Jogadores

As lesões impediram Mario Gómez de ter sucesso duradouro na Fiorentina



Todo jogador de futebol sabe que, uma vez ou outra, sofrerá alguma lesão. É o preço que se paga por levar seu corpo ao limite em prol da melhor performance. Mas, em alguns casos, as contusões são tão recorrentes e graves que podem frustrar os objetivos não só do atleta, mas do clube e da torcida. Foi o que ocorreu com o alemão Mario Gómez na Fiorentina. Contratado sob forte expectativa em 2013, o atacante sofreu com lesões e não vingou na Itália.

Filho de pai espanhol e mãe alemã, Gómez nasceu em Riedlingen, na Suábia, uma das regiões administrativas da Baviera. Em casa, despertou sua paixão pelo futebol. Treinado por seu pai, ele integrou o time juvenil do SV Unlingen em 1990. Ainda jogou nas categorias de base do FV Bad Salgau e do Ulma antes de fechar com o Stuttgart, aos 17 anos.

Depois de mostrar seu potencial no time B do Stuttgart, o centroavante fez sua estreia na Bundesliga, contra o Hamburgo, em maio de 2004. Um dia depois, Gómez atuou pela primeira vez em um duelo de Liga dos Campeões: o time alemão empatou em 0 a 0 com o Chelsea.

Embora já disputasse jogos pela equipe profissional do Stuttgart, o atacante só foi integrado de fato ao plantel principal na temporada de 2005-06. Seu primeiro gol entre os “grandes” dos roten garantiu a vitória pelo placar mínimo contra o Mainz 05, em setembro de 2005, pela Bundesliga.

O centroavante logo se tornou um dos destaques do Stuttgart. Em 2006-07, conduziu a equipe alemã ao título da Bundesliga, numa campanha em que marcou 14 gols e forneceu sete assistências em 25 jogos. Em agosto de 2007, Gómez foi eleito o jogador alemão da temporada. Aos 22 anos, tornou-se, na época, o atleta mais jovem a ganhar o prêmio desde o lançamento da honraria, em 1960, pela revista Kicker.

À medida que brilhava no Stuttgart, Super Mario aguardava a tão esperada convocação para a seleção principal da Alemanha. Afinal, o jogador havia passado por todas as seleções de base. A chamada ocorreu em fevereiro de 2007, para um amistoso contra a Suíça, em Düsseldorf. Ele jogou por 58 minutos e deixou sua marca na vitória por 3 a 1.

Na partida seguinte em que representou a Alemanha, o bomber anotou uma doppietta no triunfo por 6 a 0 sobre San Marino, em Nuremberg, válida pelas Eliminatórias à Eurocopa de 2008. Gómez, aliás, integrou a lista de convocados de Joachim Löw para a Euro. A Alemanha perdeu na final para a Espanha, 1 a 0, gol de Fernando Torres. Super Mario passou em branco na competição.

Gómez é apresentado por Andrea Della Valle, presidente na Fiorentina (imago)

Uma vez que não parava de balançar as redes pelo Stuttgart, o atacante chamou a atenção do Bayern de Munique, que o contratou por 30 milhões de euros em maio de 2009. O valor fez dele o jogador mais caro da liga alemã. “O clube tem algo especial”, disse o bomber, ao site oficial dos bávaros. “Quero brigar pelo título da Bundesliga e estou animado para a Liga dos Campeões”, completou.

No entanto, antes de buscar esses dois objetivos – Bundesliga e Liga dos Campeões –, Gómez precisaria lidar com um problema interno: Louis van Gaal. O então técnico do gigante bávaro chegou a declarar, após a contratação de Super Mario, que o atacante era um gasto desnecessário para seu projeto.

Apesar do desdém do comandante holandês, Gómez se mostrou muito importante ao Bayern em sua primeira temporada na Baviera. Ele entrou em campo 45 vezes (a maioria como titular), participou de 22 gols, ganhou três títulos (Bundesliga, Copa da Alemanha e Supercopa da Alemanha) e quase faturou a Liga dos Campeões: os alemães perderam na decisão para a Inter de José Mourinho.

Para a Copa do Mundo de 2010, Joachim Löw convocou o atacante grandalhão do Bayern. O bomber foi reserva em todos os jogos que a seleção alemã disputou no Mundial da África do Sul, entrando em quatro das sete partidas da Mannschaft, e passou em branco mais uma vez em um grande torneio de seleções.

Super Mario, porém, mostraria seu melhor desempenho na época seguinte. Embora tenha iniciado 2010-11 no banco, o jogador se tornou titular absoluto do Bayern no decorrer da temporada. Não era para menos, visto que o camisa 33 anos anotou 39 gols em 45 jogos. A fase estava tão boa que ele marcou cinco hat-tricks, incluindo um contra o Stuttgart, seu ex-clube, e foi o artilheiro da Bundesliga, com 28 tentos.

