Serie A

24ª rodada: Milan mantém perseguição à Inter após bater a Roma em jogaço no Olímpico

Antes mesmo de começar, a 24ª rodada da Serie A teve uma baixa: a jornada estava prevista para começar na sexta, mas o jogo entre Torino e Sassuolo foi adiado para 17 de março por conta de um surto de covid-19 no elenco grená. Nos nove jogos restantes do fim de semana, porém, não faltou emoção – e o prato principal do cardápio foi um deleite.

No duelo espetacular entre Roma e Milan, os visitantes saborearam uma bela vitória e mantiveram a distância de quatro pontos para a Inter, que venceu o Genoa e continua na ponta da tabela. Por sua vez, além da Loba, outra adversária da dupla lombarda na corrida pelo título tropeçou: a Juventus, que ficou no empate com o Verona. Mais abaixo, no pelotão europeu, Atalanta e Napoli conseguiram triunfos importantes, enquanto a Lazio foi surpreendida. O fim de semana ainda reservou ao Cagliari o fim de sua longa sequência sem somar três pontos. Confira tudo no nosso resumão.

>>> Classificação e artilharia da Serie A

Roma 1-2 Milan

Gols e assistências: Veretout (Spinazzola); Kessié (pênalti) e Rebic (Saelemaekers)
Tops: Tomori e Rebic (Milan)
Flops: Fazio e Mancini (Roma)

A rodada terminou com um jogo que pode, tranquilamente, entrar na lista dos melhores do campeonato. Milan e Roma brigaram até o fim pela vitória e repetiram a intensidade do movimentado duelo do primeiro turno, encerrado em 3 a 3. No Olímpico, a partida até teve menos bolas nas redes, mas contou com ainda mais oportunidades de gol – 35 finalizações, contra as 25 de San Siro. Nesse contexto, o time visitante foi melhor e honrou o posto de visitante de maior aproveitamento na Serie A. Até poderia ter construído um resultado mais elástico, mas não soube aproveitar os muitos erros da retaguarda romanista.

O Milan pressionou desde o começo e contou com a falta de velocidade de Fazio, a insegurança de Pau López com os pés e a imprecisão de Cristante, Villar e Mancini. Os rossoneri chegaram a ter dois gols anulados nos minutos iniciais e testaram bastante o arqueiro espanhol, que respondeu muito bem quando teve que usar as mãos. Depois que Kjaer acertou o travessão e Mkhitaryan perdeu uma oportunidade e teve um tento anulado, o Diavolo abriu o placar: aos 41, Fazio cometeu pênalti sobre Calabria e Kessié converteu com maestria.

A Roma voltou ligada para o segundo tempo e empatou aos 50, com bela finalização de Veretout – novo artilheiro giallorosso na Serie A, com 10 gols. Só que o sonho da virada durou apenas oito minutos: Pau López saiu jogando errado com os pés e Saelemaekers tocou para Rebic, que girou em cima de Mancini para sair da marcação e colocar o time novamente na frente. O time da casa tentou o empate de todas as formas, mas parou em boas defesas de Donnarumma e na atuação imponente de Tomori, substituto de Romagnoli no centro da zaga.

Inter 3-0 Genoa

Gols e assistências: Lukaku (Martínez), Darmian (Lukaku) e Sánchez
Tops: Lukaku e Barella (Inter)
Flops: Zapata e Goldaniga (Genoa)

Apenas 32 segundos: esse foi o tempo necessário para Lukaku marcar o primeiro gol da partida e encaminhar a tranquila vitória da Inter sobre um Genoa que vem em boa fase, mas não foi páreo para a líder do campeonato. Com a confiança no alto, o melhor jogador da competição até o momento continuou ajudando a Beneamata a pressionar e exigir bastante de Perin. Além de boas defesas, o goleiro rossoblù teve de torcer quando Barella acertou o travessão e Darmian quase mandou para as redes, de cavadinha.

