Liga dos Campeões

O arsenal milanista

Esse trio teve maior poder de fogo do que todo o time do Arsenal e praticamente garantiu a classificação do Milan para as quartas-de-final da Liga dos Campeões (Goal.com)
Quem tem um canhão no escudo é o Arsenal, mas quem soube usar o poder de fogo, nesta quarta-feira, foi o Milan. O time italiano não passa das oitavas-de-final da competição desde a edição 2006-07, quando superou o Celtic nesta fase, na prorrogação, e, mais tarde, sagrou-se campeão, diante do Liverpool. Pois nesta quarta, contrariando todas as expectativas, o time de Allegri deu um grande passo para acabar com essa sina. Agora, poderá ir à Inglaterra pensando na disputa do título italiano e em poupar jogadores, uma vez que pode perder por até três gols de diferença.

Desde 1958 um time italiano não superava um inglês por 4 a 0 na Liga dos Campeões. Naquela ocasião, o próprio Milan tinha vencido o Manchester United. Recentemente, para piorar, o desempenho da equipe rossonera contra ingleses era pífio. Nas últimas três edições que participou da Liga, o Milan foi eliminado por Arsenal, Manchester United e Tottenham, respectivamente. Desta vez, ao que parece, a história vai ser diferença. O time fez tudo como mandava a cartilha: máxima atenção e pressão o tempo inteiro.

O jogo
O frio já não era tão grande como o que assolou a Itália (e a Europa) nas últimas semanas, mas ainda assim o gramado do estádio San Siro estava muito prejudicado. Pior para os ingleses, que se aproveitam mais da velocidade para armar o jogo e agredir o adversário, principalmente com as corridas de Walcott. Mais acuado em campo, então, o Arsenal deixou o Milan trabalhar a bola. Os rossoneri, porém, até tinham o domínio do jogo, mas não conseguiam penetrar na barreira adversário. Pelo menos nos dez primeiros minutos de jogo. A saída por lesão de Seedorf, logo aos 10 minutos da etapa inicial, fez bem à equipe da casa. Com Emanuelson em seu lugar, o time ficou mais veloz e passou a envolver mais e criar buracos na retaguarda dos gunners.
Tanto que, cinco minutos depois, saiu o primeiro gol da noite. Nocerino deu um belo passe para Boateng bater de primeira, encobrir o goleiro e anotar mais um golaço em sua carreira. O Arsenal não teve reação e o artilheiro Van Persie continuou a ver navios lá na frente. Méritos, é claro, do Milan, que não afroxou e continuou pressionando a equipe inglesa, mesmo tendo a vantagem no placar. Ibrahimovic era o regente da orquestra. Com visão de jogo acima da média, o seuco deixou seus companheiros em condições de marcar pelo menos três vezes, antes de Robinho finalmente aproveitar e, de cabeça, colocar para o fundo das redes.
O brasileiro aliás, voltou outro jogador após o intervalo. Se no primeiro tempo, o menino da vila não conseguia acertar as jogadas e irritava o companheiro de ataque por causa das bolas e oportunidades perdidas, na etapa final ele foi um dos jogadores mais importantes do time. Logo aos quatro minutos, recebeu outro bom passe de Ibrahimovic e, aproveitando escorregão do zagueiro Vermaelen, bateu rasteiro para fazer 3 a 0. Pela segunda vez no jogo o brasileiro comemorou o gol sozinho, o que causau estranhamento por parte até de Cesc Fábregas, jogador do Barcelona: em sua conta do Twitter, ele falou “Por que o Robinho comemora os gols sozinhos, mesmo quando foi o Ibra que fez toda a jogada?”.

Polêmicas à parte, o técnico Wenger tentou mudar o jogo, ou pelo menos fazer um gol de honra, colocando Henry e Chamberlain nos lugares de Walcott e Gibbs, respectivamente. Um dupla que simboliza duas gerações dos ingleses, mas que pouco acrescentou no jogo. Apenas uma boa chance criada pelo astro francês que teve finalização de Van Persie, mas foi parada por Abbiati. No fim do jogo, ainda teve espaço para Ibrahimovic consagrar sua atuação com um gol. Djourou derrubou o sueco na área e ele não desperdiçou o pênalti: Milan 4×0 Arsenal. 
O resultado praticamente elimina mais um inglês na maior competição do continente. Os Manchesters United e City já ficaram na fase de grupos e agora o Arsenal também está muito próximo de deixar o torneio. Será que o Chelsea vai entrar na onda? O Napoli torce por isso. O jogo da volta entre Arsenal e Milan acontece no dia 6 de março, no Emirates Stadium. Napoli e Chelsea se enfrentam na próxima terça-feira, dia 21 de fevereiro.

Clique aqui para ver os gols da partida.

Deixe um comentário