Coppa Italia

Times mais tradicionais da Itália avançam e farão quartas de final ‘de peso’ na copa



As oitavas de final da Coppa Italia foram marcadas pela classificação dos seis grandes. Todos os times que entraram como favoritos em seus confrontos avançaram às quartas, com exceção da Atalanta. Tirando o jogo da Dea contra a Fiorentina e o duelo entre Torino e Genoa, as demais partidas passaram longe de serem equilibradas. O que deve mudar a partir da semana que vem, quando a próxima fase começará a colocar as grandes forças do país em rota de colisão. Se enfrentam Napoli e Lazio, Juventus e Roma, Milan e Torino, e Fiorentina e Inter.

O principal nome dessas oitavas de final foi Dybala. O argentino fez chover no jogo da Juventus contra a Udinese, e comandou o time piemontês com uma assistência e dois gols. As oitavas também levaram grande alegria para Lukaku, Insigne, Cutrone e Pellegrini, que fez a sua primeira doppietta com a camisa da Roma.

Juventus 4-0 Udinese

Gols: Higuaín, Dybala (pênalti), Dybala e Douglas Costa (pênalti)

Em noite mágica de Dybala, a Juventus goleou a Udinese por 4 a 0. O argentino foi autor de dois gols e ainda deu uma assistência. Os outros tentos foram anotados por Higuaín, que ainda deu um passe decisivo, e Douglas Costa. A partida em Turim foi um verdadeiro monólogo bianconero. O time de Maurizio Sarri dominou a equipe reserva da Udinese do começo ao fim e garantiu uma vitória tranquila nas oitavas de final da Coppa.

Mágico. É assim que devemos descrever o primeiro gol da Juventus no jogo. Logo aos 16 minutos, a dupla argentina formada por Dybala e Higuaín tabelou de maneira espetacular. Foram seis toques, três de cada um, sendo o penúltimo uma cavadinha do camisa 10 para Pipita dominar no peito e bater de direita. Menos de 10 minutos depois, mais um gol da Juve. Bernardeschi invadiu a área e foi derrubado por Nícolas. Dybala foi para a cobrança e bateu rasteiro, com força, no canto direito.

O segundo tempo começou com mais uma pintura do camisa 10. Higuaín arrancou com a bola do meio-campo e rolou para La Joya. Dybala, da lateral da grande área, chutou colocado no ângulo oposto. Nícolas se esticou todo mas não conseguiu evitar o belo gol do argentino. Dois minutos depois, pênalti para a Juventus. Um bate-rebate na área acabou com a bola tocando na mão do Nuytinck. Douglas Costa foi para a bola e converteu.

Apesar da grande atuação coletiva da Juventus, foi a noite espetacular de Dybala o que mais chamou a atenção. Além dos gols e da assistência, argentino acertou 100% dos dribles, 87% dos passes – quatro deles, decisivos –, criou uma grande chance, acertou dois dos três lançamentos tentados e ainda ganhou cinco dos seis duelos no chão. Só faz crescer.

Inter 4-1 Cagliari

Gols: Lukaku, Borja Valero, Lukaku e Ranocchia; Oliva

A Inter teve atuação arrasadora na vitória contra o Cagliari. Em um dos jogos mais esperados dessa oitavas de final, a Beneamata dominou o time da Sardenha no San Siro e venceu por 4 a 1, com dois gols de Lukaku. O time de Milão abriu o placar com incríveis 21 segundos: um passe errado tenebroso de Oliva deixou o belga cara a cara com o goleiro Olsen e o camisa 9, com a calma habitual, não teve a menor dificuldade para colocar a bola para dentro.

A marcação alta de Antonio Conte dificultava muito a saída de bola do Cagliari. O time rossoblù era completamente sufocado. Quando conseguia tirar a bola da sua zona defensiva, a pressão da Inter no homem da bola fazia com que a equipe nerazzurra rapidamente recuperasse a posse. Com tal dominância, o time da casa ampliou aos 21 minutos, quando Borja Valero aproveitou cruzamento e fez, de coxa. A Beneamata jogava bastante pelas laterais, com Dimarco e Lazaro, e apostava nos belos pivôs feitos por Lukaku. O primeiro tempo terminou com uma superioridade absoluta da Inter. A equipe da Sardenha não deu um chute sequer nos primeiros 45 minutos.

O segundo tempo começou como o primeiro: gol do Lukaku com poucos minutos. Aos 48, o belga apareceu para, de cabeça, fazer o seu segundo no jogo. Em meados da etapa final, a Inter tirou um pouco o pé do acelerador, Conte começou a rodar o time e o Cagliari diminuiu. Cerri segurou a bola e deu um passe de calcanhar na medida para Oliva bater com força, sem chances para Handanovic. Na sequência, o time visitante até tentou buscar o resultado, mas Ranocchia, de cabeça, fez o quarto interista e definiu o placar. A equipe de Conte avançou para as quartas de final e enfrentará a Fiorentina, que bateu a Atalanta em um bom jogo.