No segundo tempo, Ballardini logo gastou quatro substituições para tentar reverter o placar, mas a Inter ampliou depois que Lukaku fez uma ótima jogada. O belga carregou a marcação e abriu espaço para a infiltração de Darmian, que recebeu livre para bater rasteiro e vencer Perin. O capitão visitante evitou a doppietta de Romelu, mas Sánchez não desperdiçou o rebote e fez o terceiro. O quarto só não saiu porque o camisa 1 fez baita defesa em chute de D’Ambrosio, mas isso não fez diferença para o resultado: pela sexta vez seguida, a Beneamata bateu o Genoa sem sofrer um golzinho sequer e manteve a vantagem na liderança.

Mais uma vez, Lukaku foi o grande comandante de uma vitória da Inter (AFP/Getty)

Verona 1-1 Juventus

Gols e assistências: Barák (Lazovic); Ronaldo (Chiesa)
Tops: Barák (Verona) e Chiesa (Juventus)
Flops: Sturaro (Verona) e Demiral (Juventus)

No último jogo do sábado, Verona e Juventus honraram o histórico de confrontos truncados no Bentegodi: em duelos entre os times no estádio, temos 11 triunfos dos mandantes, oito dos visitantes e 11 empates. Dessa vez, a paridade foi condizente com o que ocorreu em campo, visto que nenhuma das equipes conseguiu estabelecer domínio sobre a outra.

No primeiro tempo, a Juve até pressionou mais, embora os mandantes tenham assustado primeiro, com uma cabeçada de Faraoni na trave. Logo depois do intervalo, aos 49 minutos, Ramsey achou Chiesa em profundidade e o ponta rolou para Ronaldo chegar chutando para abrir o marcador. Após o gol sofrido, o Verona se animou e saiu para o jogo: começou a ficar com a bola, utilizando-se do controle estabelecido por Miguel Veloso, Zaccagni e Barák no meio-campo, e foi indo para cima de um adversário cansado e fechado na defesa.

Aos 77, Lazovic cruzou na área e Barák ganhou de Alex Sandro, empatando de cabeça. O Hellas só não virou graças a Szczesny, que contou com as pontas dos dedos e o travessão para evitar a virada de Lazovic. Apesar do tropeço, a Velha Senhora se manteve na terceira posição, com 46 pontos, enquanto o Verona é o nono, com 35.

Sampdoria 0-2 Atalanta

Gols e assistências: Malinovskyi (Muriel) e Gosens (Maehle)
Tops: Malinovskyi e Sportiello (Atalanta)
Flops: Candreva e Thorsby (Sampdoria)

Poupando muitos nomes por causa do dérbi contra o Genoa, na quarta, Ranieri decidiu enfrentar a Atalanta com um time misto. O início da partida até foi bom para a Sampdoria, que ganhava quase todos os duelos e, por sua vez, obrigava Sportiello a atuar com boas defesas. Só que, aos 40 minutos, uma Dea menos brilhante do que o habitual produziu uma de suas jogadas cheias de artifícios: Muriel saiu da área, arrastando a marcação, e só ajeitou para que Malinovskyi se infiltrasse no espaço e inaugurasse o placar com um de seus chutaços.

Ranieri lançou mais titulares em campo por volta dos 60 minutos, na tentativa de buscar o empate. Só que, mesmo com as mudanças, a Dea passou a mandar na partida e incomodar bastante com jogadas criadas por Malinovskyi e Ilicic, que também entrou no segundo tempo. Aos 70, Maehle cruzou e Gosens, como sempre, invadiu a área para deixar o seu, dessa vez de carrinho. A Sampdoria não chutou a gol nenhuma vez na segunda etapa e ainda teve de lidar com os contra-ataques perigosos da Atalanta. Se não fosse Audero, a vantagem dos visitantes – que agora dividem a terceira posição com a Juventus – poderia ter sido maior.

