Categorias de base

Preview: Copa Viareggio 2012

Pela Liga dos Campeões juvenil, Daniel Bessa marca de pênalti para a Inter. Atual campeã da Copa Viareggio, a equipe nerazzurra conta com o ítalo-brasileiro e com Longo para buscar o bi (Next Gen Series)

Nesta segunda-feira, 6 de fevereiro, tem início uma das maiores competições de base do planeta: a Copa Viareggio, disputada na litorânea cidade homônima da Toscana. Com neve ou sem neve, mas certamente com mal tempo e muito frio, a atual campeã Inter enfrenta o Anderlecht na partida de estreia desta segunda. Ao todo, são 48 equipes de 15 países diferentes (29 italianas e 19 de outras nações), divididas em duas chaves. Em cada grupo, se classifica o time de melhor campanha, junto dos dois melhores segundos colocados de cada chave. Podem jogar jovens nascidos a partir de 1992, além de dois jogadores nascidos um ano antes.

Para esta 64ª edição, os times brasileiros estão de volta. Se, no ano passado, nenhuma equipe verde e amarela havia sido convidada, neste ano o Brasil conta com o segundo maior contigente de equipes, logo atrás das italianas. São três: Juventude, Olé Brasil e Grêmio Osasco. Pensar em título brasileiro em Viareggio é difícil, mas Olé Brasil e Grêmio Osasco podem fazer campanhas respeitáveis. Os favoritos são os de sempre: Inter, Juventus, Milan e Fiorentina. Atalanta e Sampdoria, sempre fortes na base, neste ano mandam equipes menos gabaritadas. O Torino, por sua vez, vem forte novamente, como nas duas últimas edições. Entre os estrangeiros, o maior candidato a aprontar é o Spartak Moscou, que vem forte e com um sólido trabalho na Rússia. Depois, o Dukla Praga, que já abocanhou seis títulos no litoral italiano.

Pelo quinto ano consecutivo, vamos acompanhar o torneio, em parceria com o Olheiros, site especializado na cobertura do futebol das categorias de base. Confira agora o que você pode esperar da competição, continua acompanhando os resultados pelo nosso Twitter e, no fim do torneio, apareça para ler nossa análise da copa. Boa leitura!

CHAVE A

Grupo 1

Inter, Anderlecht (Bélgica), Siena, Reggina

Campeã da última edição do torneio, a Inter viu o técnico Fulvio Pea deixar Appiano Gentile para comandar o elenco principal do Sassuolo. Para seu lugar, a Inter contratou Andrea Stramaccioni, que fez ótimo trabalho nos Allievi (sub-17) da Roma. Nem por isso a equipe está fragilizada, pois faz campanha razoável no Campionato Primavera mesmo após a eliminação precoce na Coppa Italia Primavera, nas oitavas de final ante a Fiorentina. Além disso, a Inter enfrentará o Marseille nas semifinais da Next Gen Series, torneio interclubes semelhante à Liga dos Campeões, que reúne equipes sub-19 de 16 nações europeias – os nerazzurri são os únicos representantes italianos.

O esquema tático é parecido com o do ano passado: um 4-3-3 em que um dos atacantes joga um pouco mais recuado. Antes, a função cabia a Knasmüllner, que dava suporte ao artilheiro Dell’Agnello na frente; hoje, Candido – ou o ítalo-brasileiro Daniel Bessa –, jogam atrás de Longo. Samuele Longo, aliás, é um jogador a ser observado com cuidado. Ele tem quatro gols no torneio de base e é presença constante nas convocações de Luigi Di Biagio para a seleção sub-20 da Itália. Dois atletas evoluíram bastante durante a última temporada: Kysela, zagueiro checo, e Mbaye, lateral de Senegal. Eles são duas peças importantes do time, assim como o lateral paraguaio Alborno, o zagueiro Bianchetti e o meia Romanò – ambos já treinaram com o time principal. No meio-campo, há dúvidas sobre a presença do bom Lorenzo Crisetig. O italiano está com a equipe principal, mas não vem sendo relacionado para as partidas. O reforço para a participação em Viareggio é o atacante Livaja, presença constante na seleção sub-19 da Croácia, que chegou contratado junto ao Cesena.

O Galatasaray desistiu de participar duas semanas antes do pontapé inicial e foi substituído pelo Anderlecht. O principal nome da equipe da Bélgica é o meio-campista Lamisha Musonda, que faz parte da seleção nacional sub-21. Na fase de qualificação do Europeu da categoria, o jovem participou de três embates – Azerbaijão, Noruega e Inglaterra. Foi titular nas duas últimas e tem uma assistência no torneio. Outro jogador em que os Mauves apostam suas fichas é no também meia Jordan Lukaku, irmão mais novo de Romelu Lukaku – o atacante grandalhão comparado a Drogba que foi contratado pelo Chelsea.

O virtual concorrente da segunda posição do Grupo 1 de Viareggio é a Reggina, que faz uma campanha interessante no campeonato juvenil da Itália. Antonio Venuto renovou o trabalho na base da Calábria com um surpreendente 3-5-2 móvel. As promessas são o meia Catanese e o atacante Mariani, titularíssimos. O quarto e último time do grupo é o Siena, de poucos gols em torneios de base. Em meio a escassos tentos, Massimo Bussi se destaca no ataque. A defesa é fraca e o goleiro Richard Gabriel Marcone não passa tanta segurança.

