Chiellini lamenta mais uma chance perdida contra o Kobenhavn. Foram muitas… (Foto: ESPN)
A bicampeã italiana consecutiva está sofrendo demais.
Enquanto o Milan caiu num grupo fácil, que inclui o Barcelona, a Juventus teve
a pedreira do Kobenhavn logo de cara, na partida de abertura de sua temporada
continental em 2013-14. Ironias à parte, a Velha Senhora tem se sentido
incomodada em atuar na Escandinávia. Afinal, o resultado em 1 a 1 foi
exatamente igual ao da última época, ao visitar o Nordsjælland, último colocado
daquele grupo.
O time da casa marcou com o atacante Nicolai Jorgensen, no
primeiro tempo, após uma falta cobrada por Bengtsson que a zaga não afastou. A
Juventus conseguiu igualar somente na etapa final, com gol de Quagliarella.
Aos fatos: assim como diante do Nordsjælland, o goleiro
adversário foi o principal obstáculo da agremiação da Juve. Naquela
oportunidade, o time do Piemonte finalizou 33 vezes – sendo nove corretas – e parou
em Jesper Hansen. O protagonista desta terça-feira foi Johan Wiland, goleiro sueco
de 32 anos, que defendeu dez das 11 finalizações certas da Juventus. No total
de 60 chutes contra os dinamarqueses, a Juventus voltou a Turim com apenas dois
gols marcados. 
A equipe italiana não entrou para jogar no primeiro tempo.
De fato, a segunda etapa, somente, foi realmente interessante pelos comandados
de Antonio Conte. Ao todo, a Juve criou 22 chances de gol contra o Kobenhavn.
Mais que o Manchester City no 3-0 contra o Viktoria Plzen. Mais que o PSG no
4-1 ante o Olympiakos. Mais que o Real Madrid no 6-1 contra o Galatasaray, na
Turk Telekom Arena. Mais que qualquer outro time neste início de Liga dos
Campeões. 
Isso leva a crer que existem atletas realmente
insubstituíveis no elenco. Mesmo que o treinador queira realizar uma rotação no
time, a partida na Dinamarca provou que Barzagli não tem um suplente à altura.
Ogbonna foi mal atuando ora pelo centro (deslocando Bonucci para a posição do
camisa 15), ora pela direita. 
O zagueiro e Vucinic precisavam de uma folga, pois ainda não
tinham condições físicas ideais de jogo. Outro jogador que descansou foi
Asamoah. Peluso foi titular em seu lugar. Este foi outro problema. Na verdade,
este é um problema seja no esquema com três zagueiros ou no 4-2-4 empregado no
Siena de 2010. A Velha Senhora não tem laterais que atacam com eficácia. Pela
esquerda, Asamoah defende muito bem e apoia com cautela – sempre na correria -,
Peluso é um lateral-esquerdo improvisado na função de ala e De Ceglie mal joga.
No outro flanco, Isla foi contratado com pompa, mas ainda não disse a que veio,
e Pepe vive um romance com o departamento médico. A única exceção é
Lichtsteiner, que corre pra cima e pra baixo em todos os jogos.
Como Conte adora atacar pelos lados, os alas precisam
assistir os atacantes e os jogadores de frente têm de marcar os gols. Quagliarella
entrou entre os 11 iniciais, depois de muita especulação sobre sua permanência
em Turim, e voltou a balançar a rede. Ele mostrou que adora deixar sua marca na
competição continental. E assim como, repito, Conte adora o jogo pelos flancos,
por que não Llorente? O gigante espanhol teve ínfimos minutos de futebol neste
início de temporada e sequer entrou em campo contra o Kobenhavn. Podemos
concordar que o antigo atleta do Athletic Bilbao, com seus 1,95m, poderia ter
ajudado a escorar um dos 49 (sim, quarenta e nove!) cruzamentos realizados na
área dos dinamarqueses.
O próximo jogo da equipe bianconera pela Liga dos Campeões
será no dia 2 de outubro, contra o Galatasaray, em casa.
Ficha técnica

Kobenhavn 1-1 Juventus
KOBENHAVN (4-4-2): Wiland, Jacobsen, Bengtsson, Mellberg e
Sigurdsson; Claudemir (86’ Margreitter), Delaney, Braathen e Bolaños (79’ El
Alagui); Fanendo Adi (70’ Gislason) e Jorgensen. Técnico: Ståle Solbakken
JUVENTUS (3-5-2): Buffon, Bonucci, Ogbonna e Chiellini;
Lichtsteiner (86’ Isla), Vidal, Pirlo, Pogba e Peluso (73’ De Ceglie); Tevez e
Quagliarella (76’ Giovinco). Técnico: Antonio Conte
Árbitro: Ivan Bebek, da Croácia
Gols: Nicolai Jorgensen (KOB, 14’); Fabio Quagliarella (JUV,
54’) – veja aqui

Deixe um comentário