Serie A

9ª rodada: Inter pinta Milão de azul e preto e ensaia perseguição a Juventus e Napoli

Após duas semanas de pausa, o Campeonato Italiano voltou com tudo. A rodada teve o Derby della Madonnina como jogo de maior destaque e emoção, mas foi caracterizada por algumas surpresas. A maior delas foi o tropeço da Juventus contra o Genoa, que diminuiu a – ainda grande – distância que a Velha Senhora tem sobre Napoli e Inter. Os passos em falso de Roma e Fiorentina também merecem citação. Confira o resumo.

Inter 1-0 Milan
Icardi (Vecino)

Tops: Vecino e Icardi (Inter) | Flops: Donnarumma e Higuaín (Milan)

A Inter engatou a quinta marcha e atingiu velocidade de cruzeiro. Nos últimos sete jogos, a equipe de Spalletti deixou para trás o início irregular de temporada ao somar sete vitórias – o que não acontecia desde janeiro do ano passado. A comemoração veio num jogo sólido contra o Milan, com direito a gol do artilheiro e capitão Icardi nos acréscimos. O triunfo citadino manteve a Beneamata na terceira posição, agora seis pontos atrás da Juventus – os rossoneri ocupam apenas a 12ª posição.

Quase inofensivo, o Milan só assustou mesmo no primeiro lance de perigo da partida, com um chute de Suso, que passou à esquerda de Handanovic, e no gol bem anulado de Musacchio. A etapa inicial foi bastante disputada em termos territoriais, mas foi a Inter que teve mais oportunidades. Icardi também teve tento bem anulado e, quando estava em posição legal, foi bem travado por Romagnoli. De Vrij ainda acertou a trave e Perisic fez Donnarumma trabalhar, com uma cabeçada. Em quase todas essas jogadas, o destaque foi a presença de Vecino, que subiu mais ao ataque do que de costume – sobretudo após Nainggolan deixar o clássico por conta de uma lesão.

Na segunda etapa, o ritmo das equipes caiu consideravelmente. E o número de chance de gol também: na melhor delas, para a Inter, Politano errou o alvo. Quando o Derby della Madonnina caminhava para o sexto empate nas nove pelejas mais recentes – o segundo 0 a 0 seguido –, Icardi fez uma jogada de puro centroavante. O argentino se movimentou muito bem, enganando o compatriota Musacchio e contou com um erro de leitura de Donnarumma para, no segundo pau, completar o belo cruzamento de Vecino. Aos 92 minutos, Milão se coloriu de azul e preto.

Juventus 1-1 Genoa
Cristiano Ronaldo | Daniel Bessa (Kouamé)

Tops: Ronaldo (Juventus) e Kouamé (Genoa) | Flops: Bonucci (Juventus) e Radu (Genoa)

Demorou, mas a Juventus tropeçou. A Velha Senhora continua invicta e na liderança da Serie A, mas perdeu os 100% de aproveitamento e alguma vantagem para o Napoli – agora, são quatro pontos de distância. O Genoa, por sua vez, continua no meio da tabela e dando trabalho para seus adversários. O técnico Juric, portanto, estreou com o mesmo espírito de Ballardini – o antecessor que não deveria ter sido demitido.

O primeiro empate entre Juve e Genoa depois de 11 confrontos foi samba de uma nota só na etapa inicial. A dona da casa foi à carga nos minutos iniciais e assustou bastante, sempre com Ronaldo. Cristiano fez o goleiro Radu trabalhar duas vezes e acertou a trave. O gol, é claro, saiu dos pés do português. Após cobrança de escanteio, Cancelo aproveitou a sobra e chutou da entrada da área. O desvio na zaga enganou o arqueiro romeno e CR7 completou para as redes.

Após o intervalo, o Genoa saiu mais para o jogo e assustou com um chute forte de Piatek. O empate, no entanto, aconteceu depois que Bonucci afastou mal uma bola lançada à área e ainda cochilou na marcação de Daniel Bessa, na sequência da jogada – foi o primeiro gol marcado pelos grifoni no Allianz Stadium em cinco anos. Já no final, a Velha Senhora teve a chance de definir a vitória, mas Cristiano Ronaldo errou uma cabeçada por apenas alguns centímetros.

