Liga Europa

Passeio na Croácia

Sneijder comemora seu gol: o holandês tem se mostrado bem à vontade com Stramaccioni e desde o romano entrou no time, ainda na temporada passada, o camisa 10 interista vem mostrando o seu ótimo futebol (Foto: inter.it)

A temporada, oficialmente, começou para a Internazionale. Enquanto a maioria das equipes se prepara para a Serie A, que terá início no próximo dia 25, e para os play-offs de Europa League (Lazio, dia 23) e Champions League (Udinese, dias 21 ou 22), além da Supercoppa Italiana (Juventus e Napoli, dia 11), a equipe de Appiano Gentile iniciou os trabalhos de pré-temporada mais cedo que o normal e mostrou estar melhor fisicamente na última edição do Troféu TIM. Mas isso tem um porquê: os comandados de Andrea Stramaccioni fariam seu primeiro jogo na temporada logo no início mês de agosto.

Pela terceira fase eliminatória para a Liga Europa, o time milanista entrou em campo nesta quinta-feira contra o Hajduk Split (segundo colocado no Campeonato Croata), na casa do adversário. No Stadion Poljud, os nerazzurri não tiveram muitas dificuldades para conquistar a tranquila vitória e encaminhar a classificação para os play-offs da competição de segundo maior escalão do futebol europeu de clubes. Ainda em ritmo de pré-temporada, Stramaccioni deu mais um indício do time titular para a temporada.

No mesmo 4-3-2-1 que vinha treinando – e novamente sem Júlio César, Maicon e Pazzini -, o técnico romano assim distribuiu seus jogadores em campos croatas, tendo novamente Zanetti – que completou seu 150º jogo em competições europeias, e está a apenas dois jogos de chegar a incrível marca de 800 jogos pela Inter, segundo o site oficial do clube – compondo a trinca de médios-centrais com Cambiasso e Guarín, dando suporte à dupla de meias-atacantes (Palacio e Sneijder) e à linha defensiva, que vinha apresentando problemas durante os amistosos de pré-temporada. Ainda com a ideia dos quatro defensores executando uma bem ensaiada linha de impedimento, o setor defensivo mostrou evolução nesta quinta-feira, mesmo com seus dois zagueiros titulares fora: Ranocchia não foi relacionado e Samuel entrou na segunda etapa.

Assim, o time sofreu certa pressão do Hajduk Split, que buscava pressionar a saída de bola interista e jogar no erro da linha defensiva, que, como dito, se comportou bem durante a primeira etapa. Os croatas pouco perigo levaram a Handanovic, mais uma vez sendo seguro na meta nerazzurra. Com a defesa funcionando bem, o meio-campo conseguindo dar o equilíbrio necessário e só faltava ao trio ofensivo entrar na partida. Contra a forte marcação croata, somente em contra-ataque o time de Stramaccioni conseguiu levar perigo e marcar o primeiro gol. Aos 18 minutos, Milito recebeu na entrada da área e achou Sneijder livre de marcação. O holandês limpou dois jogadores e venceu o arqueiro adversário, em bela jogada.

O ritmo caiu, o Hajduk já não tinha a mesma intensidade de antes e a Inter buscava cadenciar o jogo quando com a posse de bola, dominando-a por boa parte da primeira etapa. Já nos minutos finais, foi a vez de Nagatomo aparecer, quando recebeu passe de Sneijder e do lado esquerda da área chutou colocado. A bola ainda desviou no defensor croata e enganou Blazevic. No intervalo, Stramaccioni promoveu a entrada de Samuel, voltando de um problema muscular, no lugar de Chivu, que ao contrário do apresentado anteriormente, se mostrou muito lúcido como o “homem da sobra”, papel que o técnico tem dado ao romeno.

Ao lado de Coutinho, o colombiano Guarín é outro grande destaque dos nerazzurri até aqui, mostrando estar bem adaptado ao clube e à proposta de jogo de Stramaccioni, após ter chegado com problemas físicos do Porto na janela de inverno (Foto: inter.it)

Do outro lado, Miso Krsticevic, técnico do Hajduk Split, fez duas alterações buscando diminuir o placar, nada favorável ao seu time. Não adiantou muito, uma vez que o sistema defensivo continuava inseguro e ainda deixou generosos espaços atrás. Stramaccioni percebeu a queda do ritmo de seus jogadores, principalmente de Sneijder, que apesar do bom desempenho, não conseguia fazer a bola chegar com qualidade a Milito, que teve poucas oportunidades nos 90 minutos. Com Philippe Coutinho, a equipe ganhou outra cara e mais movimentação. Não à toa, poucos minutos após sua entrada, novamente pela esquerda, o camisa 7 recebeu passe de Palacio e finalizou com categoria, aumentando a vantagem.

Assim como anteriormente, a equipe italiana diminuiu o ritmo após a boa vantagem e buscava mais em ocupar os espaços, que propriamente atacar. O Hajduk ainda pressionou nos minutos finais – e Silvestre voltou a dar sustos, dessa vez em duas oportunidades, ambas salvas por Handanovic -, mas nada de gols a seu favor. Final de jogo e a tranquilidade de ter mais uma semana para trabalhar sem a pressão de ter que fazer resultado no Giuseppe Meazza. Tranquilidade essa que Stramaccioni sempre tem buscado passar a seus comandados, e pelo visto, tem conseguido, ao menos por enquanto.

Os 3 a 0, além de praticamente encomendarem a vaga nos play-offs da Liga Europa, também serviram de bom teste para a defesa, e também mostraram a necessidade alguns ajustes, principalmente no setor ofensivo, apesar do bom entrosamento do trio ofensivo (Palacio-Sneijder-Milito, e Coutinho). Um 4-2-3-1? É um esquema ao qual Stramaccioni ainda não conseguiu dar uma cara, mas é a alternativa para seu 4-3-2-1. 

Fora de campo, a Internazionale também tem procurado se renovar, e melhorar a situação financeira – que não é preocupante, mas necessita de ajustes providenciais, a começar pela dívida de quase 400 milhões de euros, e também da “limpa” na folha salarial. Com parte das ações do clube vendidas a um grupo de investidores chineses – cujos nome, porcentagem (que não deve ser maior que 20%) e valor pago não foram revelado na nota em seu site – e a formalização da parceria com a segunda maior construtora chinesa, a China Railway Construction Corporation (CRCC), para a construção de novo estádio até 2017, as perspectivas no lado azul de Milão começam a tomarem outro rumo, e há uma luz no fim do túnel indicando tempos melhores em Appiano Gentile. As iniciativas, ao menos, estão acontecendo.

Ficha Técnica
Hajduk Split (4-2-3-1): Blazevic; Vrsajevic, Maloca, Milovic, Jozinovic; Andrijasevic (Milic), Radosevic; 11 Oremus (Tomas), Caktas, Ozobic (Maglica); Vukusic. Técnico: Miso Krsticevic.

Inter (4-3-2-1): Handanovic; Jonathan, Silvestre, Chivu (Samuel), Nagatomo; Zanetti, Cambiasso, Guarín; Palacio, Sneijder (Coutinho); Milito (Livaja). Técnico: Andrea Stramaccioni.
Gols: 18′ Sneijder, 44′ Nagatomo, 73′ Coutinho
Melhores momentos: 101 Great Goals.com

Deixe um comentário