Em dia pouco brilhante, a Juventus de Ronaldo parou na marcação do Verona (imago)

Napoli 2-0 Benevento

Gols e assistências: Mertens e Politano
Tops: Ghoulam e Rrahmani (Napoli)
Flops: Depaoli e Ionita (Benevento)

No reencontro entre os times de Gattuso e Pippo Inzaghi, ex-companheiros de Milan, o Napoli voltou a levar a melhor, como ocorrera no primeiro turno. A partida era considerada de risco para os azzurri, que continuam oscilando na temporada e precisavam responder à eliminação ante o Granada, na Europa League. A atuação dos donos da casa passou longe de ser brilhante, mas serviu para somar três importantes pontos e levar os partenopei para a sexta posição – o Benevento, por sua vez, é o 14º.

Com a bola rolando, tivemos 30 minutos bem sonolentos até o gol do Mertens, que aproveitou um cruzamento de Ghoulam desviado no meio do caminho. Na volta do intervalo, Roberto Insigne, irmão de Lorenzo, entrou no lugar Schiattarella para tentar achar o empate para os visitantes. Só que o Benevento foi pouco efetivo ofensivamente ante uma defesa comandada por Rrahmani – e não por Koulibaly, como de hábito. O confuso gol de Politano, depois de um novo cruzamento na área, praticamente decretou o placar final e nem mesmo a tola expulsão do colosso senegalês alterou o andamento da partida.

Bologna 2-0 Lazio

Gols e assistências: Mbaye e Sansone (Barrow)
Tops: Skorupski e Soumaoro (Bologna)
Flops: Immobile e Milinkovic-Savic (Lazio)

A grande surpresa da rodada foi a bela vitória do Bologna em cima da Lazio, o que não ocorria havia nove anos. Depois da derrota dolorida para o Bayern Munique na Champions League, a equipe da capital buscava continuar na briga pela classificação na competição europeia e teve chances de levar os três pontos para casa. Aos 17, uma penalidade foi marcada para os laziali e Immobile cobrou mal, favorecendo a defesa de Skorupski. Exatos 80 segundos depois, Reina espalmou um chute de Orsolini e Mbaye marcou no rebote.

Na primeira grande jogada do segundo tempo, Barrow cruzou na área e Sansone aproveitou o erro no tempo de bola de Patric e acertou um belo voleio, ampliando o placar – os dois jogadores do Bologna participaram de quatro gols em fevereiro, perdendo apenas para Lukaku e Muriel em influência nos jogos. Com a desvantagem, a Lazio tentou encostar no placar, mas não conseguiu, ainda que tenha ficado com a bola por 60% do tempo: quando chamado em causa, Skorupski se mostrou pronto novamente e efetuou outra defesa importante. Com a primeira vitória sobre os celestes desde 2012, o Bologna de Mihajlovic chega a quatro jogos de invencibilidade e estaciona no meio da tabela, ao passo que os celestes caem para a sexta posição.

Skorupski fez defesas importantes e foi o nome da vitória do Bologna sobre a Lazio (LaPresse)

Crotone 0-2 Cagliari

Gols e assistências: Pavoletti (Lykogiannis) e João Pedro (pênalti)
Tops: Pavoletti e Godín (Cagliari)
Flops: Luperto e Magallán (Crotone)

Quase quatro meses depois o Cagliari voltou a vencer e deixou para trás uma sequência de 16 rodadas sem triunfos. Semplici deu um choque de realidade no time anteriormente comandado por Di Francesco e bateu o Crotone, adversário direto na corrida contra o rebaixamento e cada vez mais afundado na lanterna. Para tanto, o novo treinador ajeitou a defesa, que teve boa atuação de Godín, e apostou no jogo direto para o grandalhão Pavoletti.

