Liga Europa

Em dia de homenagens a Maradona, Napoli ganha e Roma se classifica na Liga Europa

A quinta-feira começou triste para os amantes do futebol. Afinal, em Buenos Aires, milhares de fãs velavam o corpo de Diego Armando Maradona. Em Nápoles, à distância, milhões choravam por não poderem se despedir do seu ídolo máximo de forma apropriada. A quinta também era dia de jogo para o Napoli, que honrou El Diez com uma vitória contra o Rijeka e se aproximou da classificação na Liga Europa. O Milan, ao empatar com o Lille, também ficou perto da vaga na fase seguinte – feito que a Roma obteve com triunfo sobre o Cluj. Confira como foram as partidas.

Napoli 2-0 Rijeka

Por Diego.

O Napoli entrou em campo, contra os croatas do Rijeka, com camisa em homenagem ao maior jogador de sua história. Jogando no estádio que, em pouco tempo, levará o nome do maior deus napolitano, o time azzurro venceu o lanterna Rijeka por 2 a 0.

Em um jogo muito importante para o seu futuro na Liga Europa, a equipe de Gattuso venceu o Rijeka após sofrer alguns sustos. A partida, que foi muito aberta, viu tanto os donos da casa quanto os visitantes terem grandes chances. O time do sul exigia boas defesas de Nevistic, grande destaque da equipe croata na partida, ao lado do ponta Muric.

Mesmo forçando Nevistic a intervenções cirúrgicas, como as feitas nos chutes de Politano e Di Lorenzo, o pequeno Rijeka não se retraía na defesa e levava perigo à meta de Meret. Ao todo, o time visitante chutou sete bolas no gol napolitano só no primeiro tempo, com muitas delas fazendo o torcedor azurro suar frio.

Sem poder perder pontos para o lanterna do grupo, o Napoli, que atuava em um 4-3-3 clássico, com Zielinski fazendo a ligação do meio com o ataque, abriu o placar aos 41 minutos do primeiro tempo. E foi com o polonês que nasceu o primeiro gol azzurro na partida. O polonês fez bela jogada individual e cruzou para Politano, dentro da pequena área. Contudo, quem escorou a bola para o gol foi o defensor Anastasio, do Rijeka. Justo um jovem zagueiro nascido em Nápoles e formado nas categorias de base napolitanas. De nome Armando, tal qual Maradona – apenas uma das muitas coincidências da noite.

O segundo tempo parecia uma repetição do primeiro. O Napoli dominava e criava mas sofria com os contra-ataques do Rijeka. Com o decorrer da segunda metade do jogo, as chances da equipe mandante foram ficando ainda mais claras. Aos 51, Demme recebeu na entrada da área e chutou tirando tinta da trave. Vinte minutos depois, Petagna recebeu bom cruzamento e furou, desperdiçando a chance de colocar um ponto final no duelo. Mas, não demorou muito até que o alívio e a vitória finalmente viessem. Aos 74 minutos, após uma saída errada dos croatas, Insigne lançou Lozano na medida. Com toda a calma, o mexicano bateu colocado, sem chances para Nevistic.

Com o resultado, o Napoli assumiu a ponta do Grupo F, com nove pontos – dois à frente de Real Sociedad e AZ Alkmaar, que empataram sem gols. O próximo jogo da equipe de Gattuso será contra os holandeses, fora de casa.

Castillejo marcou o gol do Milan no empate contra o Lille (FEP/Panoramic)

Lille 1-1 Milan

Lille e Milan tinham tudo para fazer o grande jogo da rodada. Afinal, o confronto dos dois primeiros do Grupo H, colocava, frente a frente, o líder da Serie A e o segundo colocado da Ligue 1. Mas a partida esteve longe de suprir as expectativas do amante de futebol. Em um jogo morno, os times ficaram no 1 a 1, depois que os visitantes abriram o placar e sofreram o empate pouco tempo depois.

