Mercado Serie A

Últimos dias de mercado: o que aconteceu e o que ficou faltando

Alguns dias antes do final da janela nós trouxemos uma análise de como os 10 primeiros colocados da última Serie A haviam agido no mercado. Havia, também, uma projeção de como eles deveriam se movimentar até o fim do prazo para novas contratações, que se encerrou na sexta – confira aqui. Dessa vez, o texto é mais inclusivo: avaliamos como todos os participantes do Campeonato Italiano contrataram e venderam nas últimas horas de tratativas, além do que faltou ocorrer. Confira.

Atalanta

Chegaram: Rigoni (Zenit) e Adnan (Udinese)
Saíram: D’Alessandro (Udinese)

Time-base: Berisha; Rafael Tolói, Palomino (Mancini), Masiello; Hateboer, De Roon, Freuler, Adnan (Gosens); Rigoni (Ilicic, Pasalic), Zapata, Gómez.

Depois das duras palavras de insatisfação de Gasperini no início da semana, a diretoria da Atalanta agiu rapidamente para reforçar o elenco e conseguiu uma contratação bastante interessante. O meia-atacante e ponta Rigoni, que se destacou no Independiente antes de se mudar para o Zenit no verão passado, chegou por empréstimo com direito de compra. O argentino disputará posição com Ilicic no 3-4-3 e Pasalic no 3-4-1-2, conforme a formação escolhida pelo treinador.

Alternativas para o ataque não faltarão, assim como para a esquerda, que já tinha ganhado o reforço de Reca no início do mercado e o titular Gosens terá mais um concorrente: Adnan foi contratado nas últimas horas do mercado, em troca com o ponta D’Alessandro, que se mudou para a Udinese. Na defesa o discurso é diferente na defesa. Os diretoes sondaram Dragovic, velho objetivo de Inter e Roma, mas o negócio não evoluiu e Gasperini ficou sem substituto para Caldara: Palomino e Mancini permanecem como as principais opções.

Bologna

Chegaram: Danilo (Udinese)
Saíram: Avenatti (Kortrijk) e Rizzo (Foggia)

Time-base: Skorupski; De Maio, Danilo, Helander (González); Mattiello (Mbaye), Poli, Pulgar, Dzemaili, Dijks; Palacio, Falcinelli (Santander).

Depois de um verão pouco movimentado em Bolonha, sendo que a contratação de Pippo Inzaghi para o lugar de Donadoni foi a principal mudança no clube, a história não foi diferente nos últimos dias da janela. Apenas o veterano Danilo chegou, depois de sete temporadas na Udinese, e disputará um lugar na zaga com De Maio, González e Helander, enquanto Rizzo e Avenatti, sem espaço, saíram por empréstimo. Ou seja, a diretoria não solucionou a falta de qualidade nas alas, que conta somente com Mbaye, Mattiello e Dijks.

Klavan assina com o Cagliari (Divulgação)

Cagliari

Chegaram: Vergara (Milan) e Klavan (Liverpool)
Saíram: Han (Perugia), Vergara (Olbia), Caligara (Olbia) e Deiola (Parma)

Time-base: Cragno; Srna, Ceppitelli, Romagna, Klavan (Lykogiannis); Castro, Cigarini (Bradaric), Ionita; Barella; Pavoletti, Farias (Sau).

Nos últimos dias o Cagliari manteve sua estratégia de mercado alternativa. Depois de ter contratado o veterano croata Srna e seu compatriota Bradaric, o clube trouxe o primeiro estoniano da história da Serie A: o zagueiro e lateral-esquerdo Klavan foi contratado em definitivo junto ao Liverpool e será mais uma opção para a defesa sarda. O setor, contudo, segue sem convencer, assim como todo o elenco disponível para Maran. Já o norte-coreano Han, revelação na temporada passada, voltou para o Perugia para ter mais espaço.

Chievo

Chegaram: Burruchaga (River Plate)
Saíram: Jallow (Salernitana) e Garritano (Cosenza)

Time-base: Sorrentino; Cacciatore, Rossettini, Tomovic, Jaroszynski (Barba); Hetemaj, Radovanovic, Obi (Rigoni); Birsa, Stepinski (Djordjevic), Giaccherini.

Depois de contratar os zagueiros Rossettini e Barba, além do versátil Obi na semana passada, o Chievo já estava praticamente definido. Sendo assim, trouxe apenas o jovem Burruchaga, filho do meia argentino campeão mundial em 1986. O treinador D’Anna terá um elenco bastante limitado para trabalhar contra o rebaixamento. Há boas opções para a zaga, mas falta criatividade no meio-campo e opções mais seguras para o centro do ataque, onde Djordjevic e Stepinski substituirão Inglese.