Ronaldo bem que tentou, mas não de: Juve empatou em casa (AP)

Udinese 0-3 Napoli
Ruiz, Mertens (pênalti) e Rog

Tops: Allan e Ruiz (Napoli) | Flops: Fofana e Opoku (Udinese)

O Napoli não tem encontrado dificuldades em atuar em Údine nos últimos anos. Neste sábado, fez valer a tendência e venceu a Udinese com tranquilidade, aproximando-se um pouco da Juventus na disputa pelo scudetto. Os friulanos, por outro lado, já começam a se preocupar com a zona de rebaixamento. O início de campeonato do time de Velázquez foi positivo, mas os maus resultados se acumulam e os bianconeri encontram-se com 8 pontos, logo acima do trio que cairia para a segundona.

A vitória da equipe de Ancelotti começou a ser construída aos 14 minutos, com belo gol de Fabián Ruiz. O espanhol aproveitou uma atabalhoada saída de bola do time da casa, roubou a posse e finalizou com classe, no ângulo de Scuffet. A Udinese tentou empatar ainda no primeiro tempo, com um chute potente de Lasagna, mas Karnezis defendeu – ainda que sem segurança. O domínio napolitano não foi abalado, porém. Zielinski perdeu duas chances claríssimas e Samir quase anotou um bizarro gol contra, mas o segundo saiu apenas aos 82. Opoku, com o braço direito aberto, bloqueou finalização de Callejón dentro da área. Mertens converteu e, três minutos depois, o recém-entrado Rog definiu o placar.

Roma 0-2 Spal
Petagna (pênalti) e Bonifazi (Valdifiori)

Tops: Lazzari e Bonifazi (Spal) | Flops: Luca Pellegrini e Fazio (Roma)

Está aberto mais um princípio de crise na Roma. Afinal, perder em casa para a Spal estava fora dos planos de qualquer membro da comunidade giallorossa – considerando, sobretudo, que os spallini vinham de quatro derrotas e só uma vez na história, nos anos 1960, haviam triunfado em embates no Olímpico. O resultado deixa os romanos com 14 pontos, na sexta posição, e os estensi com 12, na 12ª.

Num primeiro tempo sem grandes emoções, a Spal conseguiu abrir o placar graças a seu motorzinho. O ala direito Lazzari arrancou em altíssima velocidade e só foi parado dentro da área, com empurrão de Luca Pellegrini em suas costas. Petagna converteu a penalidade e chocou o Olímpico. No segundo tempo, Dzeko errou bisonhamente um chute fácil e desperdiçou a chance de empatar. O castigo veio na sequência, quando o jovem zagueiro Bonifazi superou a fraca marcação de Cristante e Fazio para ampliar. O terceiro quase saiu com um chute forte de Petagna, mas Olsen se opôs com maestria. A Roma tentou voltar ao jogo, mas esbarrou em Milinkovic-Savic (Vanja, irmão de Sergej). Antes de ser expulso por fazer cera, o goleiro fez ótima defesa e contou com a ajuda do travessão para evitar o tento de Lorenzo Pellegrini.

Parma 0-2 Lazio
Immobile (pênalti) e Correa (Immobile)

Tops: Sepe (Parma) e Berisha (Lazio) | Flops: Inglese (Parma) e Luis Alberto (Lazio)

Parma e Lazio não fizeram a mais bonita das partidas neste domingo. Entre incompetência nas finalizações, falta de criatividade e ímpeto, as duas equipes iam caminhando para um 0 a 0 insosso, até que o kosovar Berisha mudou a história da peleja. O meia contratado pela equipe romana na última janela entrou no lugar de Lucas Leiva e, junto a Correa, deu um dinamismo que faltava aos celestes, reféns das apagadas temporadas de Luis Alberto e Milinkovic-Savic.

