Serie A

16ª rodada: a Juventus freou o ímpeto do Milan e pôs mais fogo no campeonato

Como havíamos antecipado na prévia, a 16ª rodada tinha potencial para colocar fogo na Serie A. E isso aconteceu: com as derrotas de Milan e Inter, respectivamente líder e vice-líder do campeonato, diminuiu a distância do topo da tabela para outros concorrentes pelo título e por vagas na Champions League. A Juventus, que bateu o Diavolo no confronto direto, voltou à briga pelo scudetto, enquanto a Roma foi a vencedora colateral da jornada, uma vez que fez a sua parte e está a apenas quatro pontos da primeira posição. Confira, abaixo, como foi a quarta de futebol na Itália.

>>> Classificação e artilharia da Serie A

Milan 1-3 Juventus

Gols e assistências: Calabria (Rafael Leão); Chiesa (Dybala), Chiesa (Dybala) e McKennie (Kulusevski)
Tops: Chiesa e Dybala (Juventus)
Flops: Hernandez e Romagnoli (Milan)

Nada é para sempre. Dez meses depois, caiu a incrível sequência invicta do Milan na Serie A. Diante da rainha da Bota, que não pretende abrir mão do seu reinado, o time de Pioli voltou a sentir o gosto amargo da derrota, o que não acontecia pela Serie A desde o tropeço contra o Genoa, em março de 2020. Num dia apagado de Ronaldo, a Juventus foi liderada por Dybala e Chiesa – autor de dois dos três gols dos bianconeri na partida –, se impôs e foi melhor durante grande parte do confronto, tendo, sem dúvida, a sua melhor atuação na temporada. Com um jogo a menos e a sete pontos dos rossoneri, a Velha Senhora está mais viva do que nunca na disputa pelo scudetto.

Com desfalques, o Milan parecia cansado e refém de uma Juventus intensa e dominante. Apesar de ver Calabria realizar uma partida consistente improvisado como volante e exigir belíssimas intervenções de Szczesny, o Diavolo viu Chiesa, Dybala e Kulusevski arrasarem com o lado esquerdo da sua defesa. Batidos com facilidade em quase todas as jogadas, Hernandez e Romagnoli foram o caminho para o sucesso bianconero na partida. Foi ali, na esquerda, que a Juve criou todos os seus três gols – sendo os dois primeiros, belíssimos. Com o importante triunfo, a equipe de Turim mantém vivo o sonho do decacampeonato.

Sampdoria 2-1 Inter

Gols e assistências: Candreva (pênalti) e Keita (Damsgaard); De Vrij (Brozovic)
Tops: Candreva e Audero (Sampdoria)
Flops: Sánchez e Barella (Inter)

Deu zebra em Gênova. Depois de onze jogos sem perder na Serie A, com oito vitórias consecutivas, a Inter sucumbiu quando menos se esperava. Diante de uma Sampdoria extremamente organizada, os comandados de Antonio Conte, que se preparavam para uma sequência difícil, na qual enfrentarão Roma e Juve, não souberam o que fazer para neutralizar um primeiro tempo quase perfeito da Samp. Com dois gols para provar que a lei do ex não perdoa, Candreva, emprestado pela Inter, e Keita, ex-jogador nerazurro, anotaram os tentos do triunfo dos donos da casa diante do vice-líder da Serie A.

Organização e qualidade técnica fazem a Samp de Claudio Ranieri. Em um jogo pra chamar de seu, o time de Gênova fez tudo que o seu treinador espera: teve defesa fechada e efetuou contra-ataques perigosos, puxados por Damsgaard e Candreva, impondo à Inter a sua segunda derrota na competição. Pensando nos próximos adversários, a Beneamata, que entrou em campo sem Lukaku e desatenta, ainda contou com uma partida desastrosa de Sánchez, que errou absolutamente tudo que tentou. Inclusive um pênalti atrasado para Audero nos minutos iniciais, antes da penalidade convertida por Candreva. Em uma partida que poderia lhe dar a liderança, a Inter vê a sua segunda posição ameaçada, visto que enfrentará a Roma, terceira colocada, no domingo.