Empoli

Chegaram: Acquah (Torino) e Uçan (Fenerbahçe)
Saíram: Romagnoli (Brescia)

Time-base: Provedel; Di Lorenzo, Silvestre, Maietta (Rasmussen), Pasqual (Antonelli); Bennacer (Acquah), Capezzi, Krunic; Zajc (Uçan); La Gumina, Caputo.

Seguindo seu perfil de contratações de jovens, o Empoli fechou o elenco com mais duas opções interessantes para o meio-campo: o volante Acquah foi contratado em definitivo junto ao Torino e Uçan, que passou pela Roma entre 2014 e 2016, quando trabalhou com Andreazzoli, chegou por empréstimo. Em contrapartida, o zagueiro Romagnoli se mudou para o ambicioso Brescia. Apesar do bom elenco disponível, o gol não foi reforçado: Provedel, Terracciano e Fulignati não convencem.

Campbell é apresentado pelo Frosinone (La Nación)

Fiorentina

Saíram: Hristov (Ternana), Venuti (Lecce) e Saponara (Sampdoria)

Time-base: Lafont; Milenkovic, Pezzella, Vitor Hugo, Biraghi; Benassi, Dabo (Nörgaard), Veretout; Chiesa, Simeone, Pjaca (Mirallas).

Sem ter muito mais o que fazer depois das contratações realizadas nas últimas semanas, a Fiorentina não fechou negócios para o time principal no fechamento da janela. A diretoria confia na estrutura montada por Pioli e apenas enxugou o elenco. Sem espaço no time, o jovem Hristov foi emprestado para a Ternana, enquanto Venuti reforçou o Lecce na Serie B e o meia-atacante Saponara, destaque no final da temporada passada, acabou se transferindo para a Sampdoria. Como já era conhecido, faltou uma opção melhor para substituir Badelj.

Frosinone

Chegaram: Campbell (Arsenal), Zampano (Pescara), Capuano (Cagliari), Cassata (Sassuolo), Ardaiz (Chiasso) e Pinamonti (Inter)
Saíram: Matteo Ciofani (Pescara), Terranova (Cremonese) e Citro (Venezia)

Time-base: Sportiello; Goldaniga, Salamon, Krajnc (Capuano); Zampano, Chibsah (Crisetig, Cassata), Maiello, Hallfredsson, Molinaro (Beghetto); Campbell (Ciano), Perica (D. Ciofani).

Não bastasse o já movimentado verão para adaptar o elenco para a elite, o Frosinone esteve bastante ativo nos últimos dias da janela e foi quem mais anunciou jogadores. O principal nome foi o costarriquenho Campbell, que foi contratado em definitivo junto ao Arsenal para disputar posição com Ciano. O setor ainda ganhou os reforços dos jovens Ardaiz e Pinamonti, que, salvo surpresas, não deverão ter muito tempo de jogo.

A equipe lacial investiu, ainda, em mais um jogador que não teve sucesso no Cagliari: o zagueiro Capuano se torna o quarto do elenco com passagem inglória pela Sardenha, ao lado de Salamon, Krajnc e Ariaudo. O Frosinone também trocou laterais com o Pescara (Matteo Ciofani por Zampano) e buscou o jovem meia Cassata, que disputará um lugar no setor mais questionável do elenco de Longo. São várias opções disponíveis, mas poucas realmente suficiente para fazer a diferença para a equipe na briga contra o rebaixamento.

Genoa

Saíram: Laxalt (Milan), Spinelli (Crotone), El Yamiq (Perugia), Galabinov (Spezia) e Ninkovic (Ascoli)

Time-base: Marchetti; Biraschi (Spolli), Lisandro, Zukanovic; Lazovic (Bessa), Rômulo, Sandro, Hiljemark, Criscito; Piatek, Kouamé (Pandev).

Com o grupo fechado, o Genoa acabou negociando um dos seus principais titulares ao vender Laxalt para o Milan. O acodo só trouxe vantagens econômicas, já que a equipe não conseguiu trazer Lazaar para substitui-lo. Criscito, que a princípio seria zagueiro, assumirá a posição na esquerda – Zukanovic também pode atuar por ali. No acordo que levou Laxalt ao Milan, o clube antecipou a contratação em definitivo de Lapadula, o que pode ser um indício da saída do atacante para o exterior nos últimos dias da janela no restante do continente, com exceção da Inglaterra. O último dia da janela também foi a oportunidade para esvaziar o elenco, com destaque para a venda do bonde Galabinov para o Spezia.

