Liga dos Campeões

Em noite tensa, Inter e Atalanta mantêm chances de avançar às oitavas da Champions League

A terça de Champions League foi de sofrimento para os nerazzurri, mas garantiu final feliz para Inter e Atalanta. Na Alemanha, a equipe de Antonio Conte fez uma partida tensa contra o Mönchengladbach, mas conseguiu o único resultado que lhe interessava: venceu por 3 a 2 e ganhou sobrevida no Grupo B, que chega aberto à última jornada desta etapa do torneio. Por sua vez, no Grupo D, a Atalanta empatou em casa contra o Midtjylland, mas continua precisando apenas de um empate contra o Ajax, na rodada final.

Mönchengladbach 2-3 Inter

Na Alemanha, a partida começou com a Inter optando por não pressionar tão forte como o esperado, utilizando apenas Lautaro e Lukaku num primeiro esforço defensivo e segurando Brozovic. O Borussia Mönchengladbach tinha a bola e buscava fazê-la circular de um lado ao outro do campo, esperando uma brecha para acelerar pelos flancos e levantá-la na área. Depois de 10 minutos com essa dinâmica, a Inter modificou um pouco suas ideias, encaixando Darmian e Young mais altos no campo e avançando Brozovic para pressionar a saída de bola dos alemães. Deu certo.

O time de Conte cresceu na partida, começou a sair jogando de maneira limpa e encontrou em Lukaku uma certeza para o jogo direto. O belga esteve muito bem na função de receber a bola e efetuar apoios para seus companheiros, progredindo em sua atuação dessa forma. Aos 17 minutos, o gol saiu. O time se estabeleceu em campo ofensivo, De Vrij encontrou Barella e o meia achou Brozovic em boa posição entre as linhas rivais. Brozo procurou Lukaku no pivô e o belga apenas ajeitou a bola para Gagliardini, que rolou para Darmian invadir o espaço e finalizar no canto inferior direito, por entre as pernas de Sommer.

Os minutos seguintes foram de uma Inter superior em campo. A Beneamata aproveitou o impacto do primeiro gol para continuar em cima e tentar aumentar a vantagem. Skriniar foi muito bem, realizando a saída pelo lado direito, e Brozovic ajustou a construção de jogo, tão problemática contra o Real Madrid. Mas todo o brilho, outra vez, acabava ficando com a dupla LuLa: Lukaku e Lautaro ofereciam apoios, se procuravam e faziam toda a engrenagem funcionar. Contudo, se era superior em campo, a Inter não conseguiu aproveitar as chances que criou e, depois dos 35, o cenário mudou.

O Gladbach subiu suas linhas, encaixou a pressão aos interistas que tinham a bola e a saída nerazzurra, que estava sendo bem executada, virou um problema. Pléa foi fundamental nesse trabalho, alternando entre sufocar De Vrij e tapar as linhas de passe com Brozovic. O time de Marco Rose roubou a bola em campo ofensivo algumas vezes e conseguiu chegar até a linha de fundo, principalmente pelo lado direito, com a dobradinha entre Lazaro e Lainer. Se os cruzamentos acabavam saindo sem o acerto esperado, a Inter não somava mais saídas e, aos 47 minutos, o empate aconteceu.

Stindl recebeu a bola na entrada da área e, com um belo tapa de canhota, encontrou Lazaro em posição de vantagem. O austríaco, emprestado pela Inter ao clube alemão, colocou a bola na cabeça de Pléa, que bateu Skriniar e testou para a rede, sem chances para Handanovic.

Preocupado com o bom trabalho de pivô de Lukaku, que estava conectando a Inter através de seus apoios, Rose trocou Jantschke por Zakaria, mais jovem, mais forte e mais veloz. O suíço ganhou a missão de acompanhar o belga de perto e acabou não tendo uma noite muito agradável: o centroavante da Inter voltou ainda melhor para a segunda etapa. Em uma jogada pelo corredor direito, Lautaro se aproveitou da parede de seu companheiro, driblou o defensor e finalizou bem, mas a bola caprichosamente beijou a trave e saiu. Alguns minutos depois, não teve jeito para o Borussia.

De Vrij roubou a bola na zona central, Brozovic conduziu e rolou para Lukaku, que estava no mano a mano contra Zakaria. Romelu arrastou o defensor suíço por cerca de 25 metros, invadiu a grande área e ,com a perna direita, finalizou cruzado, sem chances para Sommer. O Mönchengladbach sentiu muito o gol e a Inter perdeu uma boa oportunidade em seguida, com Lautaro. Conte resolveu, então, trocar o argentino por Sánchez, que encontrou belo passe para Hakimi pelo corredor direito com apenas dois minutos em campo. O marroquino avançou e cruzou na medida para Lukaku marcar o terceiro.

