Serie A

10ª rodada: com Icardi em alta, Inter assume vice-liderança e se junta ao Napoli na caça à Juve

As condições climáticas não colaboraram, mas as fortes chuvas não esfriaram a 10ª rodada do Campeonato Italiano. Pelo contrário: tivemos pelo menos três jogaços e outras partidas com muitas emoções, viradas e surpresas. A Juventus continua soberana na ponta da tabela, mas encontrou dificuldades contra o Empoli. A novidade nesta parte da classificação é a Inter, que venceu a Lazio com folga e aproveitou o empate entre Napoli e Roma para igualar os azzurri na vice-liderança. O fim de semana ainda registrou uma ótima peleja protagonizada por Milan e Sampdoria, com triunfo rossonero, e a primeira vitória do Frosinone nesta Serie A. Confira o resumo.

Lazio 0-3 Inter
Icardi, Brozovic, Icardi (Borja Valero)

Tops: Icardi e Vecino (Inter) | Flops: Milinkovic-Savic e Radu (Lazio)

A Inter encontrou o adversário ideal para chegar à sexta vitória seguida na Serie A e se juntar ao Napoli na vice-liderança do campeonato, com 22 pontos. A Lazio, embora pratique um ótimo futebol e seja forte, tem ido mal contra os nerazzurri: já são cinco partidas sem triunfos, com quatro derrotas e quatro partidas com três gols em seu passivo. Ademais, a equipe de Inzaghi, atualmente quarta colocada, tem tido dificuldades para vencer equipes mais bem posicionadas na tabela. É uma dificuldade que atravessa desde 2017-18, quando os celestes perderam a vaga na Liga dos Campeões na última rodada exatamente por causa de uma derrota para a Beneamata no Olímpico.

Um dilúvio em Roma quase provocou o adiamento da partida, mas poucas horas antes do início, a liga determinou a sua realização. Spalletti surpreendeu ao escalar o português João Mário, antes relegado, como titular. O careca acertou: ao lado de Vecino e Brozovic, o camisa 15 ajudou a Inter a dominar o meio-campo laziale, refém de um Milinkovic-Savic fora de sintonia. Dispersa, também, a defesa romana, que simplesmente deixou Icardi sozinho em algumas ocasiões. Após não alcançar o chute cruzado de Perisic, na primeira delas, o argentino não desperdiçou a segunda, num bate-rebate, e abriu o placar. Antes do intervalo, após Strakosha ceder escanteio numa boa finalização de Vecino, Brozovic ampliou a vantagem nerazzurra com uma pancada da entrada da área.

Precisando reagir no jogo, a Lazio voltou com postura mais ofensiva, mas parou nas prestações seguras da dupla Skriniar-Miranda e em três defesas difíceis (mas sem alarde) de Handanovic. Confortável na partida, a Inter se poupou ao máximo no gramado encharcado do Olímpico e só foi ao ataque quando tinha ótimas condições. Foi numa dessas oportunidades que, aos 70 minutos, Borja Valero arrancou e encontrou Icardi livre de marcação. O argentino apenas precisou cortar Lulic, que chegou atrasado, e bater com firmeza para anotar seu sexto gol no Italiano.

Napoli 1-1 Roma
Mertens (Callejón) | El Shaarawy (Ünder)

Tops: Mertens (Napoli) e Olsen (Roma) | Flops: Hysaj (Napoli) e Cristante (Roma)

Nos últimos dois anos, a Roma vinha complicando a vida do Napoli no San Paolo – em 2017-18, um triunfo romanista foi crucial para que os azzurri esmorecessem suas esperanças de scudetto. O script se repetiu no último jogo do domingo, embora o Napoli tenha lutado o suficiente, em especial no segundo tempo, para sair de campo com a vitória. O empate favorece as rivais Juventus e Inter: afinal, a Velha Senhora voltou a abrir seis pontos de vantagem e a Beneamata, com 22, alcançou a vice-liderança. Os giallorossi, por sua vez, se encontram no grande bloco de equipes que têm 15 pontos, logo atrás.

A Roma ficou muito à vontade na etapa inicial, na qual os defensores do Napoli, dispersos, concederam generosos espaços a seus atacantes. Dzeko, por exemplo, tirou tinta da trave com um chutaço, obrigou Albiol a efetuar um corte providencial em cima da linha e ainda participou do gol marcado por El Shaarawy, aos 14. Quando chegava, o time da casa esbarrava nos erros de Milik e, no segundo tempo, em Olsen.

