Serie A

9ª rodada: Milan amplia vantagem e Napoli goleia em homenagem a Maradona

A 9ª rodada foi repleta de homenagens a Diego Armando Maradona, falecido na última quarta. Tivemos um minuto de silêncio antes de todos os jogos do fim de semana, banner holográfico na transmissão da Serie A, imagens do craque nos telões dos estádios, faixa de luto nos braços dos atletas e salva de palmas especiais aos 10 minutos das partidas. O Napoli honrou seu maior ídolo de formas adicionais: com uma coroa de flores, um uniforme especial, braçadeira de capitão personalizada e, por fim, uma goleada sobre a Roma no Derby del Sole.

Além disso, a rodada teve uma vitória tranquila do Milan sobre a Fiorentina, que levou sua vantagem na liderança a cinco pontos do segundo colocado – agora, a Inter, sua rival. A Beneamata, por sua vez, dominou o confronto direto com o Sassuolo. O fim de semana ainda teve tropeços de Juventus, Atalanta e Lazio. Confira a análise da jornada.

>>> Classificação e artilharia da Serie A

Milan 2-0 Fiorentina

Gols e assistências: Romagnoli (Kessié) e Kessié (pênalti)
Tops: Kessié e Saelemaekers (Milan)
Flops: Pezzella e Pulgar (Fiorentina)

O Milan mostrou que consegue vencer sem Ibrahimovic e ampliou sua vantagem na liderança para cinco pontos com direito a recorde: chegou a 29 partidas seguidas marcando na Serie A, feito obtido pelo time também em 1972-73. Com a bola rolando, o Diavolo driblou um início equilibrado depois que Kessié desviou escanteio no primeiro pau e o capitão Romagnoli marcou. A Viola respondeu com Vlahovic, que passou por Calabria e acertou a trave com um chute de canhota.

Contudo, Pezzella viria a falhar na marcação e derrubar Saelemaekers. Kessié guardou, mandando a bola no canto superior esquerdo e praticamente definindo a partida no primeiro tempo. Isso porque o marfinense ainda desperdiçou outra cobrança, minutos depois – dessa vez, parou em Dragowski. No segundo tempo, Çalhanoglu acertou a trave e Donnarumma – que assistia à partida de camarote – se esticou todo para evitar um gol de cobertura de Ribéry. A Fiorentina bem que tentou, mas chegou a quatro partidas seguidas sem balançar as redes pela Serie A.

Napoli 4-0 Roma

Gols e assistências: Insigne, Ruiz (Insigne), Mertens e Politano
Tops: Ruiz e Insigne (Napoli)
Flops: Mirante e Dzeko (Roma)

A melhor homenagem que o Napoli poderia ter feito para Maradona seria golear no Derby del Sole, contra a Roma – e do jeito que foi. Logo antes do início da partida, Insigne deixou uma coroa de flores atrás de um dos gols do San Paolo. O capitão marcou um golaço de falta, aos 30 minutos, e, na comemoração, mais uma vez relembrou Diego: exibiu uma camisa 10, de Maradona. Justo a peça inspirada na da Argentina, que os napolitanos estreavam no domingo.

A Roma não teve grandes chances na partida e ainda perdeu Veretout por lesão, o que dificultou ainda mais a vida dos articuladores Pellegrini e Mkhitaryan, e do finalizador Dzeko – todos anulados pela retaguarda azzurra. No segundo tempo, o time da casa marcou três gols em apenas 20 minutos. O chocolate começou com Ruiz chutando no contrapé do goleiro. Mirante, que teve um dia ruim, deu rebote em um chute simples de Elmas e Mertens aproveitou. Para finalizar, no melhor estilo Maradona, Politano passou por cinco defensores – incluindo o goleiro – para encerrar o placar. Um ótimo jogo do Napoli, num dia que será para sempre recordado pelos torcedores.

