Serie A

…cade la baby-Azzurra



Há 22 anos, a Alemanha Oriental vencia a Itália por 3 a 1 na final do Campeonato Europeu Sub-18. Por ironia do destino, os alemães só voltaram a comemorar o título do torneio (agora sub-19) sobre os italianos, neste sábado, em Jablonec. O técnico Horst Hrubesch mandou a campo praticamente a mesma equipe que havia passado pela República Tcheca nas semifinais – o único desfalque foi Nsereko, suspenso. Em seu lugar, entrou Sukuta-Pasu. Do lado italiano, Francesco Rocca tirou Formiconi para lançar Forestieri desde o início da partida. O lateral-esquerdo Albertazzi também foi sacado do time titular, em favor de Bruscagin.

A Itália começou a final pressionando e quase marcou com o milanista Paloschi encobrindo o goleiro Zieler, após uma indecisão da defesa alemã. Mas quem abriu o placar foi a Alemanha, com um chute indefensável de Lars Bender no canto esquerdo de Fiorillo, que só pôde observar. A expulsão do capitão Jungwirth serviu para segurar o ímpeto alemão e dar um novo fôlego aos azzurrini, mas ainda assim a Alemanha saiu do primeiro tempo com uma merecida vitória parcial.

O time de Hrubesch voltou mais bem disposto em campo, o suficiente para conter a pressão de uma Itália inócua e desorganizada, que tropeçava em si mesma e se abria para os contra-ataques alemães mesmo jogando com um homem a mais. Num destes, Gebhart trabalhou a jogada para Sukuta-Pasu ampliar a vantagem. Ainda mais confusa, a Itália se desmontava a cada golpe alemão: não foi cena rara ver Okaka Chuka voltar até a intermediária para armar o jogo, deixando Paloschi isolado no ataque.

O sonho italiano do título europeu deixou o campo junto do zagueiro Gentili, expulso infantilmente por soma de amarelos. Mesmo desanimados, os azzurrini ainda conseguiram descontar com Raggio Garibaldi, numa apresentação consideravelmente abaixo da média daquelas realizadas durante a competição. O meia genovês marcou após um bom lance de Mazzarani e Forestieri pela direita, mas no minuto seguinte, Gebhart, nome da partida, fez o terceiro gol alemão para matar o jogo e qualquer esperança de revanche italiana.

Leia no Olheiros um review das finalistas do torneio, além do que de melhor aconteceu nas outras seleções.

Itália 1-3 Alemanha
Gols: 24’pt Bender; 16’st Sukuta-Pasu, 32’st R. Garibaldi, 34’st Gebhart
ITÁLIA (4-3-1-2): Fiorillo; Darmian, Gentili, Tagliani, Bruscagin; Mazzarani, Raggio Garibaldi, Poli (1’st Bonaventura); Forestieri (36’st Eusepi); Paloschi (14’st Zamblera), Okaka Chuka. Técnico: Francesco Rocca.
ALEMANHA (4-4-1-1): Zieler; Kopplin, Reinartz, Jungwirth, Diekmeir; Risse (39’pt Latza), Lars Bender (21’st Toprak), Sven Bender, Gebhart; Naki (44’st Oczipka); Sukuta-Pasu. Técnico: Horst Hrubesch.
Árbitro: William Collum (Escócia)
Amarelos: Gentili, Jungwirth, Bonaventura, Gebhart, Tagliani, Kopplin
Expulsões: 36’pt Jungwirth; 24’st Gentili



3 comentários

Deixe um comentário