A saída de De Rossi (lesionado, deu lugar a Cristante) facilitou as coisas para os partenopei, que já ameaçaram o goleiro sueco aos 46, com Callejón. O bombardeio continuou, especialmente com o espanhol, mas Olsen se mostrou atento. As substituições feitas por Ancelotti – que sacou Hysaj e Milik para colocar Malcuit e Mertens – também surtiram efeito e o belga chegou a marcar dois gols, ambos anulados por impedimento. Já nos acréscimos, porém, finalmente valeu: “Ciruzzo” aproveitou a sobra de um chute torto de Callejón e a soneca de Kolarov para aparecer no segundo pau e completar para as redes.

Arma de segundo tempo, Mertens evitou derrota do Napoli contra a Roma (LaPresse)

Milan 3-2 Sampdoria
Cutrone (Suso), Higuaín (Cutrone) e Suso | Saponara e Quagliarella (Saponara)

Tops: Suso (Milan) e Saponara (Sampdoria) | Flops: Calabria (Milan) e Andersen (Sampdoria)

Milan e Sampdoria vinham fazendo partidas disputadas e marcadas por um baixo número de gols. Neste domingo, o acirramento no confronto permaneceu, mas num jogo bem jogado e bastante ofensivo, as redes foram balançadas cinco vezes. Novamente, o time de Gattuso não conseguiu manter sua meta intacta – algo natural, considerando o forte ataque doriano –, mas o balanço é positivo para os rossoneri. Afinal, além dos três pontos, que deixam os dois times empatados na quinta posição, o Diavolo conseguiu bater a então melhor defesa do campeonato em três oportunidades.

O primeiro tempo, agitadíssimo, começou melhor para o Milan. Aos 17, Cutrone abriu o placar após receber cruzamento na medida de Suso e vencer Audero com cabeçada fulminante. Quatro minutos depois, a dupla formada por Quagliarella e Saponara começou a funcionar e iniciou a reação da Samp. Os dois partiram em velocidade, tabelaram e coube ao ex-meia rossonero anotar o gol. Saponara retribuiu o presente aos 31, lançando o atacante, que nem deixou a bola cair e não deu chances a Donnarumma com seu sem pulo. Não demorou para que Higuaín triangulasse com Cutrone e voltasse a estabelecer a paridade e o frenesi na peleja. Após o intervalo, o Milan voltou mais arrumado que o adversário e deu muito trabalho a Audero. No duelo particular com Suso, o goleiro indonésio-italiano ia bem, até que o espanhol acertou um chute indefensável e garantiu o triunfo milanista.

Empoli 1-2 Juventus
Caputo | Ronaldo (pênalti) e Ronaldo (Matuidi)

Tops: Caputo (Empoli) e Ronaldo (Juventus) | Flops: Bennacer (Empoli) e Bernardeschi (Juventus)

O campeonato quase registrou uma grande surpresa neste sábado. Freguês contumaz da Juventus, o Empoli quase quebrou um tabu de quase 20 anos sem bater a Velha Senhora na Toscana. Aproveitando uma partida apagada da equipe bianconera, os azzurri assustaram e chegaram a sair na frente, mas Cristiano Ronaldo restabeleceu a ordem no Castellani. Com o resultado, a Juve voltou a abrir seis pontos de vantagem na liderança e o Empoli segue um calvário iniciado na data Fifa de setembro: desde então, só obteve dois pontinhos.

Diante de uma Juve pouco inspirada, o Empoli ia se contentando com o empate. Acquah, no entanto, não. O ganês arrancou da sua própria intermediária e tentou acionar Krunic, mas um corte mal feito de Bentancur se tornou uma assistência para Caputo acertar um lindo chute e abrir o placar. A líder voltou acesa no segundo tempo e acertou o travessão com Pjanic, mas só empatou mesmo depois de um erro de domínio de Bennacer, que deixou a pelota escapar e derrubou Dybala na grande área. Ronaldo cobrou bem e, 15 minutos depois, aos 70, virou a partida com um petardo, sem dar a mínima chance de defesa a Provedel.

Torino 1-1 Fiorentina
Lafont (contra) | Benassi

Tops: Falque (Torino) e Chiesa (Fiorentina) | Flops: Belotti (Torino) e Fernandes (Fiorentina)

O equilíbrio histórico entre Torino e Fiorentina se manteve no jogo que fechou o sábado de Serie A. Pelo início fulgurante, até parecia que o duelo seria repleto de gols, mas as duas equipes ficaram devendo. A viola ainda não venceu nenhuma vez fora de casa, mas o resultado da partida acabou lhe servindo: afinal, o time de Pioli mantém a quinta posição, que divide com outras cinco adversárias. O Toro tem um pontinho a menos.

