Serie A

Show do milhão

A dupla Mourinho-Eto’o recebe mais do que o elenco completo de nove times da Serie A

A Gazzetta dello Sport publicou nesta quinta-feira um levantamento relativo aos valores pagos aos jogadores pelos clubes da Serie A. Os gastos brutos de toda a primeira divisão com salários para jogadores nesta temporada será de €840 milhões, quase €70 milhões a mais que os valores do último ano. Com as saídas de Ibrahimovic e Kaká, que juntos ganhavam cerca de €25 milhões por ano, pela primeira vez na história será um treinador a pessoa bem mais paga no futebol italiano: os vencimentos anuais de José Mourinho estão na casa dos €11 milhões, fora as premiações por metas alcançadas. Se vencer novamente a Serie A e acabar com a fila da Inter na Liga dos Campeões, o Special One vai receber ao fim da temporada um valor próximo do que ganha todo o elenco de Atalanta ou Chievo, as duas folhas salariais mais enxutas da divisão. A maior diferença entre os treinadores terá encontro em 1º de novembro, quando o português enfrentará o novato Gennaro Ruotolo, do Livorno, que tem um contrato de €100 mil euros para este ano. Uma variação de apenas 11.000%.

O gap salarial entre os quatro clubes que dominaram a década continua altíssimo. Inter, Milan, Juventus e Roma irão gastar, juntos, a bagatela de €460 milhões para pagar seus jogadores. Os outros 16 clubes, somados, irão despender €380 milhões. Em relação ao último ano, a folha da Serie A aumentou em €70 milhões, boa parte disso reflexo dos investimentos de Bari e Parma em seus redimensionamentos, das caras contratações de Inter, Juventus e Napoli e da boa campanha de entradas do Genoa. Dos cofres interistas é que sai o dinheiro para o jogador mais bem pago da temporada italiana, o recém-chegado Samuel Eto’o: o camaronês tem um contrato de €10,5 milhões, €3 milhões a mais que o segundo mais bem pago da Serie A, o milanista Ronaldinho. Para se ter uma noção, essa diferença é capaz de bancar a dupla de ataque do Napoli, Quagliarella-Lavezzi.

Mesmo com a crise econômica, o desperdício ainda é absurdo. E o Milan é o melhor exemplo. Os €4 milhões pagos anualmente a Flamini são suficientes para bancar os romanistas De Rossi, Pizarro, Brighi e Guberti. O mesmo valor é gasto com Dida, que talvez nem entre em campo nesta temporada: o brasileiro leva quase 27 vezes mais que Marchetti, titular do Cagliari e presente nas últimas convocações de Lippi. Se o ataque é um problema com Ronaldinho e seus €7,5 milhões, essa grana pagaria, com sobras e ao mesmo tempo, os neo-interistas Milito e Sneijder. Mas a Inter também sabe desperdiçar: o segundo maior salário da equipe, de €5,5 milhões, pertence ao francês Vieira, cada vez mais presente no departamento médico. Se Pandev fica tão insatisfeito com os €450 mil anuais que recebe da Lazio, um motivo possui.

Deixe um comentário