Kessié celebra: o Milan continua isolado na liderança da Serie A (IPA)

Sassuolo 0-3 Inter

Gols e assistências: Sánchez (Martínez), Chiriches (contra) e Gagliardini (Darmian)
Tops: Darmian e Skriniar (Inter)
Flops: Chiriches e Rogério (Sassuolo)

Na abertura da rodada, tivemos o confronto entre os dois melhores ataques da competição. No Mapei Stadium, a Inter conseguiu driblar desconfianças e expurgar o Sassuolo, seu carrasco, saltando para a vice-liderança da Serie A, com os mesmos 18 pontos dos neroverdi. O time visitante precisou de apenas 15 minutos para abrir 2 a 0. A pressão alta fez efeito e dificultou a saída de bola do Sassuolo: com isso, Martínez conseguiu roubar a posse de Chiriches e tocou para Sánchez marcar. Depois foi a vez de o zagueiro romeno colocar contra o próprio patrimônio, num cruzamento de Vidal.

Com dois de vantagem, o Inter diminuiu o ritmo e os mandantes começaram a gostar da partida, chegando a acertar a trave com Djuricic, em chute da entrada da área. Na segunda etapa, a temperatura do jogo ficou morna, devido ao ótimo trabalho defensivo da Beneamata, que anulou Berardi e Boga. Num contragolpe puxado por Darmian e Gagliardini, o volante fez um bonito gol para fechar o placar e possibilitar que Conte descansasse algumas peças. Era mesmo necessário, pois os nerazzurri precisarão se desdobrar para ganhar do Mönchengladbach, na Alemanha, e manter as chances de classificação às oitavas da Champions League.

Benevento 1-1 Juventus

Gols e assistências: Letizia; Morata (Chiesa)
Tops: Letizia e Schiattarella (Benevento)
Flops: Arthur e Dybala (Benevento)

A Juventus empatou pela quarta vez fora de casa e, com seu desempenho negativo longe de Turim, se distanciou da liderança. Sem Ronaldo, poupado para a Champions League, o time teve dificuldades de chegar ao ataque, principalmente porque Arthur e Dybala tiveram atuação apagada. Mesmo assim, a Juve abriu o placar aos 21 minutos, quando Chiesa encontrou um belo lançamento para Morata dominar e bater cruzado. O segundo quase veio em uma troca de passes rápida entre Ramsey e Dybala, mas o argentino chutou para fora.

Aos poucos, os visitantes foram perdendo o ritmo de jogo e o insinuante Benevento de Pippo Inzaghi ganhou campo. Nos acréscimos da etapa inicial, Szczesny fez uma baita defesa no chute de Schiattarella e mandou a bola para escanteio. Na cobrança, Arthur afastou e viu Letizia empatar com um chute cruzado. No segundo tempo, o ritmo da partida caiu drasticamente, com aumento de passes errados, chutes sem direção e excesso de faltas. Para piorar a situação da Juve, que empatou mais uma vez com um caçula – o outro foi o Crotone, lanterna do campeonato –, Morata foi expulso por ter xingado o árbitro Pasqua, logo após o apito final, e desfalcará a equipe contra o Torino.

Parceria entre Sánchez e Lautaro ajudou a construir a vitória da Inter contra o Sassuolo (LaPresse)

Atalanta 0-2 Verona

Gols e assistências: Veloso (pênalti) e Zaccagni (Veloso)
Tops: Silvestri e Veloso (Verona)
Flops: Rafael Toloi e Mojica (Atalanta)

Acabou a magia? A Atalanta está há três jogos sem vencer na Serie A e, no sábado, perdeu para um rival histórico, que também está brigando por vaga europeia e conseguiu sua primeira vitória longe dos seus domínios desde janeiro. Juric, pupilo de Gasperini, foi capaz de dominar o time do seu mestre na primeira etapa, fazendo com que a Dea tivesse somente um chute a gol. De resto não tivemos muita emoção: o Verona sequer teve uma finalização nesse período, mostrando quão truncada estava a batalha no meio-campo.