O Bayern, contudo, não conseguiu levantar títulos naquela temporada, e, como consequência, Van Gaal acabou demitido antes do fim da época. Anos depois, Gómez revelaria, em entrevista à revista Sport Bild, sua relação de “amor e ódio” com o treinador holandês.

“Louis van Gaal queria me vender depois do meu primeiro ano no Bayern, me rebaixando à quarta opção no ataque e dizendo que seria melhor para todos se eu seguisse em frente. Mas quando eu fui posteriormente ao Karl-Heinz Rummenigge [CEO] e ao Uli Hoeness [presidente] com uma oferta do Liverpool, Hoeness segurou seu estômago e disse: ‘meu pressentimento diz que você precisa ficar!’ Alguns meses depois, Van Gaal me disse que percebeu que eu era o atacante número um dele. Essa foi talvez a maior vitória pessoal da minha carreira”, contou.

O atacante alemão teve um excelente início com a camisa da Fiorentina (Getty)

Na temporada 2011-12, Mario Gómez seguiu guardando gol atrás de gol e renovou com o Bayern até junho de 2016. Ele adicionou mais uma Supercopa da Alemanha ao seu currículo, mas também amargou outro vice da Liga dos Campeões: em plena Allianz Arena, os bávaros viram a orelhuda escaparem de seus dedos diante do Chelsea, nos pênaltis.

Ainda se recuperando de mais um vice da Liga dos Campeões, Super Mario se apresentou à seleção alemã para a disputa da Eurocopa de 2012. A sina de nunca haver marcado em uma competição oficial com a Mannschaft caiu por terra quando o atacante garantiu a vitória por 1 a 0 sobre Portugal, na estreia. No segundo jogo do Grupo B, ele guardou os dois tentos do triunfo por 2 a 1 contra os Países Baixos. A campanha da Alemanha naquela Euro terminou na semifinal: derrota por 2 a 1 diante da Itália.

O início da temporada 2012-13 para Gómez não foi fácil. Isso porque o camisa 33 passou por uma cirurgia no tornozelo, após a Eurocopa, e perdeu quase o primeiro semestre inteiro da época. Além disso, o croata Mario Mandzukic foi contratado junto ao Wolfsburg e deslanchou a fazer gols com a camisa bávara, a ponto de nem dar chance a Super Mario pelo posto de titular do ataque.

No entanto, embora tenha perdido a vaga para Mandzukic no onze inicial da equipe, Mario Gómez finalmente se tornou um vencedor da Liga dos Campeões. Depois de bater na trave duas vezes, o Bayern derrotou o Borussia Dortmund por 2 a 1, em Wembley, e faturou sua quinta orelhuda. O clube de Munique também conquistou Bundesliga e Copa da Alemanha, formando assim a Tríplice Coroa.

Com Mandzukic voando baixo e a chegada de Pep Guardiola ao banco do Bayern, Mario Gómez decidiu sair do Bayern. Assim, no verão europeu de 2013, dois dias antes de o atleta completar 28 anos, a agremiação alemã anunciou a venda do atacante à Fiorentina. A negociação girou em torno de 16 milhões de euros, com possibilidade de chegar a 20 milhões a depender de bonificações a serem cumpridas durante os quatro anos de contrato do germânico com a equipe italiana.

Super Mario chegou à Itália com status de estrela: foi recepcionado no Artemio Franchi, estádio da Fiorentina, por cerca de 25 mil torcedores – segundo estimativa do canal oficial do clube. O bomber, que havia recusado oferta do Napoli para se juntar aos gigliati, reforçava um time que vinha de ótimo campeonato.

A equipe de Vincenzo Montella, então treinador da Viola, havia encerrado a Serie A anterior na quarta colocação. Com as saídas de Adem Ljajic e Stevan Jovetic, o presidente violeta, Andrea Della Valle, buscou um artilheiro nato e recém-campeão da Liga dos Campeões para qualificar o plantel. O alemão pegou a camisa de número 33 e, na segunda rodada do campeonato, marcou uma doppietta contra o Genoa, em Gênova.

Depois de momentos iniciais de felicidade na Fiorentina,o drama: Gómez se machucou seriamente (Getty)

Entretanto, a trajetória de Gómez pela Toscana começaria a ser fortemente afetada por causa de sua condição física, fato que o prejudicou também nos tempos de Bayern de Munique. Na terceira rodada da Serie A, a Fiorentina empatou em 1 a 1 com o Cagliari, no Artemio Franchi, e o centroavante deixou o campo contundido. Os exames médicos evidenciaram uma lesão parcial do ligamento colateral do joelho direito do camisa 33.

De molho no departamento médico, Super Mario só voltou à ativa em fevereiro de 2014, quando a Fiorentina derrotou a Inter, em Florença, por 2 a 1. Ele entrou no segundo tempo e jogou por 22 minutos. Mas, antes de encerrar a temporada, ele sofreria mais uma contusão séria: lesão de primeiro grau do ligamento colateral medial do joelho esquerdo. De longe, ele viu a Fiorentina ser derrotada pelo Napoli na final da Coppa Italia, em 2014, por 3 a 1. Na Serie A, a Viola ficou com a quarta posição.

