Serie A

23ª rodada: a Inter deu show no dérbi contra o Milan e abriu vantagem na ponta da Serie A

Se na rodada anterior a Inter assumiu a liderança, nesta a equipe mostrou porque merece o posto: bateu o Milan por 3 a 0, com muita superioridade, e agora tem quatro pontos de vantagem sobre o rival rossonero na corrida pelo scudetto. Em terceiro lugar aparece a Juventus, que bateu o Crotone também por três gols, sem esforço. Embolados com a Juventus, aparecem, numa distância de apenas dois pontos em todo o pelotão, Roma, Atalanta e Lazio. A jornada ainda marcou a perda de terreno do Napoli e mais uma derrota do Cagliari, que trocou de treinador. Confira a análise.

>>> Classificação e artilharia da Serie A

Milan 0-3 Inter

Gols e assistências: Martínez (Lukaku), Martínez (Perisic) e Lukaku (Perisic)
Tops: Martínez e Perisic (Inter)
Flops: Kjaer e Romagnoli (Milan)

A Inter defendeu a liderança com maestria diante do Milan, seu rival citadino, e conseguiu uma gordura no topo da tabela – vantagem que poderá aumentar, já que o time rossonero terá duelo complicado com a Roma na próxima semana. Donnarumma começou o domingo celebrando a partida número 200 de sua carreira, quebrando a marca de Buffon como o mais jovem a conseguir esse feito, mas não teve motivos para celebrar dali em diante. Nos minutos seguintes, foi Lukaku que construiu outras marcas impressionantes.

O belga começou sendo altruísta. Logo aos cinco minutos, o imparável atacante ganhou na corrida de Romagnoli e, depois de ter seu passe rasteiro interceptado, cruzou na medida para Lautaro abrir o placar, com bela cabeçada. Melhor no primeiro tempo, a Inter teve mais algumas boas chances de ampliar, mas o que chamou mesmo a atenção foi o grande trabalho de Perisic como marcador pela ala esquerda. Fruto do bom trabalho de Conte na potencialização do croata.

No segundo tempo, quando a Inter ainda vencia por 1 a 0, o tão criticado Handanovic voltou aos velhos tempos e fez três grandes defesas em sequência: duas ante cabeçadas de Ibrahimovic e uma num forte chute de Tonali. Logo na sequência, a Inter ampliou numa jogada que começou no campo de defesa e passou por Hakimi, Eriksen e Perisic até Martínez marcar a sua doppietta. O tiro de misericórdia veio num contra-ataque fulminante puxado e finalizado por Lukaku, que se tornou o primeiro jogador a marcar em cinco confrontos seguidos do Derby della Madonnina – o belga anotou em todos os clássicos que disputou até agora. Agora fica a expectativa: depois de tantos anos perseguindo rivais, como a Beneamata se comportará na condição de time a ser batido?

Juventus 3-0 Crotone

Gols e assistências: Ronaldo (Alex Sandro), Ronaldo (Ramsey) e McKennie
Tops: Ronaldo e Chiesa (Juventus)
Flops: Golemic e Molina (Crotone)

Juventus e Crotone foram os responsáveis por fechar a rodada e os mandantes nem precisaram acelerar para vencer o lanterna com facilidade. Em ritmo de treino, o time da casa não mostrou muita intensidade durante a partida e até mesmo Ronaldo estava descalibrado – chegou a perder dois gols sem goleiro. Mesmo jogando abaixo do esperado, o português deixaria a sua marca contra o 78º time diferente em campeonatos nacionais e assumiria a artilharia isolada da Serie A, com 18 gols.

A Velha Senhora marcou o primeiro aos 38, quando Ronaldo aproveitou o cruzamento de Alex Sandro e marcando de cabeça. Pouco tempo depois foi a vez do segundo, desta vez numa linda testada em cruzamento alto de Ramsey. Na segunda etapa, o norte-americano McKennie marcou o terceiro e se tornou o jogador de seu país com mais gols no campeonato, superando Michael Bradley. Com o placar definido, Pirlo promoveu as estreias dos jovens Fagioli e Di Pardo. No outro extremo, o veterano Buffon alcançou um feito importante: chegou aos 654 jogos pela Serie A e se tornou o jogador com mais aparições nos cinco maiores campeonatos nacionais europeus.