Em grande momento, Lukaku anotou mais uma doppietta na temporada (AFP/Getty)

Fiorentina 2-1 Atalanta

Gols: Cutrone e Lirola; Ilicic

Fiorentina e Atalanta fizeram um grande jogo no Artemio Franchi. Durante praticamente toda a partida a equipe visitante teve mais que o dobro da posse de bola e levou muito perigo à meta da Viola, principalmente no segundo tempo, quando teve um jogador a mais. A dona da casa se segurou e definiu a partida em um bonito lance iniciado por Pulgar.

O duelo começou com muitos erros e nenhum dos times conseguia se impor. A Fiorentina atacava pelos lados, com Dalbert e Lirola, enquanto Malinovskyi armava o jogo da Dea vindo da direita para dentro. O primeiro gol da partida veio aos 11 minutos, quando Cutrone recebeu no pivô, passou para Dalbert que buscou o fundo do campo e cruzou rasteiro para o ex-jogador do Milan mandar para dentro do gol e estrear como titular da melhor maneira possível.

Com a vantagem no placar, a Fiorentina se fechou por completo. A equipe de Bérgamo tinha a bola e era ela quem propunha o jogo. No primeiro tempo e no começo do segundo o ataque vertical da Viola incomodava demais a defesa da Dea. Mas, com a entrada de Ilicic e Gómez, o time visitante começou a criar boas oportunidades e o gol de empate não demoraria muito a sair.

A equipe de Gian Piero Gasperini continuou lutando e, aos 67 minutos, Ilicic deixou tudo igual. A jogada começou com um cruzamento de Malinovskyi para o esloveno, que só empurrou a bola para o fundo da rede. Apenas três minutos depois, Pezzella recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso por Gianluca Manganiello.

A partida continuou com a Dea pressionando e a Fiorentina saindo nos contra-ataques, sempre buscando o jogo vertical. O trabalho duro do time de Giuseppe Iachini foi recompensado aos 84, quando Pulgar deu um belo passe para Lirola avançar pelo lado direito e bater cruzado para garantir a vitória da Viola e vingar a queda para a Atalanta nas semifinais da última edição da copa. Apesar da eliminação a finalista de 2019 ainda sonha alto nessa temporada: o time de Gasperini está em quarto lugar na Serie A e nas oitavas de final da Champions League.

Parma 0-2 Roma

Gols: Pellegrini e Pellegrini (pênalti)

Quase como um acordo de compadres. O Parma praticamente desprezou a Coppa Italia, entrou com time reserva para encarar a Roma e deixou o caminho com poucos obstáculos para que a equipe da capital carimbasse sua vaga nas quartas de final, com show do maestro Pellegrini.

Sem Sepe, Iacoponi, Bruno Alves, Darmian, Hernani, Inglese e Kulusevki, além do lesionado Gervinho, o Parma até tentou aproveitar algumas situações. Geralmente, tentava acionar Cornelius em profundidade – o que deixou Pau López em afã numas oportunidades –, mas não conseguiu finalizar. A Roma acabava permitindo essas ações por conta de uma defesa alta e de uma experiência tática feita por Paulo Fonseca. O português escalou o time num 3-3-3-1, com Cristante entre os zagueiros.

No início do segundo tempo, a Roma matou o jogo. Pellegrini tabelou com Kalinic e finalizou no cantinho do goleiro Colombi. Com a vantagem visitante, ficou difícil para o Parma reagir, até porque a Loba atacou as costas da defesa adversária quando pode. Aos 76 minutos, Barillà interceptou cruzamento de Florenzi com o braço e Pellegrini decretou números finais ao confronto.

Milan 3-0 Spal

Gols: Piatek, Castillejo e Hernandez

O primeiro tempo de Milan e Spal foi equilibrado. O time da casa começou o jogo amassando os biancazurri, mas depois de 15 minutos de bastante dificuldade, os estensi começaram a ter a posse de bola e a equilibrar as ações da partida. E foi em um momento em que a Spal tinha forte presença na área defensiva do Milan que a equipe rossonera achou o seu gol. Bennacer, aos 20 minutos, enfiou uma belíssima bola para Piatek, nas costas da defesa de Leonardo Semplici, e o polonês, sem pestanejar, anotou.