Em 2014-15, o alemão voltou a sofrer com lesões: uma na coxa e outra no tornozelo esquerdo. Com pouco tempo em campo e rendimento abaixo do esperado, o jogador começou a receber críticas da imprensa esportiva italiana. Montella, todavia, saiu em defesa de seu comandado e até lhe concedeu a oportunidade de ser capitão em cinco partidas da Serie A. Apesar de todos os obstáculos, o bomber foi o artilheiro da Coppa Italia de 2014-15, com quatro gols, junto a Antonio Di Natale.

Depois de 47 jogos, 14 gols e quatro lesões (sendo duas envolvendo ligamentos do joelho), Mario Gómez encerrou seu período na Fiorentina. Na verdade, o atacante foi emprestado ao Besiktas, em julho de 2015, mas futuramente não retornaria mais à Viola. No futebol turco, o centroavante se mostrou saudável e voltou a marcar com frequência.

Com 26 gols em 33 embates, ajudou o Besiktas a ganhar o título da liga turca, além de ter sido o artilheiro da competição. Popular na mídia nacional, Gómez optou por deixar a Turquia ao fim da temporada 2015-16. Uma tentativa de golpe de Estado, em julho de 2016, fez o alemão recusar a oferta de permanecer em definitivo no clube de Istambul.

De todo modo, o alemão guarda muito carinho pelo período na equipe. “O Besiktas foi um sonho puro para mim”, afirmou o atleta, ao jornal alemão Die Welt. “Foi maravilhoso. Tive uma temporada consistente lá. Foi meu maior sucesso depois do título da Liga dos Campeões de 2013”, acrescentou.

A boa fase pelo time turco colocou Super Mario na rota da seleção alemã depois de um ano. Depois de chamá-lo para alguns amistosos entre 2015 e 2016, Joachim Löw inseriu o nome do grandalhão na lista de convocados para a Eurocopa de 2016. A Alemanha caiu na semifinal, diante da França, e Gómez balançou as redes duas vezes, contra Irlanda do Norte e Eslováquia.

Mesmo tendo jogado pouco pela Fiorentina, o centroavante alemão conseguiu ser artilheiro da Coppa Italia (imago)

Depois de três anos longe de casa, o atacante voltou à Bundesliga para defender o Wolfsburg. Em abril de 2017, anotou uma tripletta num intervalo de sete minutos, virando o jogo em cima do Bayer Leverkusen. Os lobos, contudo, não conseguiram segurar o resultado e viram os rivais empatarem no finzinho do combate. Experiente, o camisa 33 também chegou a usar a faixa de capitão na ausência do goleiro suíço Diego Benaglio e do volante brasileiro Luiz Gustavo.

O Wolfsburg não fez uma boa temporada e precisou jogar os playoffs para permanecer na elite do futebol alemão. A equipe da Bundesliga venceu ambos os duelos contra o Eintracht Braunschweig, da segunda divisão, e Gómez deixou sua marca no confronto de ida.

Em janeiro de 2018, o atacante retornou ao clube que o revelou para o futebol, o Stuttgart. O contrato assinado valia até junho de 2020. Ele marcou oito gols em 16 jogos e, aos 32 anos, foi premiado com a convocação para a Copa do Mundo de 2018, competição em que fez seus últimos três jogos pela Mannschaft. Em toda sua história pela seleção da Alemanha, entrou em campo 78 vezes e anotou 31 gols. Faltou, porém, um título com o selecionado – lesionado, ele ficou de fora da campanha vencedora na Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Na temporada 2018-19, Super Mario amargou o rebaixamento à segundona. Cria do clube, o atacante não largou o barco e permaneceu na equipe com o objetivo de voltar à elite. Ele não decepcionou na missão: com sete gols em 23 jogos, ajudou o Stuttgart a subir para a Bundesliga. “Eu estava seguro desde o início da temporada que seríamos promovidos [à primeira divisão]”, admitiu Gómez após o Stuttgart alcançar a classificação.

O atacante, aos 34 anos, também anunciou a aposentadoria do futebol. “Eu decidi que este será o meu último ano no Stuttgart, na Alemanha e, provavelmente, como jogador. Sempre foi o meu sonho encerrar a carreira aqui”, confessou Mario Gómez, que ficará para a história como um dos melhores centroavantes alemães deste século.

Mario Gómez García
Nascimento: 10 de julho de 1985, em Riedlingen, Alemanha
Posição: atacante
Clubes: Stuttgart II (2003-05), Stuttgart (2004-09 e 2018-20), Bayern de Munique (2009-13), Fiorentina (2013-15), Besiktas (2015-16) e Wolfsburg (2016-17)
Títulos: Bundesliga (2007, 2010 e 2013), Copa da Alemanha (2010 e 2013), Supercopa da Alemanha (2010 e 2012), Liga dos Campeões (2013) e Campeonato Turco (2016)
Seleção alemã: 78 jogos e 31 gols



Deixe um comentário