Laxalt na sala de troféus do Milan (Divulgação)

Inter

Saíram: Emmers (Cremonese) e Pinamonti (Frosinone)

Time-base: Handanovic; Vrsaljko, Skriniar, Miranda (De Vrij), Asamoah; Vecino (D’Ambrosio), Brozovic; Politano (Candreva, Keita), Nainggolan (Lautaro), Perisic; Icardi.

Sem Modric, que não conseguiu entrar em acordo com o Real Madrid, a Inter ficou a ver navios em relação ao meio-campo e terá que se contentar com Vecino, Gagliardini ou Asamoah para uma vaga na primeira linha de meio-campo, ao lado de Brozovic. Em contrapartida, o restante do elenco ficou completo e Spalletti terá bastantes opções para revezar a formação ao longo de um ano de calendário cheio para o clube, de volta para a Liga dos Campeões depois de seis anos.

As únicas movimentações do clube no último dia da janela foram os empréstimos dos jovens Emmers e Pinamonti, em busca de espaço diante da concorrência na Pinetina. A expectativa agora fica por conta da definição do futuro de João Mário e Candreva: o primeiro tem ofertas de clubes espanhóis e russos, enquanto o segundo interessa ao Monaco. Karamoh, que foi sondado pelo Parma, rejeitou o empréstimo e preferiu ficar em Milão para brigar por seu espaço.

Juventus

Saíram: Marchisio (rescisão), Clemenza (Padova) e Del Sole (Pescara)

Time-base: Szczesny; Cancelo, Bonucci, Chiellini, Alex Sandro; Khedira (Can, Bernardeschi), Pjanic, Matuidi; Dybala, Douglas Costa; Cristiano Ronaldo.

Dona da principal contratação da janela, a Juventus também não tinha muito mais o que fazer no mercado, mas acabou surpreendendo no último dia. A saída de Marchisio chegou a ser especulada no primeiro semestre do ano, mas depois de toda pré-temporada realizada normalmente e a falta de procura para novos reforços para o meio-campo após a venda de Sturaro, tudo indicava para a sequência do jogador. No entanto, o camisa 8 acabou assinando a rescisão do contrato oferecida pelo clube, que também pagou uma compensação financeira.

“Amo tanto esta camisa que, apesar de tudo, estou certo que o melhor para o clube deve sempre vir primeiro”, declarou Marchisio na sua despedida. As outras movimentações de Marotta e Paratici estiveram envolvidas com o time sub-23, a Juventus B, que disputará a Serie C neste ano e montou uma equipe bastante forte para brigar pelo acesso para a segunda divisão.

Lazio

Saíram: Djavan Anderson (Salernitana), André Anderson (Salernitana), Di Gennaro (Salernitana) e Sprocati (Parma)

Time-base: Strakosha; Luiz Felipe (Cáceres), Acerbi, Radu; Marusic, Badelj (Parolo), Lucas Leiva, Milinkovic-Savic, Lulic; Luis Alberto; Immobile.

Sem mais espaço para novas contratações, a Lazio trabalhou nos últimos dias para esvaziar o elenco e mandou os Andersons, Djavan e André, além de Di Gennaro, para seu clube-satélite na Serie B – a Salernitana, também de propriedade de Lotito. Outro negociado nessa sexta-feira foi Sprocati, emprestado para o Parma. Apesar disso, Simone Inzaghi ainda terá um grupo inchado para trabalhar e talvez Igli Tare passe mais alguns dias trabalhando para negociar alguns atletas que estão sobrando.

Gervinho, reforço de peso do Parma (Divulgação)

Milan

Chegaram: Laxalt (Genoa) e Samu Castillejo (Villarreal)
Saíram: Vergara (Cagliari), Lapadula (Genoa), Bacca (Villarreal) e Gabriel (Perugia)

Time-base: Donnarumma (Reina); Calabria (Conti), Caldara (Musacchio), Romagnoli, Rodríguez (Laxalt); Kessié, Bakayoko (Biglia), Bonaventura; Suso (Samu Castillejo), Higuaín, Çalhanoglu.

Com um tempo muito curto de trbalho, depois das definições societárias no clube e da anulação da suspensão da Uefa, os dirigentes Leonardo e Maldini tiveram que correr para reforçar o elenco. Com todos os percalços, tiveram sucesso na missão e resolveram as últimas as lacunas do grupo, que estavam principalmente ligadas ao meio-campo. Apesar de serem pontas, Laxalt e Samu Castillejo trazem diversos cenários para Gattuso variar o seu sistema e também poderão ajudar o setor central.