No primeiro tempo, a Lazio assustou com um chute forte de Lulic e uma chegada de Patric, bem defendida por Sepe. Mas foi o Parma que teve a melhor oportunidade: Inglese partiu em contra-ataque e poderia ter servido Di Gaudio, que estava livre, mas foi egoísta e chutou torto. Na etapa final, Immobile perdeu uma chance claríssima, mas pode se redimir graças ao pênalti sofrido por Berisha. Depois de desencantar, o atacante ainda serviu Correa, que deu números finais ao placar e manteve a Lazio na quarta posição, com 15 pontos. O Parma, com 13, divide a nona colocação com Genoa e Torino.

Nem adianta reclamar: Roma desperdiçou chances demais e caiu contra a Spal (LaPresse)

Sampdoria 0-0 Sassuolo

Tops: Barreto (Sampdoria) e Magnani (Sassuolo) | Flops: Defrel (Sampdoria) e Ferrari (Sassuolo)

Na partida entre duas das maiores sensações do campeonato, as defesas levaram a melhor. O empate foi melhor para o Sassuolo, que vinha de três derrotas consecutivas e fez valer a sua superioridade na casa da Sampdoria. No Marassi, os neroverdi venceram três dos seis jogos realizados – considerando todo o histórico, o time emiliano também não leva gols dos genoveses há três duelos. As equipes continuam separadas por um ponto: os dorianos têm 15 pontos, na quinta posição, e os visitantes vêm logo atrás, com 14.

O jogo que fechou a rodada, nesta segunda, teve poucas emoções. No primeiro tempo, a melhor oportunidade foi do Sassuolo, que acertou a trave com um belo chute de Berardi. A Samp, porém, teve uma presença maior no ataque e desperdiçou o pouco que criou. Ramírez isolou uma finalização sozinho na grande área, Defrel se movimentou bem, mas não foi capaz de acertar o gol cara a cara com Consigli. Já no finalzinho, Saponara emendou um sem pulo com potência, mas não enquadrou o alvo.

Fiorentina 1-1 Cagliari
Veretout (pênalti) | Pavoletti (Faragò)

Tops: Chiesa (Fiorentina) e Cragno (Cagliari) | Flops: Pezzella (Fiorentina) e Cerri (Cagliari)

A Fiorentina havia vencido suas quatro primeiras partidas em casa na temporada, mas foi surpreendida pelo Cagliari no fim de semana. A equipe viola contou com um Chiesa bastante participativo, mas parou principalmente na boa postura defensiva sarda e nas defesas do goleiro Cragno. No lado oposto, Lafont também foi bastante exigido e deixou o empate de bom tamanho. Os toscanos ocupam a sexta posição, com 14 pontos, ao passo que os rossoblù têm 10 pontos e estão pouco acima da zona da degola.

O jogo começou favorável para o Cagliari, mas Cerri não finalizou bem e parou em Lafont. Na sequência, Chiesa não abriu o placar com um chute cruzado por muito pouco. O ponta-direita voltou a incomodar os adversários no segundo tempo, depois de sofrer pênalti (discutível) de Barella. Veretout converteu, mas os sardos empataram nove minutos depois, quando Pavoletti se antecipou a Pezzella e desviou cruzamento de Faragò para as redes. Na reta final da partida, Lafont fez ótima defesa em chute de João Pedro no contrapé, mas quem roubou a cena foi Cragno, que executou duas intervenções maravilhosas em finalizações de Chiesa.

Chievo 1-5 Atalanta
Birsa (pênalti) | De Roon, Ilicic (Freuler), Ilicic (Freuler), Ilicic (Gosens) e Gosens

Tops: Ilicic e Gosens (Atalanta) | Flops: Barba e Jaroszynski (Chievo)

A reestreia de Ventura na Serie A foi tão vergonhosa quanto a sua passagem pela seleção italiana. O veterano treinador começou com o pé esquerdo no Chievo e amargou uma goleada frente a uma Atalanta que vinha tendo o seu pior início de campeonato desde a temporada 2009-10 – que terminou com rebaixamento para os nerazzurri. Após a surra, os clivensi continuam segurando a lanterna, com 1 ponto negativo e a pior defesa da competição, com 24 gols sofridos. Já a Atalanta sobe para 9 pontos e respira.