Os primeiros 45 minutos tiveram a Spal trabalhando a sua posse maior posse de bola no campo de defesa da equipe de Milão, que apostava em um jogo vertical, de poucos toques, e que, na maioria das vezes, buscava ou Piatek ou Castillejo. E foi com essa dupla que o Milan, com mais um ótimo contra-ataque, chegou ao seu segundo gol no jogo. Piatek arrancou pelo lado esquerdo e tocou para Samu Castillejo na entrada da área. O espanhol ajeitou e bateu no ângulo, sem chances para Berisha.

A Spal buscava o gol mas parava em uma defesa segura e num ataque limitado. Os grandes nomes da equipe biancazurra eram Dabo e Floccari. O burquinabê tinha boas arrancadas pelo lado direito, participando com muita eficiência na destruição de jogadas, enquanto Floccari ditava o ritmo e cadenciava o ataque da equipe visitante. Isso, porém, não era suficiente para o time de Ferrara, que continuava com a posse mas via o Milan ter as principais chances e finalizações. Nessa toada, Hernandez matou o jogo aos 66 minutos, com um lindo chute.

Novamente agudo, novamente marcando: Hernandez voltou a jogar bem pelo Milan (Getty)

Napoli 2-0 Perugia

Gols: Insigne (pênalti) e Insigne (pênalti)

Em jogo tranquilo, o Napoli dominou o Perugia e venceu com boa atuação de Insigne, autor dos dois gols napolitanos. A partida também marcou a estreia da nova contratação partenopea: Diego Demme. O ítalo-alemão entrou aos 63 minutos.

O Napoli teve o domínio da posse de bola durante todo o jogo. A equipe da casa pressionou e conseguiu achar muitos buracos na defesa do Perugia, principalmente nos primeiros 60 minutos. A vitória napolitana em nenhum momento foi posta em risco, já que o time de Gennaro Gattuso teve uma atuação muito segura e com bastante volume ofensivo. Apesar disso, os visitantes se mostraram bem treinados e bastante corajosos em alguns momentos: tentavam sair jogando por baixo, mas encontravam muitas dificuldades com a marcação alta do time napolitano.

Parecia questão de tempo até que o time da casa abrisse o placar, o que aconteceu com um gol de pênalti de Insigne, aos 26 minutos. O capitão napolitano era quem comandava as ações ofensivas do Napoli, que buscava sempre o lado esquerdo, onde estava Lorenzo. Foi de pênalti, também, cerca de 10 minutos depois do primeiro, que veio o segundo gol partenopeo, novamente com Insigne. O Perugia teve, ainda no primeiro tempo, a chance de diminuir a vantagem napolitana. Hysaj colocou a mão na bola, o VAR chamou e o árbitro deu pênalti. Contudo, Iemmello parou em Ospina.

No segundo tempo o jogo foi mais morno. O Napoli administrava a vantagem e o Perugia só tentava chegar à meta de Ospina. Os azzurri, porém, apenas faziam o tempo passar e ficaram com a vaga. O time da Úmbria, contudo, deixou a copa de cabeça erguida: eliminou dois times da Serie A (Brescia e Sassuolo) e ofereceu dificuldades para os partenopei.

Lazio 4-0 Cremonese

Gols: Patric, Parolo, Immobile (penâlti) e Bastos

Em jogo morno, Lazio não teve dificuldades para eliminar a Cremonese no Olímpico. A equipe de Simone Inzaghi abriu o placar cedo, com menos de 10 minutos, com o espanhol Patric. Antes dos 25, Parolo já havia aumentado a vantagem biancoceleste para 2 a 0. Com tamanha vantagem sobre um time que briga para não cair na segundona, os romanos se deram ao luxo de se pouparem – o que deixou a partida sonolenta.

A Lazio não fazia muita forças para atacar e, com naturalidade, chegou aos quatro gols contra o time mais frágil das oitavas. Nesse contexto, o destaque foi o ala Jony, sempre ativado pelo lado esquerdo, que contribuiu com quatro passes-chave e duas assistências através de cruzamentos precisos. Outro jogador que merece destaque é o zagueiro Acerbi, que acertou seis das 12 bolas longas tentadas, ganhou todos os duelos aéreos e no chão, e ainda contribuiu com nove intervenções contra os rivais. Uma atuação de gala.

Torino 1-1 Genoa (5-3 nos pênaltis)

Gols: De Silvestri; Favilli

Torino e Genoa abriram as oitavas de final da Coppa Italia em jogo isolado no dia 9 de janeiro. O confronto entre a equipe de Turim e a equipe de Gênova foi o único das oitavas a ser decidido nos pênaltis. Os dois gols da partida foram marcados antes dos 25 minutos e, dali em diante, os goleiros Sirigu e Radu tiveram belas atuações. O veterano do Toro levou a melhor ao defender o pênalti de Radonovic e levou os grenás para as quartas de final.



Deixe um comentário