Mesmo jogando em baixo ritmo, a Juventus contou com dois de Ronaldo para vencer o Crotone (Insidefoto)

Atalanta 4-2 Napoli

Gols e assistências: Zapata (Muriel), Gosens (Zapata), Muriel e Romero (Djimsiti); Zielinski (Politano) e Gosens (contra)
Tops: Muriel e Romero (Atalanta)
Flops: Di Lorenzo e Mário Rui (Napoli)

Atalanta e Napoli fizeram um jogo movimentado, mas com todos os seis gols acontecendo apenas na segunda etapa. Mesmo com a partida contra o Real Madrid no meio de semana, Gasperini decidiu mandar força total a campo, descansando apenas Ilicic e deixando Muriel, 12º jogador da Atalanta, iniciar como titular dessa vez. O treinador, aliás, foi expulso por reclamar de um pênalti não marcado em Pessina, naquele que podemos definir como o grande momento de um primeiro tempo em que o time da casa teve mais posse e não chutou ao gol.

O que faltou na etapa inicial sobrou na complementar. Aos 52 minutos, o colombiano Zapata marcou o primeiro gol de cabeça, após cruzamento do seu compatriota Muriel. O Napoli não demorou a empatar: aos 58, Politano passou por elevação e Zielinski emendou um belo voleio. Só que a Atalanta sabia explorar as deficiências dos azzurri nas laterais e, novamente, aproveitou erro duplo de Mário Rui e Di Lorenzo para ampliar, com Gosens. Muriel fez o terceiro pouco depois, aproveitando o recuo equivocado de Bakayoko.

O time visitante chegou a iludir seus torcedores quando anotou o segundo na peleja, após Gosens desviar cruzamento e fazer contra. Contudo, após escanteio cobrado por Muriel, Djimsiti deu uma casquinha no primeiro pau e Romero – que anulou Osimhen na partida – fechou o placar, marcando de cabeça. Com o resultado no confronto direto, a Atalanta manteve a quinta posição e abriu três pontos de vantagem para o Napoli, sétimo.

Benevent0 0-0 Roma

Tops: Barba e Depaoli (Benevento)
Flops: Villar e Veretout (Roma)

O domingo foi de muitos gols, mas Benevento e Roma acabaram no zero, o que interrompeu uma sequência incrível da equipe capitolina. Os recordes históricos da Serie A em vitórias consecutivas e partidas seguidas em que um mesmo time marcou gols contra adversários vindos da segundona é da Loba, que parou em 26 triunfos e 53 jogos seguidos indo às redes ante caçulas. A última vez que não vencera nessas condições fora em 2016, num empate com o Cagliari – e sempre marcava desde uma derrota magra para o Siena, em 2012.

Foi a quarta vez que os clubes se enfrentam em competições oficiais e, nas três anteriores, o time da capital havia feito sempre muitos gols. Dessa vez foi diferente: mesmo com um a mais por mais de 40 minutos, por conta da expulsão de Glik, a Roma não teve criatividade para furar a defesa dos donos da casa. O Benevento fechou a casinha e só correu riscos nos acréscimos, quando Caldirola cortou uma cabeçada de Pellegrini em cima da linha e quando a arbitragem marcou penalidade sobre El Shaarawy, que reestreava pelo clube em sua segunda passagem. Para a sorte dos mandantes, o VAR pegou um impedimento no lance e o árbitro Abisso encerrou a partida.

Muriel teve mais uma grande atuação e decidiu o jogo na vitória da Atalanta sobre o Napoli (IPA)

Lazio 1-0 Sampdoria

Gols e assistências: Luis Alberto (Milinkovic-Savic)
Tops: Luis Alberto e Milinkovic-Savic (Lazio)
Flops: Ramírez e Ferrari (Sampdoria)

O sábado começou com uma vitória importante para a Lazio, que divide a quinta posição com a Atalanta. Simone Inzaghi não quis saber de poupar o time para o duelo com o Bayern Munique no meio de semana e escalou grande parte do seu onze inicial costumeiro para enfrentar a Sampdoria, em partida que significou a sua centésima vitória na Serie A. O treinador também deu espaço para Lulic, que não começava uma partida havia pouco mais de um ano.

