Serie A

Os quintos do acesso

Da quinta colocação na temporada regular à superioridade nos play-offs – e quem esperava por soluções como estas? Após campeonatos de mil sofrimentos e crises técnicas, Hellas Verona (Grupo A) e Juve Stabia (B) mostraram superação e reconquistaram suas posições na Serie B.

Pelos lados de Verona, a penitência durou quatro temporadas, período em que o clube scaligero viveu de tudo: lutou contra o rebaixamento no ano de estreia, superou um risco de falência, trocou dois presidentes, três diretores esportivos e emprestou sua camisa a mais de 60 jogadores. Para o pequeno clube da província de Nápoles, o retorno é um verdadeiro sonho, que põe fim a seis décadas de espera.

Verona resistiu à pressão e reecontrou a Serie B em Salerno (Fotoexpress)

Grupo A: Salernitana 1×0 Hellas Verona (ída: 0x2)No estádio Arechi, em Salerno, o Hellas Verona confirmou uma curiosa “tradição”: viver seus grandes momentos longe de sua cidade. Foi assim na conquista do scudetto, há 26 anos; no play-out contra a Reggina, há dez temporadas; na histórica fuga da então Serie C2, em Busto Arsizio, em 2007-08; e também agora, na reconquista da Serie B. Após a boa vitória na partida de ida, e equipe gialloblù viajou para administrar sua vantagem perante a Salernitana. E conseguiria fazê-lo com tranquilidade, não fosse o pênalti cometido por Martia Rini em Ragusa, já nos acréscimos da primeira etapa. Carrus bateu e converteu, fazendo explodir as arquibancadas.

A segunda etapa, porém, traiu as esperanças do público de casa: a Salernitana atacava e perdia sistematicamente suas melhores oportunidades. E, a cada bola que passava pelo gol ou parava no goleiro Rafael, perdia o entusiasmo. A partir dos 20 minutos, o Hellas Verona dominou o meio-campo, passou a acionar as laterais e empurrou o inimigo para trás. Poderia ter empatado – mas não precisou. Uma derrota doce, que arquiva quatro anos de sofrimento na terceira divisão. Para a Salernitana, ao contrário, uma vitória amarga, e que pode se tornar ainda mais triste: com a perda do acesso, as possibilidades de que o clube se salve de uma nova falência são mínimas.

Sonho eterno: Juve Stabia festejou a Serie B em Roma (Bartoletti)

Grupo B: Atletico Roma 0x2 Juve Stabia (ída: 0x0)

A vitória no campeonato da Seconda Divisione, na temporada passada; o título inédito da Coppa Italia Lega Pro; a classificação para os play-offs, após um péssimo início de campeonato; e, agora, a conquista da Serie B, 60 anos depois da última passagem pela categoria. O repertório de “milagres” da Juve Stabia é amplo e consagra o melhor período do clube em toda a sua história. A partida, contudo, foi nervosa. O time da capital, além de ser tecnicamente superior, contava com a vantagem do empate (no tempo normal e na prorrogação) e por pouco não abriu o placar, aos 10 minutos, com Ciofani. A resposta da Juve Stabia só viria nove minutos mais tarde, com Corona, sem muito perigo.

Após essas tentativas, a marcação prevaleceu e a partida ficou restrita ao meio-campo. Quando todos já se preparavam para o intervalo, porém, a equipe campana surpreendeu os donos da casa, com Molinari, após cobrança de escanteio. Na segunda etapa, o Atletico Roma tentou de tudo para empatar: chutes de perto e longe, e até uma cobrança de falta. Nada. A Juve Stabia, fechada, preparava o bote e o aplicou no limite da crueldade: aos 44 minutos, Tarantino arrancou em contra-ataque pla esquerda e serviu Corona, que não desperdiçou. A equipe romana, que já tinha dificuldades para marcar um gol, desabou: era o fim do sonho. E o começo da festa para a provinciana de Castellamare di Stabia.

1 comentário

Deixe um comentário