Napoli

Chegaram: Ospina (Arsenal)
Saíram: Tonelli (Sampdoria)

Time-base: Meret (Ospina); Hysaj, Albiol, Koulibaly, Ghoulam (Mário Rui); Allan, Hamsík, Fabián (Zielinski, Milik); Callejón, Mertens, Insigne.

O Napoli abriu mão de Ochoa para trazer Ospina por empréstimo e assim solucionar o problema no gol da equipe a curto prazo, enquanto o jovem Meret se recupera de lesão. A outra negociação do último dia da janela foi a saída de Tonelli, que era a última opção de quatro reservas no banco para a zaga. No mais, entre as declarações polêmicas do seu presidente, o clube não trabalhou mais e deu sequência ao decepcionante mercado de verão. Afinal, o elenco seguiu com poucas opções para o centro do ataque após a saída de Inglese.

Parma

Chegaram: Gervinho (Hebei), Sprocati (Lazio) e Deiola (Cagliari)
Saíram: Scavone (Lecce) e Galano (Foggia)

Time-base: Sepe; Iacoponi (Gazzola), Bruno Alves, Gagliolo, Gobbi (Dimarco); Grassi, Stulac, Rigoni; Biabiany (Ciciretti), Inglese, Gervinho.

Um dos clubes que mais agitou o verão não poderia ter passado o último dia de mercado batido. Ao longo da semana as conversas avançaram e nessa sexta-feira finalmente Gervinho assinou com o Parma, que o contratou em definitivo depois de passagem apagada na China. Ao lado de Inglese, contratado na semana passada, o marfinense será um dos protagonistas do time de D’Aversa, que, contudo, não empolga tanto quanto o número de contratações pode indicar.

A correria para registrar Sprocati e Deiola nos últimos momentos da janela indica isso, já que os negócios só foram fechados depois que as prioridades da direção rejeitaram o clube. Suas chegadas também abriram espaço para as saídas de Scavone e Galano, que continuam jogando na Serie B. No entanto, o grupo continuou bastante inchado, especialmente no ataque.

Marlon foi um reforço interessante para o Sassuolo (Divulgação)

Roma

Time-base: Olsen; Florenzi, Manolas, Fazio (Marcano), Kolarov; Strootman (Cristante), De Rossi (N’Zonzi), Pastore; Ünder, Dzeko, Kluivert (Perotti).

Depois de anunciar o volante N’Zonzi no início da semana, a Roma concluiu sua movimentada campanha de contratações sem fechar com um ponta-direito. Dessa forma, não preencheu a vaga que seria ocupada por Malcom. Apesar disso, Monchi montou um grupo bastante completo, com mais opções para Di Francesco do que o da temporada passada. O último dia da janela foi bastante tranquilo para o clube, que não fez nenhuma transferência para o time principal e agora negocia apenas o empréstimo de Gonalons para o Sevilla.

Sampdoria

Chegaram: Tonelli (Napoli) e Saponara (Fiorentina)
Saíram: Verre (Perugia)

Time-base: Audero; Bereszynski, Tonelli, Colley, Murru; Praet, Ekdal, Jankto (Barreto); Saponara (Ramírez); Defrel (Kownacki), Quagliarella.

Uma das principais histórias do último dia do mercado foi proporcionada pela Sampdoria. Na madrugada dessa sexta-feira, o clube de Ferrero entrou em acordo com o Valencia pela transferência de Zaza, mas depois falhou nos contatos com o atacante, que acabou rejeitando seu antigo clube e preferindo o Torino. E assim Giampaolo ficou sem seu reforço tão necessário para o ataque, já que também não houve acordo por Destro. Mais tarde, Sabatini buscou Saponara para disputar posição com Ramírez.

Enquanto tentava desenrolar os imbróglios anteriores, porém, os dorianos foram bem ao contratar Tonelli, sem espaço no Napoli. Afinal, a defesa precisava desesperadamente de pelo menos um reforço. A escassez de nomes na defesa contrastava com o inchaço do meio-campo, depois das contratações no início do mês. Tal situação fez Verre ser emprestado ao ambicioso Perugia, que contratou ao todo seis jogadores da Serie A nessa sexta-feira.

Sassuolo

Chegaram: Marlon (Barcelona)
Saíram: Frattesi (Ascoli), Letschert (Utrecht) e Cassata (Frosinone)

Time-base: Consigli; Lirola (Adjapong), Marlon (Lemos), Ferrari, Rogério (Peluso); Boateng, Locatelli (Magnanelli), Duncan; Berardi, Babacar (Sensi), Di Francesco (Brignola).

