Outros torneios

Na virada do ano, Lega Pro volta ao (triste) normal

Mal dentro e fora de campo, o Piacenza percorre as vias da falência, já confirmadas em Savona. Deixar sangrar não é o melhor caminho para reformar a categoria (Tutto Lega Pro)

Acabou-se o encanto: após um início de temporada esperançoso, eis que a problemática Lega Pro volta a mostrar sua verdadeira face na virada de turno – e ano – de seus campeonatos: punições a perder de vista nos bastidores, clubes que atrasam salários, uma possível falência (Piacenza) e outra já confirmada (Savona). E, ainda por cima, um de seus jogadores como protagonista das novas investigações do escândalo Last Bet: Carobbio, ex-Siena, atualmente no Spezia.

Para não dizer que está tudo ruim nas divisões inferiores do futebol italiano, comecemos com quem tem bons motivos para festejar: Ternana e Siracusa, na Prima Divisione, e Casale e Perugia, na Seconda, são os campeões de inverno da temporada. Resultados que, embora o bom futebol de uns e os grandes investimentos de outros, têm seu quê de surpresa. Ternana e Perugia, afinal, são reestreantes em suas categorias – a primeira foi respescada e o segundo veio da Serie D – e o Casale ainda conserva boa parte do grupo que se salvou com dificuldades em 2010-11. Apenas para o Siracusa, um dos ricos da Lega Pro, a liderança era esperada, e, mesmo assim, veio apenas no final do turno. Felicidade também para Treviso e L’Aquila, vice-líderes de seus grupos na Seconda Divisione e que, hoje, subiriam diretamente.

Agora, as inevitáveis más novas. Nos bastidores, a notícia é velha: a CND e o Tribunal Esportivo continuam implacáveis e, ao mesmo tempo em que penalizações foram revertidas – caso, por exemplo, da Carrarese – outras tantas foram aplicadas, chegando a 71 pontos descontados. A aparente estabilidade financeira alcançada após a sangria do início de temporada também está ruindo: em Taranto, os jogadores, que não recebem há cinco meses, chegaram a fazer greve; em Piacenza, as negociações para a venda do clube fracassam sistematicamente e já se pensa em falência; pior que lá, só em Savona, onde a bancarrota já foi confirmada.

Esses casos apenas evidenciam os principais métodos da reforma que a Lega Pro tanto tem anunciado: cortar na carne de seus próprios filiados e fazer chorar seu próprio público. Métodos, claro, equivocados. Melhor seria não atrelar a saúde financeira de uma sociedade a uma simples taxa de inscrição e uma garantia bancária, e sim a um sistema de exigências que avaliaria as condições gerais das praças que tomarão parte nos torneios.

O sonho de Terni: de repescada a comandante do grupo, Ternana festeja o título de inverno e mira a Serie B (ternanacalcio.com)

Prima Divisione, após 17 rodadas


Grupo A

Ternana e Taranto abriram ainda mais vantagem para as demais equipes e seguem em sua disputa particular pela promoção direta. Por enquanto, a vantagem é da equipe umbra, beneficiada pela punição da rival tarantina, que enfrenta uma crise administrativa. Nos play-offs, a grande notícia é o retorno do Como, que superou a concorrência de Pro Vercelli, Sorrento e Pisa, passando a fazer companhia à cada vez mais surpreendente Tritium e ao bom Lumezzane. Na parte de baixo, o Benevento deixou sua posição nos play-outs para o Monza. O Foligno reagiu e está a apenas três pontos de abandonar a lanterna.

Promoção direta: Ternana (37 pontos)

Play-offs: Taranto (36), Tritium (29), Lumezzane (29) e Como (27)

Play-outs: Spal (13), Monza (13), Viareggio (11) e Pavia (9)

Rebaixamento direto: Foligno (6)

Penalizações: Taranto, Como, Foggia e Viareggio (-1); Sorrento, Reggiana e Spal (-2); Foligno (-4); e Benevento (-6)

Grupo B

Foi preciso um turno inteiro para que o Siracusa fizesse jus ao seu papel de favorito e alcançasse a liderança. Agora, a vantagem para os concorrentes é de três pontos. Grandes novidades na faixa de play-offs, com as entradas de Trapani, Portosummaga e Barletta, que fazem companhia ao regular Virtus Lanciano; todos eles são seguidos de perto por Sudtirol, Cremonese e Carrarese, que alternaram bons e maus momentos no último mês. Pergocrema e Spezia se recuperaram e sonham com o grupo dos melhores. A Triestina segue seu campeonato anônimo e o Frosinone, surpreendetemente, está mais para o fundo que para a ponta da tabela. Na parte de baixo, reação do Prato, que vira o ano fora dos play-outs, onde Andria, Latina e Bassano Virtus convivem com o caótico Piacenza. Ainda sem deixar a lantrna, o FarelpiSalo’ dá sinais de evolução e a salvezza, que parecia impovável, volta a ser possível.