Na segunda etapa, os visitantes viram Silvestri efetuar ótima intervenção contra Zapata, mas também começaram a ganhar terreno com a entrada de Miguel Veloso. E consolidaram esse domínio quando Rafael Toloi derrubou Zaccagni na área e o português converteu o pênalti com perfeição, abrindo o placar. Pouco tempo depois do gol, Gollini se machucou e Sportiello entrou em seu lugar para sofrer o segundo tento da partida. Zaccagni recebeu de Veloso, em profundidade, e bateu na saída de goleiro. O Verona venceu a Atalanta em Bérgamo apenas pela segunda vez em 17 jogos e, assim, ultrapassou a Dea na classificação. Os nerazzurri não marcaram pelo segundo jogo seguido no campeonato.

Lazio 1-3 Udinese

Gols e assistências: Immobile (pênalti); Arslan (Pereyra), Pussetto (De Paul) e Forestieri
Tops: Pereyra e De Paul (Udinese)
Flops: Patric e Cataldi (Lazio)

O domingo começou com zebra. A Udinese fez jus às suas cores e a seu apelido e conseguiu uma vitória improvável, depois de passar 11 partidas sem triunfos contra a Lazio. O time friulano precisou de apenas 18 minutos para abrir o placar, depois que Pereyra fez grande jogada e rolou para um chute despretensioso do meia Arslan. Isso desestabilizou a equipe da casa, que não conseguia penetrar a defesa adversária e ainda via os bianconeri criarem chance atrás de chance. Para piorar, De Paul armou contra-ataque após um passe errado de Fares e achou Pussetto, que ampliou no final do primeiro tempo.

Simone Inzaghi, vendo o time apático em campo, voltou do intervalo com três substituições para tentar alguma reação. Porém, pouco mudou e a Lazio viria a sofrer o terceiro com Forestieri, depois de nova falha da zaga celeste. No fim da partida, Jajalo errou ao recuar para Musso, que derrubou Immobile dentro da área. Ciro fez o de honra, mas não apagou a pior atuação que os capitolinos tiveram em 2020-21.

Morata marcou, mas foi expulso no jogo que marcou o tropeço da Juventus ante o Benevento (Getty)

Torino 2-2 Sampdoria

Gols e assistências: Belotti (Singo) e Meïté (Verdi); Candreva e Quagliarella (Candreva)
Tops: Singo (Torino) e Candreva (Sampdoria)
Flops: Bremer (Torino) e Ekdal (Sampdoria)

Na primeira partida da segunda-feira, dois times que precisavam melhorar no campeonato terminaram empatado. O resultado foi pior para o Torino, que mais uma vez deixou pontos pelo caminho após ter a vantagem no placar e permaneceu na zona de rebaixamento. A Sampdoria, por sua vez, ainda mostrou problemas defensivos e acabou sendo salva pelo goleiro Audero.

O time da casa saiu na frente depois que o promissor Singo passou por toda a marcação e cruzou bonito para Belotti marcar, na única finalização em gol no primeiro tempo. As equipes deixaram toda a ação para a segunda etapa e a movimentação começou no banco: insatisfeito, Ranieri fez quatro substituições no intervalo. Deu muito certo, já que a Samp virou com Candreva e Quagliarella. Os dois revezaram as funções: primeiro o atacante serviu o ponta, que aproveitou um bate-rebate e avançou em velocidade, até bater cruzado; depois foi a voz de o camisa 87 servir o veterano com um lançamento, que foi finalizado de voleio. O Toro voltou a empatar depois que Verdi cobrou escanteio e Meïté anotou com bela cabeçada. Os grenás só não viraram porque Audero fez duas ótimas defesas nos acréscimos.

Bologna 1-0 Crotone

Gol: Soriano
Tops: Soriano e Tomiyasu (Bologna)
Flops: Magallán e Luperto (Crotone)

Uma vitória simples, mas muito importante para o Bologna na luta para escapar do rebaixamento. Afinal, além dos três pontos, o time de Mihajlovic segurou o pior ataque do campeonato, encerrou a sequência de 41 jogos seguidos sofrendo gols e evitou um recorde europeu. O Crotone segue sem vencer nesta temporada e, dessa vez, precisou contar com uma atuação segura de Cordaz para não deixar o Dall’Ara com um saldo ainda pior.

