Serie A

Balanço final: Cagliari

Lazzari, Diego López e Acquafresca: alicerces da surpresa da temporada

A CAMPANHA 9ª colocação, 53 pontos. 15 vitórias, 8 empates, 15 derrotas.
FORA DA SERIE A Eliminado pela Reggina no quarto turno da Coppa Italia.
O ATAQUE 49 gols, o 9º mais positivo.
A DEFESA 50 gols, a 9ª mais vazada.
OS ARTILHEIROS Robert Acquafresca (14 gols), Jeda (11), Alessandro Matri (6).
OS ONIPRESENTES Andrea Lazzari e Robert Acquafresca (36 jogos), Federico Marchetti, Jeda e Michele Fini (35).
O TÉCNICO Massimiliano Allegri
QUEM DECIDIU Robert Acquafresca
QUEM DECEPCIONOU Carlos Matheu
QUEM SURGIU Jeda
QUEM SUMIU Cristiano Lupatelli
MELHOR CONTRATAÇÃO Robert Acquafresca
PIOR CONTRATAÇÃO Carlos Matheu
NOTA DA TEMPORADA 8

De quem jogou mais de cinco partidas na temporada, o único que desafinou foi o zagueiro argentino Matheu, que não repetiu as boas atuações que tinha no Independiente. De resto, os titulares dominaram e os reservas sempre estiveram à altura: o melhor exemplo vem dos dois jogadores que mais vezes atuaram na Serie A. Enquanto Acquafresca foi titular absoluto, Lazzari nunca se firmou nos onze mesmo com ótimas partidas, mas foi fundamental para a campanha rossoblù.

Muito dos méritos vão para Allegri, eleito o melhor técnico da terceira divisão e ótimo estreante na primeira, dando entusiasmo para um time que apresentou o futebol mais envolvente da temporada. E para o presidente Massimo Cellino, que surpreendeu e o bancou mesmo após o começo com cinco derrotas seguidas. Entre os resultados marcantes, vitória sobre a Juventus em Turim, goleada na Lazio em Roma e o feito de ter sido a única equipe que a Inter não conseguiu vencer na Serie A: empate no Meazza, vitória de virada no Sant’Elia.

O goleiro Marchetti correspondeu às expectativas e o meio-campo com Fini, Conti e Biondini, com Cossu na ligação com o ataque, fez misérias. Na frente, o brasileiro Jeda ganhou notoriedade nacional aos trinta anos e Acquafresca se tornou objeto de desejo de meia Itália. Se a equipe chegou perto daquela campanha de 1992-93 liderada por Oliveira e Francescoli e só saiu da briga pela Liga Europa a três rodadas do fim, com certeza mereceu.

Deixe um comentário