso não é das melhores, já que o time somou derrotas contra Sassuolo e Milan – vice-líder e líder, respectivamente – nas últimas vezes em que foi mandante. Terceira colocada, a Roma, somou 17 pontos nos primeiros oito jogos do campeonato e conta com a excelente forma de Mkhitaryan, que se tornou goleador na ausência de Dzeko. O bósnio já está de volta, mas 0 armeno dá mostras de ter se adaptado em definitivo ao futebol italiano e vem de cinco gols marcados nas duas rodadas anteriores. O contragolpe napolitano se dará com Insigne, Politano (em busca da lei do ex) e, claro, Mertens: o belga anotou cinco tentos nos últimos sete jogos de Serie A contra a Roma.

Prováveis escalações

Napoli: Meret; Di Lorenzo, Manolas, Koulibaly, Mário Rui; Demme, Ruiz; Politano, Zielinski, Insigne; Mertens.

Roma: Mirante; Mancini, Smalling, Ibañez; Karsdorp, Pellegrini, Veretout, Spinazzola; Pedro, Mkhitaryan; Dzeko.

Fique de olho

Sábado, 28/11, 11h

Sassuolo x Inter

Talvez não houvesse momento pior para a Inter encarar o seu carrasco. Afinal, além de a Beneamata, quinta colocada, ter apenas duas vitórias nos últimos 10 jogos, o Sassuolo é o time que mais vezes a venceu de 2015 para cá (sete, como a Juventus) e ocupa a segunda posição da Serie A no momento. No entanto, Conte tem algumas estatísticas a seu favor. O apuliano não perdeu nenhum dos dois confrontos para De Zerbi em 2019-20 e transformou a equipe nerazzurra naquela que tem o melhor desempenho como visitante entre os times da Serie A: desde que a assumiu, somou 15 vitórias em 23 partidas fora de casa.

Os dois lados têm bons conjuntos, mas também contarão com o talento individual para buscar os três pontos. O Sassuolo tem a seu favor um tal Berardi, que se transmuta em Maradona quando enfrenta a Inter: o calabrês marcou em seis das últimas nove partidas contra os nerazzurri e vive, atualmente, a melhor fase de sua carreira. Mimmo é o único jogador da Serie A com dois dígitos em gols e assistências em 2020 – 10 em cada quesito. Por sua vez, Lukaku é a esperança de sempre para os interistas. Autor de três gols contra os neroverdi na última temporada, o belga marcou sete vezes em suas sete aparições na Serie A. De 1994 em diante, este feito só havia sido alcançado por dois atletas da Beneamata – Vieri, em 2001-02 e 2002-03, e Ibrahimovic, em 2007-08.

Contra o Sassuolo, seu carrasco, a Inter precisará, mais do que nunca, de uma sólida atuação da dupla Lu-La (Tricarico/IPA)

Domingo, 29/11, 11h

Milan x Fiorentina

Historicamente, o Milan tem ampla vantagem sobre a Fiorentina na Serie A: venceu 72 partidas contra a adversária na competição, sendo que 44 empates e 44 derrotas completam o balanço. Vivendo uma das fases mais obscuras de sua existência, o Diavolo encontrou dificuldades contra a Viola durante sua “banter era”, que durou de 2011-12 a 2019-20 – período em que venceu apenas cinco de 18 embates –, mas é favorito neste domingo, por conta do ótimo momento atual.

O Milan e o Atlético de Madrid são os únicos times das cinco principais ligas europeias ainda invictos no pós-lockdown. Os rossoneri, contudo, vivem momento mais sólido em âmbito doméstico: além de liderarem a Serie A, encontraram as redes em 28 jogos seguidos e, se marcarem contra a Fiorentina, igualarão seu próprio recorde, estabelecido em dezembro de 1973. Coadjuvante em San Siro, o time da Toscana imagina ver alguma evolução sob o comando de Prandelli, que fará a terceira partida em seu retorno ao clube. A Viola perdeu para o Benevento na última rodada, mas se recuperou ao bater a Udinese pela quarta fase da Coppa Italia, no meio de semana.

Demais partidas

Sábado, 28/11, 14h
Benevento x Juventus

Sábado, 28/11, 16h45
Atalanta x Verona

Domingo, 29/11, 8h30
Lazio x Udinese

Domingo, 29/11, 11h
Bologna x Crotone

Domingo, 29/11, 14h
Cagliari x Spezia

Segunda, 30/11, 14h30
Torino x Sampdoria

Segunda, 30/11, 16h45
Genoa x Parma

Deixe um comentário