Coppa Italia

Sem problemas

Entre grandes nomes, o garoto Merkel também brilhou (Getty Images)

Decepcionou-se quem esperava alguma surpresa nessa quinta-feira de Coppa Italia. O Milan não poupou forças para bater o Bari em casa e avançar às quartas-de-final da competição. Sem levantar a taça desde 2003, os rossoneri entraram em campo convictos num resultado que não demorou para sair. O primeiro a puxar responsabilidade foi Robinho, perigoso nas arrancadas: em uma delas, ganhando bola no meio-campo, o brasileiro avançou e serviu Ibrahimovic, que carregou com classe e abriu o placar. A pressão não cessou, mas não causava tanto perigo graças à atuação inefetiva de Cassano. O barês, que começou entre os titulares pela primeira vez no clube, esteve nitidamente fora de ritmo, contribuindo menos do que o usual. Sua presença esporádica, contudo, deu margem para o surgimento de Aleksander Merkel, devido gozador da oportunidade.

Merkel tem 18 anos e nasceu no Cazaquistão, mas é alemão por conta de seus pais. Chegou ao Milan em 2008 e nunca havia recebido boas chances, até Allegri fazê-lo atuar 15 minutos na derrota contra o Ajax e lançá-lo titular ante o Cagliari, na 18ª rodada da Serie A, há duas semanas. Há dois meses, portanto, Merkel ainda não havia entrado em campo com a camisa milanista. O número elevado de lesões favoreceu o ex-atleta da base do Stuttgart, que hoje dá mostras de que pode ser uma nova opção para o meio-campo rossonero. O parágrafo à parte tem sua razão: ainda no primeiro tempo, Merkel recebeu de Robinho (impedido, por sua vez) e bateu para o gol, ampliando o placar. Firme nas subidas, não deixou de retribuir ao brasileiro aos 65 minutos, quando o Milan chegou ao terceiro gol e pôs números finais numa partida já bastante fria – mesmo as investidas de Álvarez, única arma ofensiva do Bari, não apareciam mais.

Quem saiu perdendo foi Pirlo: o regista voltou de lesão, entrou em campo e nele permaneceu por apenas 18 minutos, quando sentiu a coxa direita e teve que ser retirado. Numa noite tranquila para os mandantes, a contusão do meia vem como a única notícia ruim para uma equipe que não deu chances a um Bari indefeso (e prejudicado no segundo gol). As quartas-de-final reservam um reencontro interessante entre Cassano e sua última equipe: Milan e Sampdoria se enfrentarão na próxima quarta-feira, o que promete algum furor.

Deixe um comentário