Serie A

3ª rodada: irreconhecível, Napoli já vê Juve abrir vantagem na liderança

Ainda estamos na terceira rodada e a Juventus já é líder isolada da Serie A. O roteiro pode até parecer de filme clichê, mas vamos dar um crédito ao diretor: os créditos iniciais acabaram de deixar a tela e os personagens principais ainda estão sendo apresentados ao espectador. Além da Juve 100% e de um Napoli que preocupou ses torcedores, o terceiro fim de semana do Italiano ainda teve as primeiras vitórias da dupla de Milão. Confira no resumo.

Sampdoria 3-0 Napoli
Defrel (Saponara), Defrel (Quagliarella) e Quagliarella (Bereszynski)

Tops: Defrel e Quagliarella (Sampdoria) | Flops: Koulibaly e Albiol (Napoli)

Se a primeira vitória da Sampdoria no campeonato veio com grande estilo – e exorcizando um jejum que durava oito anos –, o Napoli tem motivos para se preocupar. Seis dos sete chutes na direção da meta azzurra entraram. Alguns, como os dessa noite, foram indefensáveis, mas Ancelotti deve estar atento a isso. O técnico também precisa resolver uma crônica desatenção do time nos minutos iniciais das partidas, que vem desde os meses finais do trabalho de Sarri, além dos erros em finalizações. As duas vitórias de virada sobre Lazio e Milan já parecem um passado distante, já que a equipe vai para a pausa do campeonato com dores de cabeça.

A Sampdoria foi devastadora no primeiro tempo. O gol que abriu o placar saiu em um contra-ataque de manual e de uma linda finalização de Defrel. Já o segundo, antes do intervalo, teve falhas defensivas do Napoli. Mário Rui deixou Bereszynski cruzar e Albiol, além de permitir que Quagliarella fizesse o pivô e ajeitasse para Defrel, ainda desviou a finalização do francês e enganou Ospina. O golpe de misericórdia foi digno de prêmio Puskás: Quagliarella, num toque de letra em pleno voo, fez a lei do ex ser ainda mais doce. O Napoli tentou responder, mas Mertens desperdiçou duas chances claríssimas. Além dos erros, uma polêmica: Ancelotti surpreendeu ao não escalar Callejón e Hamsík no time titular e nem utilizá-los como substitutos.

Parma 1-2 Juventus
Gervinho (Inglese) | Mandzukic e Matuidi (Mandzukic)

Tops: Gervinho (Parma) e Mandzukic (Juventus) | Flops: Iacoponi (Parma) e Pjanic (Juventus)

Se falta brilhantismo, sobra imposição. A Juventus ainda não mostrou momentos marcantes no campeonato e viu Cristiano Ronaldo ter uma partida apagada – e manter seu jejum –, mas continua com 100% de aproveitamento. Líder isolada, com nove pontos, a equipe de Allegri conta com um Mandzukic em grande forma para resolver. O croata foi fundamental nas três vitórias dos bianconeri e, por enquanto, é o dono do time.

Super Mario abriu o placar com menos de 2 minutos de jogo, após ganhar de Iacoponi e empurrar para as redes. O camisa 17 voltou a aparecer no segundo tempo, quando o duelo estava empatado, e deu um passe de letra para Matuidi definir a vitória – Douglas Costa, pouco depois, até poderia ter aumentado, mas acertou a trave. Até isso acontecer, no entanto, a Velha Senhora foi muito pressionada pelo Parma, que teve em Gervinho o seu principal nome, seja pelo gol, seja pelas arrancadas que confundiram a defesa. Os crociati também acertaram o travessão com o propositivo Stulac, que venceu o duelo no meio-campo diante de Pjanic. Esses sustos não significam grande coisa para uma Juve que ainda vai crescer na temporada e corrigir pequenos maus hábitos, mas foram muito comemorados pelos parmenses, que veem caminhos sólidos para brigar contra o rebaixamento.

Mais uma vez decisivo: Mandzukic comanda vitória da Juve contra o Parma

Milan 2-1 Roma
Kessié (Rodríguez) e Cutrone (Higuaín) | Fazio

Tops: Higuaín e Kessié (Milan) | Flops: Olsen e Marcano (Roma)

Historicamente hegemônico contra a Roma, o Milan passou alguns anos de baixa no duelo, devido a seu próprio enfraquecimento em cenário nacional e ao simultâneo crescimento da adversária. Os rossoneri, porém, conseguiram vencer a Loba no returno da última temporada, deixando de lado quatro derrotas seguidas. Em 2018-19, repetiram a dose, graças a uma prestação superior e a um gol marcado no quinto minuto de acréscimo da etapa final.