O jogo parecia sob controle, mas em apenas dois minutos, tudo mudou. Sánchez segurou demais a bola na zona central do campo, o Borussia recuperou a posse e Thuram encontrou Pléa, que descontou com um chute sem chances para Handanovic. O gol levantou a moral dos donos da casa e colocou uma dúvida na cabeça dos nerazzurri – que acabaram desperdiçando algumas oportunidades claríssimas. Com isso, os minutos seguintes foram positivos para os alemães. Aos 84, Pléa chegou a anotar o gol do empate, mas Embolo estava em posição de impedimento e atrapalhou a ação de Handanovic no lance.

O final de jogo foi tenso, mas a Inter segurou o resultado e se manteve com chances de classificação para as oitavas da competição. Na última rodada, a equipe de Milão (com 5 pontos) precisa vencer o Shakhtar Donetsk (7 pontos) em San Siro e torcer para que a partida entre Real Madrid (7) e Mönchengladbach (8) não termine empatada. Todas as equipes do Grupo B têm chances de passar de fase.

Romero marcou o gol de empate da Atalanta contra o Midtjylland, no Gewiss Stadium (Getty)

Atalanta 1-1 Midtjylland

Em Bérgamo, a Atalanta recebeu o Midtjylland e tinha como missão garantir uma vitória, que lhe colocaria em posição de vantagem no Grupo D independentemente do resultado entre Liverpool e Ajax, em Anfield. Assim, poderia empatar contra os holandeses, em Amsterdã, e avançar para as oitavas da competição.

Essa atenção extra fez com que a Dea entrasse em campo níveis abaixo em concentração e a equipe dinamarquesa, já eliminada e sem nenhuma obrigação, aproveitou para fazer uma partida bastante competitiva e somar seu primeiro ponto. O Midtjylland marcou com intensidade, sabendo conectar passes com os laterais e contra-atacando com velocidade.

O jogo começou bem aberto e, logo aos 7 minutos, Kaba trabalhou bem no pivô e Anderson disparou com liberdade pela direita. O meia entrou na área e, no momento que iria se conectar com Mabil, Romero apareceu com o corte providencial. Pouco depois, a Dea respondeu. Dessa vez foi Zapata quem apareceu bem no pivô, passando para Muriel receber e, num toque simples, deixar Hateboer em condição de finalizar – porém, o goleiro Hansen realizou uma boa defesa.

Numa partida tão aberta, o gol não demoraria mesmo a sair. Aos 13 minutos, a equipe visitante cobrou falta buscando a entrada da área e Freuler afastou. Andersson recolocou a bola na direção da grande área e Kaba apenas ajeitou, antes de Scholz soltar um petardo e marcar um belo tento.

Depois do gol, o Midtjylland foi empurrado alguns metros para trás por uma Atalanta com maiores recursos técnicos e individuais, mas se manteve com boa postura e deixava uma pulga atrás da orelha dos nerazzurri. O time de Bérgamo trocou passes, conectou os pontos, e atacou. Mas a falta de efetividade foi uma grande questão para Gasperini resolver.

Na volta para o segundo tempo, o técnico trocou Gómez por Ilicic, mas a mudança e a conversa no vestiário pouco surtiram efeito: a Dea continuou jogando abaixo do esperado. Na realidade, a equipe dinamarquesa esteve muito perto de aumentar a vantagem, com Kaba completando um cruzamento com o calcanhar e mandando a bola no travessão. Seria um golaço e os nerazzurri contaram muito com a sorte.

Gasperini fez as últimas trocas que podia e o menino Diallo – já vendido ao Manchester United – trouxe uma nova energia para a equipe. Ofereceu drible, criatividade e uma mudança de postura, que fez a Dea martelar até o empate – que aconteceria aos 79 minutos.

Os donos da casa circularam a bola de um lado ao outro e Hateboer ficou livre, com muito espaço para realizar o cruzamento. A pelota foi enviada com perfeição e Romero apareceu perto da pequena área, como um verdadeiro centroavante, para testar para o fundo da rede e empatar o duelo. Os minutos finais foram de uma Atalanta que pressionou, mas não alcançou a virada.

Como o Ajax acabou derrotado pelo Liverpool, mesmo com o tropeço inesperado, a Atalanta entra na rodada final do Grupo D com a vantagem de empatar em Amsterdã. Os Reds, com 12 pontos, já garantiram a liderança da chave, enquanto a Dea tem 8 e os holandeses têm 7: por isso, a paridade classificará o time bergamasco para o mata-mata da Liga dos Campeões pela segunda temporada consecutiva.

Deixe um comentário