Promoção direta: Siracusa (31 pontos)

Play-offs: Trapani (28), Portosummaga (27), Virtus Lanciano (27) e Barletta (27)

Play-outs: Andria (17), Piacenza (17), Latina (16), Bassano Virtus (15)

Rebaixamento direto: FeralpiSalo’ (13)

Penalizações: Pergocrema e Virtus Lanciano (-1); Siracusa (-3); Piacenza (-4); e Cremonese (-6)

Campeão do scudetto no passado, Casale festeja a vitória no primeiro turno da Seconda Divisione (casalecalcio.it)

Seconda Divisione


Grupo A, após 19 rodadas

O Casale continua ditando o ritmo do grupo e já tem quatro ponto de vantagem para o Treviso, segundo colocado, que vê sua posição na zona de acesso direto fortemente ameaçada por Rimini (principalmente) e Cuneo. Estes, por sua vez, têm, respectivamente, seis e cinco pontos de frente para San Marino e Santarcangelo, na área de play-offs. No play-out, desconsolo: de um lado o Savona, falido e sem saber de seu destino, de outro o Alessandria, deprimido pela falta de resultados. Na área de rebaixamento, a Pro Patria dá sinais consistentes de que pode tentar a permanência. O Lecco reage discretamente, mas ainda está longe de merecer a manutenão na categoria. Já o Valenzana parece ter malas prontas para a Serie D.

Promoção direta: Casale (40 pontos) e Treviso (36)

Play-offs: Rimini (36), Cuneo (35), San Marino (30) e Santarcangelo (30)

Play-outs: Savona (20) e Alessandria (19)

Rebaixamento direto: Pro Patria (18), Lecco (13) e Valenzana (11)

Penalizações: Treviso e Montichiari (-1); Alessandria (-2); Savona (-4); e Pro Patria (-13)

Grupo B, após 20 rodadas

Aqui, não há história: enquanto os outros correm, o Perugia voa. O excelente time do grifo foi o único da categoria a garantir seu “título de inverno” de forma antecipada, e sua vantagem para o terceiro colocado cresce em progressão geométrica. Grande momento também do L’Aquila, que completa a zona de promoção direta. Na faixa de play-offs, Catanzaro, Paganese e vigor Lamezia disputam posições ponto a ponto, e ainda correm o risco de serem superados pelo jovens do Chieti. No meio da tabela, sem saber ainda pelo que irá lutar, está a misteriosa Giulianova. Neapolis e Fondi se enfrentaria no play-out. Entre os diretamente rebaixados, a novidade é a entrada do Isola Liri.

Promoção direta: Perugia (45) e L’Aquila (40)

Play-offs: Catanzaro (37), Paganese (37), Vigor Lamezia (37) e Chieti (34)

Play-outs: Neapolis (19) e Fondi (19)

Rebaixamento direto: Isola Liri (17), Melfi (16) e Celano (10)

Penalizações: Aversa Normanna e Ebolitana (-1); Neapoli, Isola Liri e Campobasso (-2); Mefi (-4); e Fano (-5)

Pisa busca sua segunda copa na Lega Pro (F. Faglioni – Copyright 2011)

Coppa Italia Lega Pro

Lumezzane, Tritium, Carpi, Spal, Piacenza, Spezia, Pisa, Virtus Lanciano, Foggia, Latina, Andria e Catanzaro superaram o Segundo Turno Eliminatório, e agora irão às quartas-de-final da Coppa Italia Lega Pro. Para essa nova etapa, as sobreviventes foram separadas em quatro grupos de três equipes cada; classificam-se para as semifinais os quatro líderes de cada grupo, após confrontos em turno único. Os jogos estão programados para os dias 18 de janeiro, 8 e 22 de fevereiro, e as chaves são as seguintes: Piacenza, Tritium e Lumezzane (Grupo A); Carpi, Spal e Spezia (B); Latina, Pisa e Virtus Lanciano (C); e Catanzaro, Andria e Foggia (D).

Deixe um comentário