Serie A

Inegáveis exemplos

Às vezes nosso medo de parecer parcial faz com que tentemos ser totalmente imparciais e, aí, acabemos sendo mais parciais ainda, só que para o outro lado. Enfim…

Muitas vezes, as torcidas brasileiras de times europeus são vistas com maus olhos por aqui. Até porque, normalmente, essas não têm uma união característica ou simplesmente não são tão apaixonadas assim, seguindo apenas modismos e bombardeios midiáticos. Fato é que, desde a iniciativa do apaixonado e sonhador Antonio Carlos Zamarian, vulgo Lupulus, 34, ao criar uma filial brasileira do fórum Portale Romanista, a tifoseria giallorossa tem se diferenciado. Freqüentemente citado pelo comentarista Silvio Lancellotti, o que iniciou como um ponto de encontro virtual entre romanistas virou uma paixão que já ganhou destaque em veículos italianos. Não é raro encontrar algo relacionado com esses brasileiros no diário do time, Il Romanista.

A expansão do fórum tornou-se tamanha que, após muito tempo de planejamento, foi criado em março de 2007 um clube oficial para torcedores daqui, o Roma Club Brasil. Provavelmente, e me corrijam se eu estiver errado, a primeira agremiação oficial de adeptos brasileiros de um clube europeu. A idéia inicial era ter um próprio regimento e um ponto ainda mais claro para os nascidos aqui, visto que o fórum sempre foi de propriedade italiana, ou seja, nunca houve uma total propriedade por parte dos brasileiros. Além disso, os fundadores Igor Corva, 35, romanista de Trieste e casado com uma brasileira, e o mesmo Zamarian, pretendiam alçar o clube em projetos sociais, indo muito além de comentários cibernéticos e encontros, o que já é de praxe lá.

Explicando: Esses encontros são reuniões que ocorrem em pontos pré-determinados dentro do fórum, levando vários ‘filhos da loba’ à experiência de conhecer outros pessoalmente. Sempre dispostos, os romanistas já realizaram em torno de 15 reuniões assim, em locais que variam conforme vontade e disponibilidade de quem demonstra interesse em comparecer. Além de tudo isso, são anualmente confeccionadas camisas para o Encontro Nacional, que é mais uma formalidade em relação aos outros e tenta abranger o maior número de pessoas – contando assim, teoricamente, com maior número de tentativas de participações.

Poderia se dizer que o escrito acima foi uma introdução para o fato em si, que vem agora: Todo ano, a Roma lança uma campanha de doação de sangue (com propagandas que provam o porquê dos giallorossi terem sido jogadores de futebol, e não atores), incentivando a todos para um gesto bondoso – em 2008, por exemplo, a caridade valerá um ingresso da equipe. Provando cada vez mais o diferencial daqueles que daqui apóiam a squadra da capital, o Roma Club Brasil incentivou e organizou o mesmo gesto em terras brasileiras. Como noticiado pelo Il Romanista, doadores de Florianópolis, São Paulo e Curitiba contribuíram com essa ação que pode parecer pequena, mas ajuda muito a quem não conhecemos e prova que, acima de tudo, o futebol pode unir e contribuir com o que nunca enfrentamos. Parabéns aos idealizadores e participantes. E que venham muitas outras ações assim.

Zamarian, em momento pré-doação, tomando iniciativa em Curitiba-PR.

Alguma história parecida relacionada a torcidas brasileiras de alguma equipe italiana? Mande-nos um e-mail.

1 comentário

  • Bravo Mateo!

    Agradeço o carinho de estar apresentando aos leitores do conceituado 4tratti o trabalho que temos feito e conquistado com o passar dos anos. Me sinto horando por ter lançado a inciativa de tudo isto. Como retribuição recebo o carinho e amizade de tantos romanistas pelo Brasil a fora e o orgulho de poder difundir o outro lado de seu torcer com amor por um time além das fronteiras do Brasil. Antes de mais nada é preciso entender e respeitar as decisões de cada um. Sou muito criticado por sustentar amor pela Roma lá fora, mas as vezes, os críticos esquecem de saber os porquês. Nem por isto não deixo de torcer pelo meu time aqui no Brasil. De qualquer forma, a sua reportagem Mateus responde levemente a quem tanto critica um “pizzico” dos porquês.

    abraços a todos leitores

Deixe um comentário