No primeiro tempo, especialmente, o Milan teve uma ótima participação de seus meio-campistas, que trabalharam a bola com maestria, dialogaram bem com Higuaín e Suso, e ainda apareceram para concluir. Em uma jogada que combinou tudo isso, Kessié surgiu como elemento surpresa e enganou Marcano para empurrar para as redes o cruzamento rasteiro de Rodríguez. No segundo tempo, a Roma ameaçou em jogadas de escanteio, e nelas empatou com Fazio e teve gol bem anulado por toque de braço de N’Zonzi. O VAR anulou também o primeiro de Higuaín por seu novo clube e salvou Olsen de um lance patético – o sueco ficou parado, quando deveria ter tentado fechar o ângulo para o argentino. Aos 95, Pipita aproveitou um erro de passe de N’Zonzi e serviu Cutrone com maestria, deixando o jovem centroavante com o trabalho de apenas empurrar para as redes e decretar a primeira vitória milanista na temporada.

Bologna 0-3 Inter
Nainggolan (Politano), Candreva (Perisic), Perisic (Vecino)

Tops: Politano e Perisic (Inter) | Flops: Dzemaili e De Maio (Bologna)

O péssimo gramado do Dall’Ara e o clima chuvoso na Emília-Romanha indicavam que Bologna e Inter não fariam uma grande partida. Assim foi na primeira etapa, marcada por finalizações tortas, uma penca de passes para trás e muita sonolência. No segundo tempo, a partir do gol do estreante Nainggolan, uma Beneamata sem Icardi (com desconforto muscular) finalmente impôs sua superioridade sobre o pobre time rossoblù e faturou sua primeira vitória no campeonato.

Na etapa inicial a Inter abusou de chutes sem direção e foi o Bologna que chegou perto do gol, mas Handanovic negou a cabeçada de Helander. No segundo tempo, após Nainggolan ser acionado pelo positivo Politano, a história mudou. Logo depois de o placar ser aberto, Santander quase empatou, de cabeça, mas a equipe nerazzurra partiu para cima para definir a vitória. E o fez com Candreva, que saiu do banco para acabar com um jejum de 504 dias sem marcar, e com Perisic – ambos os gols saíram pelo lado direito da defesa rossoblù. Além de precisar solucionar os problemas daquele setor, Pippo Inzaghi ainda espera que seu time faça gols: pela primeira vez na história, o Bologna passa as três rodadas iniciais do campeonato sem ir às redes.

Primeira vitória do Milan em 2018-19 teve a marca de Cutrone

Fiorentina 1-0 Udinese
Benassi (Chiesa)

Tops: Biraghi e Chiesa (Fiorentina) | Flops: Machís e Lasagna (Udinese)

Menos brilhante que em sua estreia, a Fiorentina dominou inteiramente a Udinese, mas conseguiu marcar apenas um gol neste domingo. A torcida, no entanto, não se importou muito com a alta de objetividade e s erros nas finalizações: afinal, a viola é uma das duas únicas equipes com 100% de aproveitamento no campeonato, mas tem um jogo a menos que a líder, Juventus.

Numa partida em que Gerson foi menos criativo do que contra o Chievo, Simeone ficou isolado e Chiesa nem sempre fez as melhores escolhas, coube ao lateral Biraghi tentar chutes de longa distância. Convocado por Mancini para a seleção, o canhoto até acertou a trave no segundo tempo. O gol viola, porém, saiu a partir de um contra-ataque magistral puxado por Chiesa e finalizado com um belo chute de Benassi. Não por acaso, outros dois jovens que também defenderão a Itália na data Fifa.

Sassuolo 5-3 Genoa
Boateng (Babacar), Lirola, Babacar, Spolli (contra) e Ferrari (Locatelli) | Piatek, Pandev e Piatek (Favilli)

Tops: Babacar (Sassuolo) e Piatek (Genoa) | Flops: Lemos (Sassuolo) e Marchetti (Genoa)

Um joguinho com oito gols e nenhuma preocupação defensiva faz bem a todo mundo, né? O curioso é que esta miríade de bolas na rede foi protagonizada pelas equipes que tiveram o pior ataque da última Serie A. Desta vez, a história foi diferente: Babacar, Boateng e Berardi trabalharam muito para que os neroverdi marcassem, com o auxílio de Locatelli. Nessa toada, o Sassuolo continua invicto e é vice-líder do campeonato, com sete pontos. No meio da tabela, os visitantes contaram com o oportunismo de Piatek, artilheiro da competição, com três gols.

Quem saiu na frente foi o Genoa, depois que Lirola errou e entregou o ouro para Piatek. Na sequência, Babacar deu um passe genial para que Boateng, na corrida, saísse na cara de Marchetti e empatasse. O Sassuolo virou e ampliou para 4 a 1 ainda antes do intervalo. A dupla africana participou do segundo, anotado por Lirola graças a rebote de Marchetti, e em novo rebote do goleiro – após voleio de Prince Boateng –, Babacar fez o terceiro. Impossível em campo, o senegalês ainda ficou perto do quarto gol, mas Spolli lhe tirou o prazer e fez contra. O ritmo caiu no segundo tempo, mas as defesas ficaram ainda mais desatentas: os autores dos três gols derradeiros foram deixados livres pelos marcadores. No segundo genoano, inclusive, Lemos deu um presente para Pandev, seu adversário.

