Liga dos Campeões

Vitória sofrida, mas muito importante

Jogadores celebram com a torcida, que não lotou San Siro, a suada vitória. (Uefa.com)

Kaká fez um dos gols mais importantes de sua carreira justamente
contra o Celtic, na prorrogação das oitavas de finais da temporada 2006-07 da
Champions League, que culminaria com o título rossonero. O brasileiro poderia
retornar à um jogo de Champions pelo Milan justamente contra os escoceses, mas, lesionado,
teve de ficar nas tribunas, torcendo. Junto dele, outros onze lesionados, e
alguns muito importantes como El Shaarawy, De Sciglio e Montolivo.

À favor do Milan, o retrospecto positivo contra times
escoceses jogando no San Siro. Foram sete jogos e nenhuma derrota. Além disso,
o time de Glasgow tem uma sequência nada favorável quando joga fora de casa
pela Champions League. Dos últimos 24 jogos, os escoceses venceram apenas um. Ainda
assim, Massimiliano Allegri foi conservador e surpreendeu com Birsa, na função
de trequartista, ao invés de Robinho que já atuou diversas vezes na ligação
entre meio-campo e ataque. Na lateral direita, o técnico optou por Zaccardo, apesar da má partida contra o Torino, e, na frente, Matri
fez companhia a Balotelli.
Birsa bem que tentou, criando algumas
oportunidades. Porém, o meia esloveno está longe de ser o líder do meio campo milanista. Sem
qualidade, restava apostar nos chutes de longe, com Muntari e Nocerino, e nos
cruzamentos para os atacantes. As melhores oportunidades do Celtic vieram em
vacilos da zaga do Milan. Primeiro em um contestado tiro livre indireto após uma recuada
proposital de Zapata para Abbiati, que só o árbitro Wolfgang Stark viu e depois
em uma recuada mal feita por Birsa, que Stokes concluiu para fora.
O time escocês acreditou que poderia conseguir a vitória e
pressionou o Milan na segunda etapa. Em arrancada desde o meio campo, Samaras
finalizou com muito perigo. Aos poucos, o Milan foi se reestabelecendo no jogo
e criando chances. Constant deixou Muntari sozinho na entrada da pequena área,
mas o ganês cabeceou para fora. Com espaço, o Celtic criou mais oportunidades,
com Brown, travado em cima da hora por De Jong e em cobrança de falta de
Stokes, que bateu no travessão.
Apesar da superioridade escocesa, tudo indicava que o jogo não sairia do zero. Até que, já
nos minutos finais, Balotelli achou Zapata na intermediária e o colombiano, em
um lance de Kaká, avançou, fintou Pukki e chutou. A bola não teria o endereço
do gol, mas desviou em Izaguirre e deixou Forster sem qualquer chance. Na
sequência, Muntari aproveitou sobra de bela cobrança de falta de Balotelli e
sacramentou a vitória do Milan. O resultado mantém a invencibilidade contra
escoceses no San Siro e garante uma importante vantagem para a classificação.
O resultado agradou, mas o futebol não. Allegri contará com
os retornos dos lesionados para tentar fazer o time apresentar um futebol à
altura do Milan afinal, o time tem muito o que melhorar para a Serie A, já que tem apenas uma vitória, e
principalmente para tentar fazer frente ao Barcelona dentro do grupo.
Confira aqui os gols do jogo.
Ficha técnica
Milan 2-0 Celtic

Milan: Abbiati; Zaccardo, Zapata, Mexès, Constant (76’
Robinho); De Jong, Nocerino, Muntari; Birsa (63’ Emanuelson); Matri (87’ Poli), Balotelli. Técnico: Massimiliano Allegri.
Celtic: Forster; Van Dijk, Lustig, Ambrose, Izaguirre; Mathews
(75’ Boerrigter), Mulgrew (89’ Biton), Commons (77’ Pukki), Brown; Samaras,
Stokes. Técnico: Neil Lennon.
Árbitro: Wolfgang Stark, da Alemanha

Gols: Izaguirre, contra, (MIL, 82’) e Muntari (MIL, 86’)

Deixe um comentário