A primeira etapa não teve finalizações na direção dos gols, mas os mandantes chegaram a incomodar com Ounas e Junior Messias. Depois do intervalo, o Cagliari cresceu e construiu o resultado em apenas quatro minutos. Pavoletti voltou a marcar depois de três meses e logo com sua especialidade: o cabeceio. Foi o 21º gol do centroavante com este fundamento desde 2018 e só Lewandowski o supera neste quesito nas cinco grandes ligas europeias. O atacante ainda foi derrubado na área pouco depois e possibilitou que o brasileiro João Pedro garantisse a vitória com um pênalti bem batido. Com a vantagem, o Cagliari recuou e começou a sofrer: teve Lykogiannis expulso e viu o Crotone colocar duas bolas na trave, mas a boa postura defensiva foi o bastante para segurar o triunfo.

Udinese 1-0 Fiorentina

Gols e assistências: Nestorovski (De Paul)
Tops: Becão e Nestorovski (Udinese)
Flops: Malcuit e Milenkovic (Fiorentina)

Udinese e Fiorentina têm muitas semelhanças. Estão no meio da tabela, têm como objetivo fugirem do rebaixamento e, embora tenham boas peças, praticam um futebol muito pobre – o que se viu em todo o duelo no Friuli. As duas equipes apostavam nas individualidades para conseguirem os três pontos e quem levou a melhor foram os mandantes, que só conseguiram marcaram no final da partida.

Muito tediosa, a partida só ganhou algum fôlego depois que Gotti sacou Llorente e inseriu o jovem Braaf, emprestado pelo Manchester City. Mas a jogada que decretou a primeira vitória da Udinese sobre a Fiorentina desde 2016 saiu dos pés de De Paul: aos 86, o argentino cruzou para Nestorovski, que aproveitou o erro de tempo de bola de Milenkovic para marcar, de cabeça.

Pavoletti e João Pedro marcaram e fizeram o Cagliari voltar a vencer após jejum de 16 rodadas (Getty)

Spezia 2-2 Parma

Gols e assistências: Gyasi (Maggiore) e Gyasi (Verde); Karamoh (Gagliolo) e Hernani (Brunetta)
Tops: Gyasi (Spezia) e Karamoh (Parma)
Flops: Estévez (Spezia) e Osorio (Parma)

No jogo que abriu a rodada, Spezia e Parma duelaram no intuito de fugirem do rebaixamento. Em uma partida ligeiramente equilibrada, cada time se saiu melhor em um tempo. Quem mandou na primeira etapa foi o Parma, que abriu vantagem de 2 a 0 nos primeiros 25 minutos: aos 17, Karamoh invadiu a área, driblou Bastoni e chutou forte para abrir o placa; depois, foi a vez do brasileiro Hernani resvalar na bola após cobrança de falta de Brunetta e ampliar.

O Spezia até marcou no primeiro tempo, mas o VAR pegou impedimento de Bastoni e anulou o tento de Maggiore. O lance, porém, anteciparia o crescimento dos donos da casa após alterações feitas pelo técnico Italiano. Os bianconeri marcariam o primeiro aos 52: o próprio Maggiore fez boa jogada pela direita e cruzou para Gyasi, que jogou o corpo para colocar a bola para as redes. O empate viria novamente com o ítalo-ganês, que anotou a sua primeira doppietta na elite ao desviar o cruzamento rasteiro de Verdi. Depois de sofrer o segundo gol, o Parma voltou a atacar, mas não superou Provedel e amargou um resultado ruim para as suas pretensões.

Torino-Sassuolo

Adiado para 17 de março em virtude de surto de covid-19 no elenco do Torino.

Seleção da rodada

Skorupski (Bologna); Darmian (Inter), Godín (Cagliari), Tomori (Milan), Ghoulam (Napoli); Barella (Inter), Kessié (Milan), Malinovskyi (Atalanta); Gyasi (Spezia), Lukaku (Inter), Rebic (Milan). Técnico: Antonio Conte (Inter).

Compartilhe!

1 Comentário

Deixe um comentário