Liga Europa

Preview: Liga Europa 2009-10

Na última vez em que venceu o torneio, Crespo marcou na final pelo Parma

Tentaram de tudo com a Copa da Uefa, que durou 39 anos e nunca foi um completo sucesso. Verdadeiro “lado C” europeu até a extinção da Recopa Europeia, em 1999, só depois daí é que conseguiu se tornar uma competição de segunda linha. O fato da Liga dos Campeões aceitar o ingresso até dos quartos colocados de Espanha, Inglaterra e Itália enfraquecia a competição – e mais financeiramente que tecnicamente. Nos dois últimos anos, foi possível ver semifinalistas entrando com time reserva para poupar seus titulares para seus campeonatos domésticos.

Com uma pseudo-recauchutada, a Liga Europa foi lançada. A principal alteração foi a exinção da Copa Intertoto e o inchaço das fases preliminares, com todos os países (exceto Liechstestein, Andorra e San Marino) tendo direito a pelo menos três vagas. Já a fase de grupos perdeu seu caráter amador ao espalhar seus 48 times em 12 grupos de quatro, ao invés dos grupos com cinco times enfrentando-se só em jogos de ida. Ainda que continue longe do prestígio da Liga dos Campeões, um título é sempre um título. E os três representantes italianos (Genoa, Lazio e Roma) têm bons motivos para não relegar a primeira LE ao segundo plano.

O Shakhtar, campeão da última Copa da Uefa, caiu na terceira preliminar da Liga dos Campeões e terá chance de defender seu título se chegar à final de Hamburgo, em 12 de maio. A fase de grupos será aberta na próxima quinta-feira, dia 17. Os canais ESPN transmitirão o torneio na TV fechada, enquanto na aberta os direitos são da RedeTV. Confira uma pequena prévia da fase de grupos, com destaque para os de presença italiana:

GRUPO A
Ajax (Holanda), Anderlecht (Bélgica), Dinamo Zagreb (Croácia) e Timisoara (Romênia)

Holandeses e romenos partem como favoritos: os primeiros, pela tradição; os últimos, pela boa fase recente. O Anderlecht é uma incógnita depois da humilhação sofrida pelo Lyon e parte como azarão, dessa vez.
Craque do grupo: Luis Suárez (Ajax)
Favoritos: Ajax e Timisoara

GRUPO B
Valencia (Espanha), Lille (França), Slavia Praga (República Tcheca) e Genoa (Itália)

O grupo da morte. Ainda que seja complicado prever um retorno do Slavia a seus melhores dias, não são poucas as chances de Valencia ou Genoa dar um adeus prematuramente à Europa no caso de algum tropeço bobo. Gasperini, revelação da temporada passada, perdeu meio time e trouxe outro inteiro de um campeonato para outro. E seu Genoa só mudou para melhor, como já tinha acontecido há um ano atrás. A largada com duas vitórias na Serie A é qualquer coisa de fenomenal para um time que havia se habituado a estar longe dos holofotes, nos últimos anos. Com opções no mesmo nível dos titulares, o Genoa não deve ter problemas para conciliar Itália e Europa.
Craque do grupo: David Villa (Valencia)
Favoritos: Valencia e Genoa

GRUPO C
Hamburgo (Alemanha), Celtic (Escócia), Hapoel Tel-Aviv (Israel), Rapid Viena (Áustria)

Os alemães comemoram o sorteio sem dificuldades. Basta evitar algum tropeço com o Celtic para vencer o grupo sem dificuldade, mesmo poupando alguns titulares. O Hapoel corre por fora na luta pela segunda vaga.
Craque do grupo: Zé Roberto (Hamburgo)
Favoritos: Hamburgo e Celtic

GRUPO D
Sporting Lisboa (Portugal), Heerenveen (Holanda), Hertha Berlim (Alemanha), Ventspils (Letônia)

No pote 3 do sorteio, o Hertha causava um certo temor, depois substituído por um alto desconforto para seus colegas de grupo. No papel, luta contra o Sporting pela primeira posição do grupo. Na prática, é bom ter cuidado na Holanda.
Craque do grupo: João Moutinho (Sporting)
Favoritos: Sporting e Hertha

GRUPO E
Roma (Itália), Basel (Suíça), Fulham (Inglaterra), CSKA Sofia (Bulgária)