Logo no primeiro minuto, a Fiorentina abriu o placar graças a um lance com dupla lei do ex. De Silvestri cometeu um erro crasso contra sua antiga equipe e coube a Benassi aproveitá-lo. Aos 13, a sorte sorriu para o lado piemontês. Aina chutou de fora da área e a bola explodiu na trave e no dorso do goleiro Lafont antes de entrar. Dali em diante, as equipes produziram pouco no molhado gramado do Olímpico de Turim: de notável, apenas uma defesa do próprio Lafont em finalização de Falque e a dupla intervenção de Sirigu diante de Simeone e Mirallas, num mesmo lance.

Suso foi um dos grandes nomes da partidaça entre Milan e Sampdoria (Getty Images)

Atalanta 3-0 Parma
Gagliolo (contra), Palomino (Mancini) e Mancini (Ilicic)

Tops: Mancini e Ilicic (Atalanta) | Flops: Rigoni e Gagliolo (Parma)

Debaixo de um dilúvio, a Atalanta fez valer sua hegemonia recente em Bérgamo contra o Parma. Com mais um show de Ilicic, os nerazzurri mantiveram uma escrita: sempre que seu camisa 72 marca ou dá passe para gol, a equipe soma pontos. Assim, a Dea recuperou algum fôlego na tabela, se afastou da zona de rebaixamento e encostou nos parmenses: com 12 e 13 pontos, respectivamente, a dupla está no meio da tabela.

O Parma começou melhor e assustou a Atalanta com Ceravolo, mas o goleiro Berisha não se deixou surpreender pelo toque de letra do atacante. No início do segundo tempo, foi Gervinho que teve ótima chance, mas acabou travado na hora certa por Palomino. Aos 55, o zagueiro Gagliolo cometeu duas pixotadas decisivas. Primeiro, saiu jogando errado e depois que Ilicic aproveitou para arriscar para o gol, estava tão mal posicionado que a bola rebatida por Sepe tocou nele e entrou. O esloveno chegou a acertar o travessão no final, mas os nerazzurri definiram o placar mesmo com dois de seus zagueiros, em cobranças de escanteio.

Sassuolo 2-2 Bologna
Marlon (Berardi) e Boateng (pênalti) | Palacio (Santander) e Mbaye (González)

Tops: Consigli (Sassuolo) e Palacio (Bologna) | Flops: Di Francesco (Sassuolo) e Calabresi (Bologna)

Um dos poucos times da Serie A contra os quais o Bologna guarda um retrospecto positivo atualmente é o Sassuolo. Com o empate no Mapei Stadium, os felsinei não perdem neste duelo emiliano há seis jogos. O histórico favorável também ajudou o time de Pippo Inzaghi a encerrar um jejum de 511 minutos sem balançar as redes longe do Dall’Ara – foram os primeiros tentos dos rossoblù como visitantes no campeonato.

O Bologna flertou com a vitória desde o segundo minuto de jogo. Após uma blitz inicial e ótima defesa de Consigli, Santander deu prosseguimento à jogada e cruzou rasteiro para Palacio finalizar com força. Pouco depois, o bomber paraguaio quase deixou o seu, cabeceando na trave. Na sequência, Di Francesco desperdiçou contragolpe bisonhamente. O Sassuolo, porém, empatou com um lindo chute de Marlon, aos 17 minutos. Consigli manteve a plasticidade com uma grande defesa no início do segundo tempo, mas Mbaye marcou um dos gols mais feios do ano, aos 56: após escanteio e o toque de González, o senegalês tentou chutar de canhota, furou e contou com a sorte, já que a bola bateu na direita e entrou. Os neroverdi empataram após Boateng converter um pênalti bobo cometido por Calabresi. Nos minutos finais, Bourabia e Matri acertaram a trave e quase efetivaram a virada do time da casa, que não vence há quatro partidas.

Genoa 2-2 Udinese
Rômulo e Romero (Daniel Bessa) | Lasagna (De Paul) e De Paul (Stryger)

Tops: Biraschi (Genoa) e De Paul (Udinese) | Flops: Mazzitelli (Genoa) e Musso (Udinese)

Pedra no sapato do Genoa em tempos recentes, a Udinese impediu que os lígures chegassem à quinta posição da Serie A nesta rodada. Numa partida bem disputada e cheia de emoções, o empate acabou refletindo a produção das duas equipes e foi um resultado justo. Agora, os rossoblù ocupam a 10ª colocação, com 14 pontos, e os bianconeri se afastaram um pouco da zona de rebaixamento: têm 9, três a mais que o Empoli.

