Mercado

Mercado: David Beckham no Milan

Becks’ back! – a bela também é fera (Daylife)

Em sua apresentação, Beckham foi coerente: ele não conta com sua titularidade, muito menos de imediato. Sabe da mudança tática no clube de um ano para outro e que o banco de reservas do Milan não é um calabouço. Assim, badalado como sempre, o Spice Boy retornou a Milão. E já estreou – muito bem, por sinal – na movimentada partida de quarta-feira, contra o Genoa. Numa equipe desfalcada, ele foi utilizado no lado direito do campo, lugar em que conhece como poucos.

Assim deve ser essa nova passagem do winger inglês por Milanello: uma alternativa tática e técnica. No 4-3-3 de Leonardo, há dois lugares para Beckham. Um é o da rodada passada, substituindo Pato na ponta direita, e o outro é no meio do campo, onde não costuma ter o mesmo sucesso da sua posição original. Ele pode funcionar como alternativa para os titularíssimos Pirlo e Seedorf, jogadores dotados de muita técnica e há muito consagrados no clube rossonero.

A alternativa tática fica por conta do 4-4-2 em linha, aplicado algumas vezes na Serie A. Abate ocupou a função de esterno destro na maior parte de sua utilização. Nesse caso, Beckham se sentiria em casa, atuando na posição de sua preferência. Isso só deve acontecer, entretanto, em alguma situação de ausência de Ronaldinho, ou se a vontade de Leonardo colocar Becks para jogar for imensa.

O meia inglês, se repetir o nível de sua passagem da temporada passada, garante seu lugar na seleção de Fabio Capello para a Copa do Mundo. No extra-campo, trará experiência e, claro, holofotes. Há também a possibilidade de assinar em definitivo com o clube, caso suas prestações continuem sendo demasiado úteis. Com o tempo, ficou claro que convencer o Los Angeles Galaxy (e seus torcedores) já foi uma tarefa mais difícil.

Uma situação incômoda se dá em qualquer empreitada futebolística do inglês: algumas pessoas dele cobram muito mais do que o normal. Como se o meia tivesse, em campo, obrigações muito maiores do que as de qualquer outro grande jogador. David Beckham joga muito – e sempre jogou. Há quem acredite, porém, que ele ainda tenha que provar ao mundo do futebol quem é. Como se só tivesse crescido, ao longo de toda a sua carreira, por conta de suas campanhas publicitárias; o que é uma falácia absurda. Se o Spice Boy sabe aproveitar seus dotes estéticos fora dos gramados, bom para ele. O que vale é que, em campo, Beckham é bom para quem o tiver.

1 comentário

  • É impressão minha ou Beckham adora abraçar os autores de cada gol em separado para que ele possa sair em destaque nas fotos?
    No gol de pk do Ronaldinho isso ficou bem evidente. Mal comparando, lembrou aqueles casos da Copa de 2006 em que os Cristianos e Henrys da vida estavam sempre de olho no telão do estádios.
    Tempos 'mudernos'…

Deixe um comentário