Vivendo ótimas fases, Lille e Milan entraram para o confronto com apenas uma derrota cada na temporada. No jogo que abria o segundo turno da fase de grupos, o Milan enfrentaria o último time que o derrotou. O Lille, por sua vez, precisava apenas do empate para se manter na liderança da chave.

Escalado em um 4-2-3-1, o Milan atuava muito mais em um 3-2-2-3, podendo variar para o 3-2-5. Nesse posicionamento, Hernandez era liberado para atuar como ala, o que colocava Hauge próximo a Rebic no comando de ataque. Çalhanoglu se juntava ao croata e ao norueguês, enquanto Castillejo e Theo alargavam o campo.

Diante de um time que se postava em um 4-4-2 e que apostava em contragolpes, o Milan pouco conseguiu fazer no primeiro tempo. A grande chance de seus primeiros 45 minutos saiu quando o Lille se lançou para o ataque e permitiu que o Diavolo engatasse uma jogada que tinha tudo para ser mortal: Hauge avançou ao lado de mais dois rossoneri, contra um único defensor francês. Porém, o norueguês demorou demais para passar e foi interceptado.

Com muita dificuldade e sofrendo com a bela partida do brasileiro Luiz Araújo, o Milan só encontrou o gol no segundo tempo. O jogo mal havia recomeçado quando Tonali enfiou a bola para Rebic. O croata ganhou da zaga francesa, na corrida, e passou para Castillejo abrir o placar.

O Lille, que já se aventurava no ataque no fim do primeiro tempo – quando, inclusive, obrigou Donnarumma a fazer uma belíssima defesa –, começou a controlar as ações ofensivas da partida, após o gol relâmpago de Castillejo. Com mais posse, o Lille atacava o Milan, que se saía muito bem nos contra-ataques. Melhor no segundo tempo, a equipe da casa chegou ao gol de empate aos 65 minutos, após bom pivô feito por David, que deixou Bamba de frente para a meta de Donnarumma.

Com o empate, o Milan segue na segunda colocação do Grupo H, com 7 pontos, um atrás do Lille e um na frente do Sparta Praga. Na sequência, a equipe italiana enfrentará o eliminado Celtic, finalizando a fase de grupos diante dos checos, em um jogo que pode valer a vaga na próxima fase da Liga Europa.

Na Romênia, a Roma enfrentou a baixa visibilidade e o Cluj (AFP/Getty)

Cluj 0-2 Roma

Jogando com um time alternativo, como vem sendo na Liga Europa, a Roma não teve muitas dificuldades para bater o Cluj, na Romênia, e garantir a classificação para a próxima fase da competição – na liderança do grupo e invicta. Ainda que tenham precisado driblar a forte neblina que se abateu sobre o estádio Constantin Radulescu, os romanos alcançaram a sua terceira vitória em quatro jogos, com nove gols anotados e somente um sofrido.

Atuando em um 3-4-2-1, a Roma passou o primeiro tempo em branco, abrindo placar logo no início da segunda metade da partida, com um gol contra do centroavante croata Debeljuh. O segundo e último tento giallorosso no confronto veio dos pés de Veretout, ao cobrar um pênalti aos 67 minutos de jogo. O francês, que assumiu o posto de cobrador oficial da equipe da capital, entrou no segundo tempo e não desperdiçou a chance de aumentar a vantagem do time de Paulo Fonseca.

Um dos destaques da Roma na partida foi a estreia de Calafiori em gramados europeus. O jovem defensor de apenas 18 anos, que só havia atuado uma vez com a camisa giallorossa, foi o ala pela direita e teve uma atuação segura, apesar de alguns erros de cruzamento e de passe.

Com o resultado, a Roma segue imbatível na Liga Europa, liderando o Grupo A com 10 pontos, três a mais que o Young Boys, segundo colocado. Na sequência, o time italiano receberá os suíços no Olímpico, em jogo que pode garantir o primeiro lugar no grupo. O Cluj, com 4 pontos, recebe o eliminado CSKA Sofia.

Deixe um comentário