Coppa Italia

Dos males o menor

Não foi tão ruim assim para o Napoli, Lavezzi (Foto: Divulgação)
Enquanto
Juventus e Milan disputaram na última quarta-feira um clássico emocionante
pelas semifinais da Coppa Italia, esperava-se que na quinta, quando o Napoli
entraria em campo, as coisas seriam mais fáceis. Pois a espera ficou de lado e
o Siena aprontou, aproveitou o fator casa, venceu e tornou as coisas muito mais
complicadas para os comandados de Walter Mazzarri. E as coisas só não foram
ainda piores para os partenopei pois um gol nos últimos minutos fechou o placar
em 2 a 1 para os donos da casa.
O Napoli não
começou bem a partida. Mesmo interessado, viu o Siena dominar as ações e se
mostrar mais solto dentro de campo. O peso do favoritismo, talvez, tenha
recaído muito mais pesado do que poderia parecer nos ombros napolitanos. Sorte
bianconera, muito bem utilizada por Giuseppe Sannino e seus comandados. Após um
primeiro tempo bastante travado, quando tudo caminhava para um empate em 0 a 0
antes do intervalo, a surpresa: gol do Siena, do brasileiro Reginaldo, em falha
do defensor Campagnaro.
O tento
marcado nos últimos minutos da primeira etapa forçou o Siena a recuar e tentar
guardar o bom e surpreendente resultado. Assim, a equipe da casa começou a
atuar nos contra-ataques e passou a sofrer maior pressão. Com intensidade, o
Napoli atacava e via suas chances serem desperdiçadas uma após a outra, em uma
demonstração impressionante de falta de sorte. A surpresa do primeiro gol,
então, aumentaria com ótima jogada dos bianconeri que terminou em potente chute
de D’Agostino, melhor em campo: 2 a 0 e napolitanos mais do que incrédulos.
O placar
favorável parecia ser surpreendente até para os donos da casa – e, na
realidade, era. Cavani e Lavezzi passaram a se revezar nas chances perdidas e
tudo caminhava para um final e jogo que levaria os partenopei a uma volta muito
mais difícil do que o esperado em San Paolo. Até que a sorte resolveu dar uma
força para os azzurri. Em jogada completamente estranha, Lavezzi chutou fraco e
Pesoli, contra, colocou para dentro. Gol fora de casa que acaba valendo muito
mais do que o Napoli poderia esperar após ter feito um jogo ruim.
Na volta,
apenas um gol coloca o Napoli na final da Coppa Italia. Se jogar bem, não deve
ter problemas para usar sua fanática torcida e o ótimo retrospecto em casa para
avançar. Um grupo que fez história ao levar o Siena pela primeira vez às
semifinais da copa, porém, parece unido e disposto o suficiente para ser uma
grande pedra no sapato napolitano. Se Milan e Juventus promete ser um jogão em
sua volta, não desprezemos o segundo duelo entre Napoli e Siena – não é
clássico, mas promete.

Deixe um comentário