Os dois goleiros trabalharam muito no primeiro tempo. Enquanto Radu voou para defender cabeçada de Lasagna, Musso rebateu perigosa cobrança de falta de Criscito. Antes, o arqueiro apenas torceu para que um toque de cabeça de Daniel Bessa não entrasse – acabou batendo na trave. O encontro entre o brasileiro e o argentino se repetiu instantes depois, e dessa vez fisicamente: Musso chegou atrasadíssimo e derrubou o meia. Rômulo converteu a cobrança. Já no segundo tempo, os outros gols saíram num arco de cinco minutos. A Udinese empatou com cabeçada fatal de Lasagna e o Genoa devolveu na mesma moeda, com Romero. Aos 70, De Paul inverteu a lógica e, de fora da área, acertou um chute de rara felicidade. Num dia apagado de Piatek, os grifoni precisaram se contentar com o empate depois que Romero foi expulso.

Ronaldo virou um jogo complicado para a Juventus (AP)

Cagliari 2-1 Chievo
Pavoletti (João Pedro) e Castro (Pavoletti) | Stepinski (Depaoli)

Tops: Castro e Pavoletti (Cagliari) | Flops: Rossettini e Cesar (Chievo)

O “Chievo abaixo de zero” de Ventura continua firme em sua missão de ser a pior equipe do campeonato. Na visita à Sardenha, a equipe gialloblù sucumbiu frente a um organizado Cagliari – treinado por Maran, que foi uma bandeira veronesa e ainda dirigiu o time de 2014 a 2018. Outro ex-clivense que puniu seus antigos companheiros foi o argentino Castro, que articulou as principais jogadas dos sardos.

A vitória do Cagliari, que levou os casteddu para o meio da tabela, começou a ser construída aos 15 minutos. Num escanteio, Pavoletti subiu mais alto que a defesa e não deu chances a Sorrentino. Enquanto o time da casa continuou ameaçando com bolas aéreas, o Chievo só conseguiu responder com um chute perigoso de Depaoli. Após o intervalo, Pavoloso fez bom trabalho de pivô e só ajeitou para Castro acertar uma linda finalização no ângulo. Com a vitória encaminhada, o time da casa relaxou e permitiu que Stepinski anotasse o golzinho de honra dos vênetos.

Spal 0-3 Frosinone
Chibsah (Ciano), Ciano (Campbell) e Pinamonti (Cassata)

Tops: Campbell e Ciano (Frosinone) | Flops: Felipe e Cionek (Spal)

Por incrível que pareça, o fato de o Frosinone ter conseguido sua primeira vitória no campeonato e ainda ter passado o domingo sem levar gols não foi tão surpreendente assim. Afinal, nos três jogos realizados contra a Spal nas séries A e B, a equipe auriazul tem 100% de aproveitamento. Mesmo com o triunfo, os ciociari continuam na penúltima posição, com 5 pontos; já a Spal somou três derrotas seguidas em casa na elite pela primeira vez desde 1967 e é a 14ª, com 12.

A partida, brigada e cheia de cartões amarelos (nove, no total), só teve o primeiro gol aos 40 minutos. Chibsah, que tivera tento bem anulado anteriormente, apareceu bem em cobrança de escanteio e cabeceou forte para as redes. A Spal quase empatou quando um chute de Fares foi desviado por Paloschi e explodiu no travessão, mas no início da etapa final o Frosinone encaminhou a vitória. Campbell fez boa jogada pela ponta esquerda e rolou para Ciano, sozinho na entrada da área, finalizar no contrapé de Gomis. Os estensi ainda tentaram reagir, mas o chute cruzado de Antenucci parou na trave e Sportiello fez defesaça em um petardo de Fares. Já no finalzinho, o garoto Pinamonti, emprestado pela Inter, fechou a conta com um belo gol por cobertura.

Seleção da rodada
Olsen (Roma); Skriniar (Inter), Palomino (Atalanta), Mancini (Atalanta); Suso (Milan), Ciano (Frosinone), Vecino (Inter), Ilicic (Atalanta); Ronaldo (Juventus); Icardi (Inter), Cutrone (Milan). Técnico: Luciano Spalletti (Inter).

Deixe um comentário