A Roma teve suas últimas quatro campanhas europeias encerradas por ingleses: Boro, ManUnited e Arsenal. O Fulham será um bom tira-teima. Se um dos dois tropeçar, os suíços podem surpreender. Totti, Juan, De Rossi, Vucinic, Doni, Mexès… Na verdade, não faltam jogadores top de linha para a Roma, mas o banco continua sendo um problema para essa temporada, já que lesões são qualquer coisa de comum em Trigória. A mudança de comando depois do início desastroso de temporada só não põe tudo a perder porque esse “tudo” já havia sido perdido há mais tempo. Se se encontrar em campo, apesar dos problemas, é um time para lutar pelo título.
Craque do grupo: Francesco Totti (Roma)
Favoritos: Roma e Fulham

GRUPO F
Panathinaikos (Grécia), Galatasaray (Turquia), Dinamo Bucareste (Romênia), Sturm Graz (Áustria)

Um dos grupos mais equilibrados tem potencial perigoso – e não de um bom jeito. Os três favoritos têm torcidas apaixonadas que já cruzaram a linha da violência e ainda há o tenso encontro entre turcos e gregos.
Craque do grupo: Giorgos Karagounis (Panathinaikos)
Favoritos: Panathinaikos e Galatasaray

GRUPO G
Villarreal (Espanha), Lazio (Itália), Levski Sofia (Bulgária), Red Bull Salzburg (Áustria)

O grupo de mais fácil definição: espanhois em primeiro e italianos em segundo, enquanto os outros se preocupam apenas em evitar o vexame de sair sem alguma vitória sequer. Ballardini chegou à Lazio com a missão de continuar um trabalho que, críticas e perseguições à parte, vinha sendo bem conduzido por Delio Rossi. Logo em sua estreia, o título da Supercoppa sobre a Inter dá uma boa moral para a continuidade do trabalho laziale, com 100% de aproveitamento nas duas primeiras rodadas da Serie A. Olho no renascer de Baronio, atuando bem como regista nesse início de temporada.
Craque do grupo: Giuseppe Rossi (Villarreal)
Favoritos: Villarreal e Lazio

GRUPO H
Steaua Bucareste (Romênia), Fenerbahçe (Turquia), Twente (Holanda), Sheriff (Moldávia)

O Twente joga para ser a zebra do grupo, na tentativa de começar aquela batida história de time jovem se estabelecendo no cenário europeu. Para isso, deve surpreender na Romênia, já que a fase do Fener está tão boa quando o time no papel.
Craque do grupo: Alex (Fenerbahçe)
Favoritos: Steaua e Fenerbahçe

GRUPO I
Benfica (Portugal), Everton (Inglaterra), AEK Atenas (Grécia), BATE Borisov (Bielorrússia)

Ainda que o instinto logo aponte os dois favoritos do grupo, não dá para simplesmente descartar AEK e BATE. Até porque o andar da Premier League pode fazer o Everton jogar com reservas cedo demais.
Craque do grupo: Mikel Arteta (Everton)
Favoritos: Benfica e Everton

GRUPO J
Shakhtar Donetsk (Ucrânia), Club Brugge (Bélgica), Partizan Belgrado (Sérvia), Toulouse (França)

Quem não queria estar neste grupo? O último campeão da Copa Uefa larga bem na frente dos adversários, que devem se bater muito pela outra vaga. Partizan e Toulouse parecem ter alguma vantagem sobre os belgas.
Craque do grupo: Jádson (Shakhtar)
Favoritos: Shakhtar e Partizan

GRUPO K
PSV Eindhoven (Holanda), Kobenhavn (Dinamarca), Sparta Praga (República Tcheca), Cluj (Romênia)

Ainda que a fase do PSV não seja das melhores em qualquer competição que entre nos últimos anos, é impossível esperar sua queda prematura. O Cluj, mesmo reformulado depois da surpresa do ano passado, pode surpreender.
Craque do grupo: Balázs Dzsudzsák (PSV)
Favoritos: PSV e Kobenhavn

GRUPO L
Werder Bremen (Alemanha), Austria Viena (Áustria), Athletic Bilbao (Espanha), Nacional da Madeira (Portugal)

É tentador dizer que o Nacional vai se classificar, depois que os portugueses eliminaram o Zenit. Mas os russos não tiveram um bom verão europeu, na verdade. A aposta fica mesmo conservadora.
Craque do grupo: Mesut Özil (Werder)
Favoritos: Werder e Athletic

Deixe um comentário