Serie A

De arrepiar

Horizonte distante: Leonardo tenta enxergar um Milan melhor

Tudo bem, ainda é pré-temporada, mas o futuro do Milan, nesta temporada, parece cada vez mais tenebroso. Em cinco jogos de preparação, apenas uma vitória, no primeiro deles: dois a zero sobre o Varese, equipe recém-promovida para a Lega Pro – equivalente a Serie C1. Em apenas dois meses enquanto treinador do Milan, Leonardo se vê numa tarefa inglória: o time não tem mais Paolo Maldini, sua bandeira; vendeu Kaká, seu melhor jogador “para sanar as dívidas”; e ainda corre o risco de perder Andrea Pirlo para o Chelsea. Além disso, o ex-meia da Seleção terá de construir seu time em volta de Ronaldinho, que, mesmo atuando pouco e abaixo da média na última Serie A, foi eleito por Silvio Berlusconi como craque do time e substituto natural de Kaká.

Além de contar com a recuperação do futebol de Ronaldinho, Leonardo também conta com outra recuperação – esta, física: a do zagueiro Alessandro Nesta. Vindo de uma temporada em que atuou em apenas uma partida, Nesta, de 33 anos, terá condições de superar uma lesão nas costas e atuar em alto nível durante a maior parte da temporada? Esta talvez seja a maior incógnita do elenco rossonero. Mais até do que Thiago Silva, que terá de mostrar na Itália o futebol apresentado no Fluminense, que lhe valeu algumas convocações para a seleção brasileira.

É difícil levar a sério um clube tradicional e postulante à uma vaga para a Liga dos Campeões, que, com um elenco cheio de deficiências, contará com reforços pouco vistosos, como a volta de Massimo Oddo, Marco Storari, Ignazio Abate e, se forem utilizados, os jovens Davide Di Gennaro, Gianmarco Zigoni e Giacomo Berretta (estes dois últimos têm apenas 18 anos). Para completar o mau mercado da equipe de Via Turati, o principal reforço do time até agora é o zagueiro americano Oguchi Onyewu, que era especulado como contratação para outras equipes italianas – nenhuma da grandeza do Milan.

Leonardo tem pedido encarecidamente para que o clube aja rapidamente e contrate reforços de qualidade. No entanto, a cúpula milanista pouco tem se mexido e Berlusconi chegou a afirmar que o Milan só contratará jogadores sub-23. A verdade é que o Milan tem tido dificuldades para chegar a seus principais alvos de mercado, Edin Dzeko (que rejeitou os rossoneri e renovou seu contrato com o Wolfsburg) e Luís Fabiano (que permanecerá no Sevilla enquanto o Milan não fizer uma proposta superior a 20 milhões de euros). Enquanto isso, o Milan já perdeu para a Inter o primeiro dérbi da temporada, disputado pelo World Football Challenge. Na ocasião, o Milan foi dominado pela equipe rival do início ao fim e perdeu por dois a zero, com dois de Diego Milito. E o dérbi “que conta” está próximo: acontecerá logo na segunda rodada.

1 comentário

  • Pobre Milan e pobre Leonardo, que terá uma das tarefas mais difíceis para um treinador: reconstruir um time. Ele quer mudar a maneira retrancada de o Milan jogar, certo, mas sem reforços de qualidade isso vai se transformar no angu que vimos nesses amistosos. Um Milan totalmente desorganizado, sem saber o que fazer em campo e com um monte de incógnitas: Ronaldinho, Borriello, Nesta, Antonini, Flamini, Thiago Silva, etc. Vai ser uma dura stagione pros rossoneri.

Deixe um comentário