Lazio 1-0 Frosinone
Luis Alberto

Tops: Luis Alberto e Lulic (Lazio) | Flops: Perica e Capuano (Frosinone)

É até difícil explicar como o Frosinone não levou uma goleada no Olímpico. Os leoni foram até Roma com o único intuito de se defender e armaram uma retranca frágil, que só fez isolar Immobile no meio de um monte de defensores. De resto, foi um verdadeiro bombardeio. Se foi fácil para a Lazio conquistar seus primeiros pontos no campeonato, o Frosinone vive muitas dificuldades: é o primeiro caçula que não marca um golzinho sequer nas três primeiras rodadas desde o Empoli de 2005.

A Lazio começou a todo vapor e teve um gol anulado de Milinkovic-Savic logo aos 6 minutos. Até o fim do primeiro tempo, a equipe ainda acertou a trave com Parolo, viu o criativo sérvio perder uma oportunidade cara a cara com Sportiello e quase anotar um golaço de longa distância e, por fim, ainda desperdiçou uma chance cristalina por causa de um chute torto de Immobile, na pequena área. Devastante pela ala esquerda, Lulic foi o melhor em campo e participou do gol da partida, com cruzamento e chute num bate-rebate aproveitado por Luis Alberto. Nos minutos finais, Acerbi ainda teve uma chance de ampliar após cobrança de escanteio, mas mandou por cima.

Torino 1-0 Spal
N’Koulou (Soriano)

Tops: Sirigu (Torino) e Lazzari (Spal) | Flops: Aina (Torino) e Djourou (Spal)

Um dilúvio quase fez com que Torino e Spal não jogassem neste domingo. As equipes chegaram a entrar em campo, mas ainda no primeiro tempo a partida foi interrompida por mais de 30 minutos, devido ao alagamento do campo do Olímpico de Turim. Quando a chuva deu uma trégua, melhor para o Toro, que aproveitou uma desatenção da defesa para conseguir sua primeira vitória no campeonato. Os spallini, por sua vez, continuam bem posicionados na tabela.

Se antes de o jogo ser interrompido só o Torino conseguiu ameaçar, com Belotti testando o goleiro Gomis, após o temporal cessar foi a Spal que chegou mais perto de marcar, com finalizações perigosas de Petagna e Missiroli. No início do segundo tempo, porém, o zagueiro N’Koulou conseguiu se desvencilhar de Djourou numa cobrança de escanteio e usufruiu do jogo aéreo, sua maior especialidade. Em busca do empate, a Spal voltou a finalizar, mas Sirigu estava atento para impedir a reação visitante.

“Defrel mask”: o francês decidiu a favor da Sampdoria

Atalanta 0-1 Cagliari
Barella

Tops: Barella e Srna (Cagliari) | Flops: Djimsiti e Zapata (Atalanta)

A semana começou com excitação para a Atalanta, após o frenético empate por 3 a 3 contra a Roma. No entanto, a equipe vai para a pausa destinada à data Fifa com dores de cabeça, após a eliminação na Liga Europa e o tropeço em casa contra o Cagliari. Foi a terceira derrota seguida dos bergamascos contra os sardos e apenas o segundo triunfo dos visitantes no estádio Atleti Azzurri d’Italia em toda a história.

Irreconhecível, a Atalanta criou muito pouco, e quando o fez parou na boa atuação defensiva dos sardos – em especial, de Klavan e Srna. A melhor chance dos nerazzurri foi, acredite, um escanteio fechado cobrado por Adnan, espalmado por Cragno. O gol dos casteddu também saiu de bola parada. Depois de um erro e uma falta boba cometidos por Djimsiti, na entrada da grande área, Barella bateu com curva e contou com desvio em Pasalic para anotar o tento solitário da noite.

Chievo 0-0 Empoli

Tops: Sorrentino (Chievo) e Zajc (Empoli) | Flops: Djordjevic (Chievo) e La Gumina (Empoli)

Mais um empate para a conta dos confrontos entre Chievo e Empoli pela Serie A: agora são oito em 15 jogos. O time veronês continua invicto contra os azzurri em casa, mas dessa vez foi por pouco, visto que foram os visitantes que mais ameaçaram. Portanto, pelas circunstâncias, os clivensi podem até celebrar a conquista do primeiro pontinho neste campeonato.

Zajc, verdadeiro azougue, criou muitas jogadas para o Empoli e chegou a acertar a trave. Capezzi, seu companheiro no centro do campo, quase fez um golaço ao arriscar de longe e Sorrentino, no segundo tempo, ainda foi providencial ao negar uma finalização de La Gumina de dentro da pequena área. O Chievo tentou responder com um chute forte de Rigoni e ainda viu Djordjevic perder duas oportunidades – uma delas cara a cara com o goleiro Terracciano.

Seleção da rodada
Sirigu (Torino); Bereszynski (Sampdoria), Klavan (Cagliari), Skriniar (Inter), Lulic (Lazio); Boateng (Sassuolo), Kessié (Milan); Quagliarella (Sampdoria), Defrel (Sampdoria), Mandzukic (Juventus); Babacar (Sassuolo). Técnico: Marco Giampaolo (Sampdoria).

Deixe um comentário