Sánchez teve atuação vexatória e foi um dos responsáveis pela derrota da Inter contra a Sampdoria (IPA)

Crotone 1-3 Roma

Gols e assistências: Golemic (Junior Messias); Mayoral (Mkhitaryan), Mayoral (Cristante) e Mkhitaryan (pênalti)
Tops: Mayoral e Mkhitaryan (Roma)
Flops: Cordaz e Simy (Crotone)

Com um time alternativo, a Roma venceu o Crotone, fora de casa, sem grandes dificuldades. Com grande atuação da dupla Mayoral e Mkhitaryan, o time de Paulo Fonseca, que poupou nomes como Dzeko, Veretout e Pellegrini, alcançou a sua terceira vitória consecutiva na competição. Graças ao tropeço da Inter, sua próxima adversária, a Loba ficou a apenas três pontos da segunda colocação da Serie A.

Do outro lado, o Crotone, que ameaçou uma reação há algumas rodadas, chega a sua terceira derrota nos últimos cinco jogos. Apesar dos resultados negativos, vale ressaltar que três das suas últimas quatro derrotas foram para adversários do topo da tabela (Roma, Inter e Napoli), se saindo bem em jogos contra adversários diretos. Nesta quarta, bastou um primeiro tempo devastador para a Roma ficar com o triunfo, com direito a doppietta e golaço de fora da área de Mayoral.

Napoli 1-2 Spezia

Gols e assistências: Petagna (Di Lorenzo); Nzola (pênalti) e Pobega
Tops: Nzola e Pobega (Spezia)
Flops: Insigne e Ruiz (Napoli)

A vida do Napoli, na Serie A, se resume a uma palavra: tropeços. Nesta quarta, o time de Gattuso teve 60% da posse de bola, 23 finalizações, amplo domínio da partida e um jogador a mais, só que isso não foi o suficiente para que vencesse o recém-promovido Spezia no estádio Diego Armando Maradona. Sem Mertens e Osimhen, lesionados, e com um Insigne irreconhecível, o time do sul chegou à sua quinta derrota na competição, a terceira nos últimos cinco jogos.

O roteiro do confronto foi muito semelhante ao das últimas partidas, com três palavras-chave: pressão, domínio e derrota. O Spezia, que não tem nada a ver com isso, soube aproveitar muito bem as chances que apareceram após Petagna inaugurar o placar para os azzurri. A primeiro delas surgiu em um pênalti no mínimo duvidoso, cometido por Ruiz e muito bem convertido pelo artilheiro Nzola, que chegou ao seu oitavo gol na Serie A. Depois, com um a menos, o time da Ligúria virou a partida após chute do artilheiro franco-angolano beijar a trave e sobrar para o meio campista Pobega. Com a vitória, os visitantes encerraram uma sequência de oito jogos de jejum, além de conseguirem deixar a zona de rebaixamento. O Napoli caiu para a sexta posição.

Mayoral não fez a Roma sentir falta de Dzeko: marcou dois contra o Crotone (AS Roma/LaPresse)

Atalanta 3-0 Parma

Gols e assistências: Muriel (Ilicic), Zapata (Gosens) e Gosens
Tops: Gosens e Ilicic (Atalanta)
Flops: Busi e Hernani (Parma)

A fase é boa. Com apenas uma derrota nos últimos 12 jogos, somando todas as competições, a Atalanta não tomou conhecimento do Parma e venceu por 3 a 0, provocando a demissão do técnico Liverani – autor de duas boas boas campanhas na elite pelos crociati, D’Aversa deve retornar ao clube. O massacre do time de Bérgamo pode ser percebido pelo número de finalizações da partida: enquanto os comandados de Gasperini finalizaram 17 vezes à meta de Sepe, o Parma só arriscou dois arremates contra o gol de Gollini, que não fez uma defesa sequer durante os 90 minutos de jogo.