O primeiro tempo foi quase inteiramente de sentido único, com Luis Alberto sendo muito influente para todas as jogadas perigosas da Lazio, que soube incomodar bastante o goleiro Audero. O espanhol, inclusive, marcou o único gol da partida – o seu sétimo na temporada, superando os seis de 2019-20. As muitas oportunidades criadas pelos celestes acabaram não resultando em outros gols. Na mais clara delas, Muriqi tinha o gol aberto à disposição, mas furou.

Fiorentina 3-0 Spezia

Gols e assistências: Vlahovic (Castrovilli), Castrovilli e Eysseric (Vlahovic)
Tops: Castrovilli e Vlahovic (Fiorentina)
Flops: Ramos e Estévez (Spezia)

Sem Ribéry, a Fiorentina contou com uma atuação gloriosa de Castrovilli para massacrar o surpreendente Spezia no segundo tempo e ultrapassar o adversário na tabela: a Viola subiu para a 12ª posição, deixando os bianconeri na 16ª. O camisa 10 violeta começou no banco e só entrou em campo no fim da etapa inicial, depois que Bonaventura sofreu no tornozelo. A mudança faria o jogo, fraco nos primeiros 45 minutos, se transformar após o intervalo.

Bastaram três minutos da segunda etapa para que, numa jogada bem construída, Castrovilli se infiltrasse na área e, ao evitar a saída da bola pela linha de fundo, ajeitasse para Vlahovic marcar o primeiro. A dupla trabalhou bem novamente aos 64, após uma deixadinha do sérvio terminar na forte finalização do italiano. No fim da partida, o Spezia saiu jogando com passes muito curtos e Estévez errou ao tocar para Vignali: Castrovilli desarmou o adversário e acionou Vlahovic, que só tocou para Eysseric empurrar com o gol vazio.

Luis Alberto fez uma grande partida e ainda marcou o gol da vitória da Lazio sobre a Sampdoria (IPA)

Cagliari 0-1 Torino

Gols e assistências: Bremer (Mandragora)
Tops: Cragno (Cagliari) e Bremer (Torino)
Flops: Godín (Cagliari) e Zaza (Torino)

No duelo dos desesperados, Cagliari e Torino produziram um jogo de poucas chances até a reta final, quando o time visitante cresceu e conseguiu uma vitória importante, que lhe deixa com cinco pontos de vantagem sobre o próprio time da Sardenha, que abre a zona de rebaixamento. O resultado ampliou o jejum dos rossoblù para 16 rodadas sem vitórias e levou à demissão do técnico Di Francesco, que renovara o seu contrato havia poucas semanas. Para o seu lugar, chega Semplici, ex-Spal.

Cagliari e Torino até chutaram bastante, mas a pontaria estava ruim. Na primeira etapa. tivemos 16 chutes, sendo 13 dos mandantes: nenhum acertou o gol. No segundo tempo, Sirigu trabalhou depois de uma cabeçada do brasileiro João Pedro, mas este seria o único espasmo do time da casa. Aos 76, Bremer ganhou com enorme facilidade de Godín e chegou ao quarto gol no campeonato, com bela cabeçada. Na reta final da partida, o Toro cresceu e só não ampliou porque Cragno fez duas defesas de altíssimo nível.

Genoa 2-2 Verona

Gols e assistências: Shomurodov e Badelj; Ilic (Barák) e Faraoni
Tops: Badelj (Genoa) e Barák (Verona)
Flops: Czyborra (Genoa) e Lasagna (Verona)

O Genoa foi guerreiro e também contou com a benevolência de Lasagna para conquistar, nos acréscimos, um empate que mantém viva a sequência de sete jogos sem derrota no campeonato – e, de quebra, aumentou a invencibilidade ante o Verona no Marassi para 31 anos. O Hellas esteve à frente do placar duas vezes, mas não conseguiu segurar a vantagem e chegou ao quinto jogo seguido sem vitórias como visitante.