Com um dos mercados mais interessantes do verão, o Sassuolo fechou a janela de transferências tranquilo e trabalhou apenas para concluir a papelada do empréstimo de Marlon junto ao Barcelona. O brasileiro disputará um lugar na zaga com Lemos e Ferrari. A chegada do ex-jogador do Fluminense causou a saída do flop Letschert, que voltou para o futebol holandês sem deixar saudades na Emília-Romanha. Os jovens meias Frattesi e Cassata também saíram em busca de espaço, o que não teriam no setor mais reforçado da equipe.

Torino surpreendeu ao acertar com Zaza (Tuttosport)

Spal

Chegaram: Simic (Sampdoria), Bonifazi (Torino), Valdifiori (Torino) e Missiroli (Sassuolo)
Saíram: Väisänen (Crotone)

Time-base: Gomis; Thiago Cionek, Djourou (Vicari), Felipe; Lazzari, Kurtic, Viviani (Éverton Luiz), Missiroli, Fares (Costa); Petagna, Antenucci.

Depois de contratações interessantes como Fares e Petagna, além de ter garantido a permanência de Lazzari, os esforços da Spal nos últimos dias ficaram reservados para a defesa e o meio-campo. Chegaram os jovens Simic, que já tinha jogado em Ferrara na temporada passada, e Bonifazi, promessa do Torino que apareceu profissionalmente justamente na campanha de acesso dos spallini à elite. Os estensi também apostou nos veteranos Valdifiori e Missiroli, que se revezarão para substituir Grassi no sistema de Semplici.

Torino

Chegaram: Aina (Chelsea), Soriano (Villarreal), Djidji (Nantes) e Zaza (Valencia)
Saíram: Acquah (Empoli)

Time-base: Sirigu; Izzo, N’Koulou, Moretti; De Silvestre, Soriano, Rincón, Baselli, Ansaldi (Berenguer); Zaza (Falque), Belotti.

Se na parte bianconera de Turim não houve muita movimentação, o lado granata da cidade mostrou muita agitação. A dupla de dirigentes Cairo-Petruchi chamou atenção ao dar um chapéu na Sampdoria pela contratação de Zaza. Um chapéu que pode significar muito na briga por vaga europeia, já que o Torino acabou formando um ataque de dar inveja a alguns times grandes: Belotti, Zaza, Falque, Ljajic, Niang, Edera e Parigini, além dos garotos Damascan e Butic.

Mazzarri terá bastante poder de fogo e terá que quebrar a cabeça para encaixar Zaza com a dupla Falque e Belotti. A abundância de opções também pode significar a saída de um ou dois jogadores, a exemplo de Ljajic, que atualmente está lesionado e nem mesmo participou da pré-temporada, e Niang, que interessa a clubes franceses e espanhóis. Outro italiano resgatado do futebol espanhol foi Soriano, ex-Sampdoria, que traz um perfil interessante para o meio-campo, então sem opções mais criativas.

Udinese

Chegaram: Troost-Ekong (Bursaspor), Teodorczyk (Anderlecht) e D’Alessandro (Atalanta)
Saíram: Danilo (Bologna) e Adnan (Atalanta)

Time-base: Musso (Nícolas); Larsen, Troost-Ekong (Wagué), Nuytinck (Pezzella), Samir; Fofana (Behrami), Mandragora; Pussetto (Machís), Barak, De Paul; Lasagna (Teodorczyk).

Depois da pré-temporada preocupante, o diretor Pradè teve que correr atrás do prejuízo para tentar ajeitar o elenco, mas talvez o problema esteja além do grupo: o inexperiente treinador Velázquez, que antes da Udinese nunca tinha passado da segunda divisão espanhola, onde teve trabalhos medíocres. Na verdade, o elenco tem alguma qualidade e diversas opções para todos os setores. Ainda houve reforços na zaga, pontas e ataque no último dia.

Se o capitão Danilo saiu depois de desentendimento com a diretoria, o nigeriano Troost-Ekong chegou após ter aparecido bem na Copa do Mundo. No ataque, Felipe Vizeu decepcionou na preparação e depois de ter sondado Lapadula, Munir e Seferovic, a direção trouxe Teodorczyk, do Anderlecht, por um valor generoso: 7,5 milhões de euros, em um mercado que o clube já tinha quebrado a banca com os 5 milhões por Vizeu e 20 milhões por Mandragora. Inclusive, os três são os jogadores mais caros da história do clube.

Deixe um comentário