Com apenas uma vitória nos últimos 13 jogos na Serie A, o Parma se vê em uma posição para lá de delicada no campeonato. Ocupando a 18ª posição na tabela, o time capitaneado pelo veterano português Bruno Alves passará a rodada na zona de rebaixamento, após o Spezia vencer o Napoli fora de casa. Já a Dea contou com mais uma atuação consistente de Gosens e decisiva do seu triunvirato ofensivo (Muriel, Zapata e Ilicic). Os nerazzurri dividem a sexta colocação com o Napoli.

Lazio 2-1 Fiorentina

Gols e assistências: Caicedo e Immobile; Vlahovic (pênalti)
Tops: Luis Alberto e Immobile (Lazio)
Flops: Venuti e Ribéry (Fiorentina)

Quando Luis Alberto e Immobile estão inspirados, fica difícil superar a Lazio. Mesmo com mais posse de bola, a Viola não conseguiu impor o seu jogo e sucumbiu diante da boa marcação laziale, comandada por Acerbi. A equipe, orquestrada pelo camisa 10 espanhol, também feria os visitantes em seus ferozes contra-ataques. Com o resultado, os capitolinos voltou a encontraram a vitória depois de dois jogos e se mantiveram na cola de Atalanta, Napoli e Juventus. Manter-se próximo é algo muito importante para as águias, já que estes três adversários têm um jogo a menos.

A Fiorentina deve ser a grande decepção da Serie A neste primeiro turno. Com qualidade técnica para dar e vender, o time de Florença, simplesmente, não consegue engrenar na competição: soma apenas uma vitória nos últimos dez jogos, pouquíssimo para quem tem Ribéry, Castrovilli, Amrabat, Bonaventura, Callejón, Vlahovic e tantos outros. Dessa vez, a equipe até praticou um futebol melhor, mas sucumbiu a dois lances na grande área, aproveitados por Caicedo e Immobile. A Viola ocupa apenas a 14ª colocação, com três vitórias e 15 pontos somados.

Em grande momento, Nzola ofuscou Insigne e foi o nome da vitória do Spezia sobre o Napoli (Insidefoto)

Sassuolo 2-1 Genoa

Gols e assistências: Boga (Locatelli) e Raspadori (Boga); Shomurodov (Ghiglione)
Tops: Locatelli e Boga (Sassuolo)
Flops: Masiello e Lerager (Genoa)

Depois de ser goleado na última rodada pela Atalanta, o Sassuolo se reencontrou com a vitória diante do Genoa, que segue firme na zona do rebaixamento. A inconstância mostrada pelos neroverdi nos últimos jogos, que combinaram tropeços e vitórias, não afetou a maravilhosa campanha do time treinado por De Zerbi, que, no momento, ocupa a quinta colocação no campeonato.

Sem Berardi, lesionado no começo da partida, e com Djuricic e Caputo apagados durante boa parte do confronto, o Sassuolo se armava, majoritariamente, pelo lado esquerdo do campo, onde brilhavam Locatelli e Boga, responsáveis diretos pelos dois gols da equipe neroverdi. Do outro lado, o Genoa, que empatou com o tento do uzbeque Shomurodov, segue mostrando alguma evolução sob as ordens de Ballardini. Porém, os números mostram que o salto deve ser maior: o Grifone venceu apenas uma vez nos últimos 15 jogos.

Cagliari 1-2 Benevento

Gols e assistências: João Pedro (Pavoletti); Sau (Schiattarella) e Tuia (Insigne)
Tops: Glik e Schiattarella (Benevento)
Flops: Nández e Walukiewicz (Cagliari)

Na reestreia de Nainggolan com a camisa rossoblù, o Benevento de Pippo Inzaghi, foi até a Sardenha e jogou um balde de água fria nas esperanças dos donos da casa de se reencontrarem com a vitória: já são nove jogos sem vencer. Mortais, os bruxos feriram os donos da casa nos contra-ataques, se fechando com maestria e golpeando por meio de ligações diretas orquestradas por Schiattarella. Com o triunfo, os atuais campeões da Serie B seguem na parte de cima da tabela, tendo pontuado em sete dos últimos nove compromissos.