Logo aos 17 minutos, Czyborra errou ao tentar um passe de cabeça e armou o contra-ataque adversário: Barák cruzou e Ilic marcou um belo gol. Ainda na primeira etapa, Lasagna teve uma chance cara a cara com Perin, mas chutou para fora. O castigo veio no início do segundo tempo, quando Çetin falhou na tentativa de atrasar a bola para Silvestri e Shomurodov aproveitou. Após o empate, Lasagna desperdiçou outra oportunidade de ouro, acertando a trave, e o gol veronês só saiu no momento da redenção de Çetin: o turco cruzou a bola e, após Perin espalmar, Faraoni mandou para as redes. Só que Badelj coroou a boa partida que fazia no meio-campo e, nos últimos suspiros, aproveitou a sobra de cobrança de escanteio para acertar um petardo e empatar a peleja.

Apesar da fraca temporada do Torino, o brasileiro Bremer tem conseguido se destacar (LaPresse)

Sassuolo 1-1 Bologna

Gols e assistências: Caputo; Soriano (Barrow)
Tops: Locatelli (Sassuolo) e Skorupski (Bologna)
Flops: Marlon (Sassuolo) e Hickey (Bologna)

O confronto entre os times emilianos que brigam na metade da tabela terminou num justo empate. Quem saiu na frente foi o Bologna, depois que o Sassuolo saiu jogando errado e Barrow ajeitou para Soriano marcar, logo aos 17 minutos. Só que Hickey fez falta dura e levou cartão vermelho direto ainda no primeiro tempo, deixando os visitantes com um a menos.

Na segunda etapa, o Sassuolo aproveitou a vantagem numérica para empatar com o artilheiro Caputo: Djuricic chutou, a bola foi amortecida pelo desvio em Danilo e o atacante completou para as redes. Ciccio anotou o seu tento de número 47 considerando as últimas três temporadas e fica atrás apenas de Zapata (49), Immobile (65) e Ronaldo (68) no período avaliado. No restante da partida, o Bologna foi hábil em se defender e, aproveitando a previsibilidade dos mandantes, levou um pontinho para casa.

Parma 2-2 Udinese

Gols e assistências: Cornelius (Pezzella) e Kucka (pênalti); Okaka (De Paul) e Nuytinck (Ouwejan)
Tops: Cornelius (Parma) e De Paul (Udinese)
Flops: Bani (Parma) e Bonifazi (Udinese)

Quem acordou cedo no domingo assistiu um jogo muito movimentado, mas não foi dessa vez que viu o Parma vencer – o que não acontece desde o fim de novembro. O time comandado por D’Aversa tem o pior ataque da competição, mas com três minutos de jogo abriu o placar com Cornelius, que encerrou um jejum de 203 dias sem balançar as redes. Os crociati não marcavam em casa havia oito partidas.

Os mandantes fizeram um primeiro tempo muito bom, se compararmos ao desempenho apresentado nas últimas rodadas, e fizeram um carnaval pelo lado direito da defesa da Udinese. Por ali, Pezzella colocou na cabeça de Cornelius duas vezes – além do gol, o dinamarquês teve outra cabeçada defendida por Sepe – e Mihaila foi derrubado por Becão, sofrendo pênalti convertido por Kucka.

O jogo seguiu movimentado e faltoso – tivemos 11 cartões amarelos distribuídos – e, na ânsia de buscar o empate, Gotti colocou a Udinese para frente. Okaka entrou em campo aos 60 e precisou de apenas quatro minutos para, de cabeça, diminuir a distância. Aos 80, a Udinese repetiu a dose e o zagueiro Nuytinck deixou tudo igual, mantendo os friulanos na 12ª colocação e o Parma no penúltimo posto.

Seleção da rodada

Handanovic (Inter); Skriniar (Inter), Romero (Atalanta), Bremer (Torino); Depaoli (Benevento), Castrovilli (Fiorentina), Luis Alberto (Lazio), Perisic (Inter); Muriel (Atalanta), Lukaku (Inter), Martínez (Inter). Técnico: Antonio Conte (Inter).

Compartilhe!

Deixe um comentário