Serie A

Balanço final: Internazionale

17º scudetto da Inter: o último de Figo e o primeiro de Santon

A CAMPANHA 1ª colocação, 84 pontos. 25 vitórias, 9 empates, 4 derrotas. Campeã e classificada para a fase de grupos da Liga dos Campeões.
FORA DA SERIE A Campeã da Supercopa Italiana contra a Roma, eliminada nas semifinais da Coppa Italia pela Sampdoria e nas oitavas de final da Liga dos Campeões pelo Manchester United.
O ATAQUE 70 gols, o mais positivo.
A DEFESA 32 gols, a melhor defesa.
OS ARTILHEIROS Zlatan Ibrahimovic (25 gols), Mario Balotelli (8), Dejan Stankovic (5).
OS ONIPRESENTES Javier Zanetti (38 jogos), Júlio César (36), Zlatan Ibrahimovic (35), Esteban Cambiasso (35).
O TÉCNICO José Mourinho
QUEM DECIDIU Zlatan Ibrahimovic
QUEM DECEPCIONOU Mancini
QUEM SURGIU Davide Santon
QUEM SUMIU Patrick Vieira
MELHOR CONTRATAÇÃO Sulley Muntari
PIOR CONTRATAÇÃO Ricardo Quaresma
NOTA DA TEMPORADA 8,5

A primeira temporada de José Mourinho na Internazionale foi a mais sólida campanha nerazzurra entre as temporadas do tetra. A evolução da equipe se deu em diversos aspectos, sobretudo no tático e no psicológico: problemas disciplinares com Balotelli e Adriano não afetaram o desempenho da equipe no primeiro turno. A queda nas oitavas da Liga dos Campeões, quando a Inter foi eliminada de cabeça erguida após anos seguidos de resultados vexatórios, também não – apesar das contestações ao time e a Mourinho. Em território nacional, a superioridade sobre as outras equipes continuou e foi clara durante toda a competição. A Inter teve os melhores números ao longo da Serie A, 10 pontos de vantagem sobre o segundo colocado (em um campeonato mais duro que aqueles conquistados por Roberto Mancini), e Zlatan Ibrahimovic como artilheiro e melhor jogador da competição.

Ainda sobrou espaço para Mourinho e suas polêmicas, cunhando expressões polêmicas como “prostituzione intelletuale” e “zero titoli” – ambas na mesma coletiva – e a declaração de que havia “99,9%” de chance de ficar, que serviu para acelerar a renovação de seu contrato até 2012. Em campo, o 4-3-3 de Mourinho fracassou quando Mancini e Quaresma foram titulares. Os dois flops fizeram Mourinho voltar a usar o 4-3-1-2, consagrado na época de Mancini, ao longo da maior parte do campeonato. Porém, quando o 4-3-3 foi utilizado, com Figo e Balotelli nas pontas, o resultado foi satisfatório. Figo, aliás, que encerra a carreira por cima. Jogou pouco, mas em alto nível. Balotelli, após problemas disciplinares, vai mostrando que tem mesmo um futebol diferenciado. Davide Santon, também formado no clube, teve uma ótima temporada de estreia e já aparece como candidato a bandeira do clube.

O sucesso da Inter passa, obviamente por um incrível Ibrahimovic. O sueco mostrou mais uma vez nesta temporada que vale a pena tentar segurá-lo a qualquer custo. Decidiu partidas, marcou vários golaços e, de quebra, foi artilheiro pela primeira vez na sua carreira. Outros jogadores compuseram a espinha dorsal da Inter com maestria: Maicon, Cambiasso e um interminável Zanetti também merecem destaque. Júlio César assumiu o posto de inquestionável e de um dos melhores goleiros do mundo, sendo tão importante para o tetra quanto Ibrahimovic. Para a próxima temporada, Mourinho deve promover uma reformulação no elenco. Jogadores experientes devem sair e jovens da Primavera devem ser agregados ao elenco, seguindo o sucesso de Balotelli e Santon. Milito e Thiago Motta já acertaram, mas a indefinição sobre a permanência de Ibrahimovic deve levar algum tempo.

3 comentários

  • Também gostei do texto, mas sem querer parecer preciosista, acho que a melhor temporada da Inter no 'tetra' (mesmo sendo interista não consigo somar o título de 2005/6) foi o scudetto de 2006/7. Naquele certame o time devastou a Serie A, quebrando recordes e mais recordes.
    Quanto ao esquema tático utilizado na reta final, diria que se trata de um 4-2-3-1, desenho da moda e utilizado até pela Seleção Brasileira em grande parte dos seus jogos.

    Abraços.

  • Michel,

    Afirmo que foi a melhor campanha da Inter, entre as do tetra, porque o campeonato foi muito mais disputado nesta temporada. Além de a Juventus e o Milan estarem fortalecidos, outras equipes médias da Itália também se reforçaram bastante.

    Abraço!

Deixe um comentário