A goleada em Verona começou com dois chutes indefensáveis para Sorrentino. O primeiro foi uma pancada que De Roon emendou da entrada da área e o segundo foi um arremate colocado no ângulo, de autoria de Ilicic. Tudo ficou mais fácil para o esloveno depois que Barba, o se marcador, foi expulso: Josip marcou o terceiro, aos 50, e dois minutos depois apareceu na área com atacante para se consagrar com uma tripletta. Autor da assistência para o quarto gol, Gosens anotou o quinto com um chutaço sem ângulo. Já no final, Birsa acertou a trave em cobrança de falta e descontou para o Chievo após um pênalti infantil cometido pelo goleiro Gollini.

Abram as cortinas: Ventura retorna ao futebol com vexame pelo Chievo (LaPresse)

Bologna 2-2 Torino
Falque e Baselli (Falque) | Santander e Calabresi (Orsolini)

Tops: Santander (Bologna) e Falque (Torino) | Flops: Nagy (Bologna) e Belotti (Torino)

Nesta década, o Bologna ainda não venceu o Torino em casa. O jejum continua, mas o empate foi muito celebrado pelos rossoblù, já que foi arrancado com todas as forças. O Toro chegou a abrir vantagem de dois gols, mas não conseguiu conter a reação no segundo tempo. O empate deixa os grenás no meio da tabela, com 13 pontos, e os bolonheses ainda em situação complicada, com 8 pontos – apenas dois acima da zona de rebaixamento.

O Torino saiu na frente com um belíssimo gol de fora da área marcado por Falque. Os grenás continuaram dominando o jogo graças ao meia-atacante espanhol, que dava intensidade e criatividade ao time. Iago teve duas oportunidades muito boas – a mais clara delas no início do segundo tempo –, mas contribuiu novamente como garçom. Roubou a bola de Nagy na linha de fundo e ajeitou com perfeição para Baselli ampliar. Daí em diante, o Toro dormiu e o Bologna cresceu. Numa cobrança de escanteio, Palacio acertou a trave e Santander diminuiu. Após o tento de El Ropero, surgiu um herói improvável: o zagueiro Calabresi se antecipou para roubar a bola numa saída errada da defesa granata, tabelou com Orsolini e concluiu com perfeição.

Frosinone 3-3 Empoli
Silvestre (contra), Ciofani (pênalti) e Ciofani (Campbell) | Zajc (Antonelli), Silvestre (La Gumina) e Uçan

Tops: Ciofani (Frosinone) e Zajc (Empoli) | Flops: Capuano (Frosinone) e Caputo (Empoli)

O placar dançou como um bailarino no Benito Stirpe. Para lá e para cá, o confronto teve duas viradas, muitas emoções e terminou empatado, para o desgosto de Frosinone e Empoli, que continuam na zona de rebaixamento, com 2 e 6 pontos, respectivamente. Com quase 25% do campeonato já realizado, a situação já é bem ruim para a dupla, mas especialmente para os canários.

O Frosinone saiu na frente logo aos 8 minutos, graças a um gol contra bisonho de Silvestre, que tentava cortar um cruzamento rasteiro. O Empoli deixou tudo igual aos 32, depois que Antonelli roubou a posse de bola no ataque, tabelou e deixou Zajc de cara para o crime. Ainda na etapa inicial, Silvestre quase se redimiu ao acertar a trave, mas só conseguiu tirar o peso das costas na volta do descanso: aproveitou cobrança de escanteio e virou. Em 15 minutos, o Frosinone voltou a ficar em vantagem, graças a dois gols do capitão Ciofani – com a doppietta, o atacante se tornou o primeiro jogador a superar a marca de 10 tentos na elite com a camisa ciociara. Já na reta final, o turco Uçan decretou o empate com um chute potente.

Seleção da rodada
Cragno (Cagliari); Lazzari (Spal), Bonifazi (Spal), De Vrij (Inter), Gosens (Atalanta); Ruiz (Napoli), Vecino (Inter), Freuler (Atalanta); Falque (Torino), Ilicic (Atalanta); Icardi (Inter). Técnico: Leonardo Semplici (Spal).

1 comentário

Deixe um comentário