Os times não foram muito criativos, mas chegaram algumas vezes ao gol. Skorupski começou fazendo uma boa defesa em cabeçada de Simy, mas trabalhou pouco no restante do duelo. O (sofrido) gol bolonhês veio nos acréscimos da primeira etapa: após boa jogada de Barrow e cabeçada de Sansone, Cordaz defendeu; no rebote Palacio acertou o travessão e, só na segunda sobra, Soriano marcou. Na etapa complementar, Tomiyasu e Palacio ainda perderam excelentes oportunidades para ampliar. O Bologna chegou a 12 pontos, 10 a mais que o Crotone, lanterna do campeonato.

Após mais uma atuação apagada, a Atalanta perdeu para o Verona (LaPresse)

Cagliari 2-2 Spezia

Gols e assistências: João Pedro e Pavoletti (Zappa); Gyasi (Bastoni) e Nzola (pênalti)
Tops: Cragno (Cagliari) e Bastoni (Spezia)
Flops: Klavan (Cagliari) e Erlic (Spezia)

Em uma partida pouco badalada à primeira vista, tivemos muitas emoções – e gols. As redes poderiam ter sido balançadas muito mais vezes se Cragno não mostrasse sua forma habitual e fizesse algumas grandes defesas, como a realizada em chute do brasileiro Diego Farias. Ainda no primeiro tempo, um Spezia dominante viu Bastoni avançar pela esquerda e cruzar na medida para Gyasi fazer o primeiro.

Os visitantes adotaram postura mais defensiva e conseguiram segurar as tentativas de ataque do Cagliari, só que tudo mudou no início da segunda etapa. João Pedro voltou a salvar os sardos com um chute cruzado, que ainda bateu na trave antes de entrar. Logo depois, Zappa recebeu livre e cruzou rasteiro para Pavoletti – de letra – virar o jogo, em sua primeira chance como titular após uma lesão que o afastou por 18 meses. Os mandantes tinham a vitória até os 92 minutos, mas Klavan cometeu um pênalti bobo e Nzola converteu. Com isso, o time de Italiano conquistou seu oitavo ponto fora de casa e ratificou seu papel de visitante indigesto.

Genoa 1-2 Parma

Gols e assistências: Shomurodov; Gervinho (Kucka) e Gervinho
Tops: Gervinho e Kucka (Parma)
Flops: Zapata e Bani (Genoa)

No encerramento da rodada, o Parma venceu o Genoa fora de casa e empurrou os rossoblù para a zona de rebaixamento. Para alcançar a vitória, o time contou com a doppietta de Gervinho, que se juntou a Cristiano Ronaldo e Ibrahimovic como os únicos jogadores que anotaram dois gols fora de casa duas vezes neste campeonato. O marfinense fez o primeiro com 10 minutos, se infiltrando na zaga e recebendo de Kucka para marcar.

Ainda na primeira etapa, Gervinho driblou um defensor e quase marcou o segundo: o goleiro Paleari desviou levemente e a bola acertou o travessão. Contudo, o veloz atacante anotou novamente aos dois minutos do segundo tempo, aproveitando um erro de corte de Zapata. O Genoa, que havia perdido chances incríveis na etapa inicial, com Shomurodov e Scamacca, descontou com o atacante uzbeque. Apesar da redenção de Eldor, nada mais ocorreu e os crociati respiraram na competição.

Seleção da rodada

Silvestri (Verona); Skriniar (Inter), Manolas (Napoli), Romagnoli (Milan); Darmian (Inter), Ruiz (Napoli), Veloso (Verona), Kessié (Milan), Zaccagni (Verona); Gervinho (Parma), Insigne (Napoli). Técnico: Ivan Juric (Verona).

Deixe um comentário