Com pouca posse de bola, os visitantes eram cruéis e certeiros quando se lançavam ao ataque. Logo no começo do confronto, assustaram o time da ilha com um pênalti, anulado pelo VAR. Na sequência, o Cagliari respondeu com Nainggolan exigindo bela defesa de Montipò, que só foi vazado quando João Pedro aproveitou cabeceio de Pavoletti e desviou para abrir o marcador. O homem gol rossoblù participou de 12 dos 23 gols dos casteddu no campeonato. Só que o Benevento aproveitou os muitos erros de posicionamento de Walukiewicz: dois deles, aos 41 e aos 44, terminaram nos gols de Sau e Tuia. Num segundo tempo menos movimentado do que o primeiro, houve tempo para Nández perder a cabeça e ser expulso.

Tudo dominado: Muriel iniciou o triunfo da Atalanta contra o Parma (LaPresse)

Bologna 2-2 Udinese

Gols e assistências: Tomiyasu (Orsolini) e Svanberg (Barrow); Pereyra e Arslan (Molina)
Tops: Tomiyasu (Bologna) e De Paul (Udinese)
Flops: Soriano (Bologna) e Stryger Larsen (Udinese)

Três minutos separaram o Bologna da sua primeira vitória em sete jogos. O time da casa, que saiu na frente com Tomiyasu, chegou ao seu quinto empate consecutivo e empacou no meio da tabela, justamente ao lado da Udinese. A equipe friulana empatou com o argentino Pereyra, viu Svanberg colocar os bolonheses novamente em vantagem após lance de habilidade de Barrow, e foi buscar um ponto importante nos acréscimos do segundo tempo. O tento de Arslan ocorreu com uma pitada de sorte, graças ao desvio em Hickey, mas coroou um segundo tempo dominante dos bianconeri, que tinham um jogador a mais.

Com um jogo a menos em relação às outras equipes que ocupam a parte de baixo da tabela, a formação do norte evitou a sua terceira derrota consecutiva e se manteve a apenas um pontinho do Bologna, 12º colocado. Com 76% de posse de bola e 16 chutes a gol na segunda etapa, a equipe de Údine até que poderia ter saído do Renato Dall’Ara com uma vitória, mas o empate, sofrido como foi, já deve contribuir para melhorar o astral do inconstante elenco comandado por Gotti.

Torino 1-1 Verona

Gols e assistências: Bremer; Dimarco (Zaccagni)
Tops: Bremer (Torino) e Dimarco (Verona)
Flops: Belotti (Torino) e Faraoni (Verona)

Sem perder há quatro jogos, o Torino segurou o Verona graças a um gol brasileiro, no finalzinho da partida. Bremer, que balançou a rede aos 84 minutos de jogo, garantiu um pontinho crucial para o Torino: graças ao empate, o time grená passará mais uma rodada fora da zona de rebaixamento. O resultado até poderia ter sido melhor para o Toro, mas a péssima pontaria da equipe, que chutou 18 vezes e acertou apenas três no alvo, impediu qualquer chance de triunfo.

Do outro lado, Dimarco, ala esquerdo do Hellas, porém, mostrou que a mira estava em dia: anotou um golaço com um sem pulo de fora da área. Apesar disso, o Verona se vê cada vez mais distante das vagas para as ligas europeias. O empate fora de casa diante dos rivais de Turim até seguiu a lógica (é o resultado mais frequente no confronto há 20 anos), mas impediu que o time do nordeste italiano terminasse a rodada na frente da Lazio e na cola de Juve, Atalanta e Sassuolo. O Hellas tem a melhor defesa e o segundo pior ataque dentre os dez primeiros colocados da Serie A, mas tem dificuldade de engatar sequências positivas: só teve vitórias consecutivas quando contou com um triunfo no tapetão contra a Roma, pela escalação irregular de Diawara. Em campo, o jogo terminara empatado.

Seleção da rodada

Audero (Sampdoria); Djimsiti (Atalanta), Glik (Benevento), Acerbi (Lazio); Chiesa (Juventus), Locatelli (Sassuolo), Ilicic (Atalanta), Gosens (Atalanta); Nzola (Spezia), Mayoral (Roma), Boga (Sassuolo). Técnico: Claudio Ranieri (Sampdoria).

Deixe um comentário