Grupo 2

Atalanta, Juventude (Brasil), Aspire (Qatar), Esperia Viareggio

Neste grupo aberto, a Atalanta desponta como o clube a ser batido: tem o artilheiro Simone Magnaghi e um bom meio campista que sabe marcar gols e distribuir o jogo, que é Davide Agazzi. O bomber Davide Cais, que há pouco atuava pelo time berretti, foi promovido e já mostrou serviço. Por outro lado, o sistema defensivo é algo preocupante, pois sofre muitos gols. Os adversários balançaram a rede da equipe de Bérgamo 25 vezes em 13 jogos. Facheris, Barbugian e Frackowiak, classes /92, /93 e /94, respectivamente, passam longe da qualidade de Consigli, da base da Atalanta em 2004. A dúvida fica por conta de Nadir Minotti, meia da seleção sub-20. Apesar de já ter estreado no profissional e estar integrado ao time de cima, tem idade para atuar na Copa Viareggio.

Para a outra vaga, sobram Juventude, Aspire e Esperia Viareggio. Os brasileiros não participaram da Copa São Paulo de Juniores 2012 por conta do índice técnico – o Caxias foi melhor. O presidente do clube gaúcho, Raimundo Demore, afirmou que esta competição na Itália é muito importante, uma vez que a gestão vai investir pesado nas categorias inferiores do Juventude. Por meio de nota oficial, a diretoria do Ju deixa claro que o time só vai participar de Viareggio por conta de uma parceria com as empresas Soccer Management e PRS Sports Business. O /92 Fabricio (volante) e os /93 Bressan (zagueiro) e Ramiro (meia) foram liberados pelo técnico dos profissionais, Picoli, e descem para o sub-20. O Aspire, uma academia de futebol do Qatar, pode surpreender por conta de seus jogadores sub-16. Convocados para a seleção da categoria, os atletas do Aspire ganharam os três jogos do Torneio de Futebol Internacional nos Emirados Árabes Unidos e foram os campeões.

Por último, o Esperia Viareggio, clube que passou por duas falências nas últimas duas décadas e foi refundado em 2003. Os zebras, representantes da cidade que hospeda o torneio, vão à competição apenas de passagem. Pouco mudou em um ano: em 2011, péssima campanha em Viareggio; nesta temporada, está à frente apenas de Borgo Buggiano e Savona no campeonato da categoria Berretti.

Grupo 3

Genoa, Montevideo Wanderers (Uruguai), LIAC New York (Estados Unidos), Poggibonsi

Na temporada passada, a equipe de Gênova avançou às quartas e caiu para a campeã Inter, mas neste ano não dá pinta de que chegará a tanto. O time caiu nas quartas de final da Coppa Italia Primavera para a Roma (5-4, no agregado, após atropelar o Torino) e vai mal no campeonato nacional da categoria. Os rossoblù sofrem poucos gols – em seu grupo, apenas a vice-líder Fiorentina foi menos vazada (11 gols). No entanto, marca pouquíssimos tentos. Não por menos o Genoa venceu apenas três vezes em 11 oportunidades. No segundo pior ataque do Primavera, destacam-se o italiano Parodi e o brasileiro de São Caetano do Sul William Lacerda, além do esloveno Baskera. Olho também nos jovens defensores Kranjc e Marchiori, que treinaram com o time principal, e no meio-campista e lateral-esquerdo Alhassan, que já jogou por Gana na Copa Africana de Nações sem nem ter jogado como profissional na Itália.

Dos Estados Unidos vem o LIAC Nova York, combinado de atletas do estado. Nos últimos dois anos, saíram sem pontuar. Desta vez não deve ser diferente. O Poggibonsi, por sua vez, é treinado por Simone Muggianu e pode sonhar com voos mais altos. O trabalho no torneio Berretti é regular, com 15 pontos conquistados em 17 jogos, mas a equipe pode avançar de fase dependendo de resultados do grupo. Os giallorossi, por exemplo, conseguiram arrancar quatro pontos em seis do Virtus Entella, no campeonato supracitado.

As categorias de base do Montevideo Wanderers já revelaram nomes como Sergio Blanco (goleador da Primeira Divisão Uruguaia em 2005), Sebastián Eguren (volante com passagem pelo Villarreal), Jorge Martínez (ex-Catania e Juventus, atualmente no Cesena) e Fernando Muslera (goleiro da seleção uruguaia). Desta vez, os protagonistas do time sul-americano são atacantes. Santiago Lamanna, campeão do Clausura Sub-17 de 2009, é leve, rápido e habilidoso. Mario Battistín é o oposto: jogador alto, de área. Oportunista, o fã de Joaquín Boghossian marcou 44 gols em três temporadas na equipe da capital e é a promessa dos uruguaios para tentarem a classificação para o mata-mata.

Grupo 4

Juventus, Nordsjælland (Dinamarca), APIA Leichhardt (Austrália), Città di Marino

A Juventus passou pelo Napoli, eliminou a Lazio e encara a Fiorentina na semifinal da Coppa Italia Primavera. Também lidera seu grupo no campeonato nacional da categoria. De vivaio sempre bem produtivo, os bianconeri tentam retomar o título que a Inter conquistou no ano passado. A última vez que a Juve foi ouro em Viareggio foi em 2010, quando teve Yago Falqué, Manuel Giandonato e Carlo Pinsoglio em destaque e Ciro Immobile como protagonista. Desta vez vem igualmente forte para o torneio carnavalesco e é favoritíssima para o primeiro lugar no grupo: com uma formação bem parecida com a do time principal de Antonio Conte (um 4-3-3 perfeitamente mutável ao 4-2-3-1), Stefano Padovan é a referência. Já são sete gols do atacante /94 no campeonato de base. À esquerda, Elio De Silvestro cresce muito de produção e tem a mesma quantidade de tentos que o goleador.

Andrea Schiavone é a principal opção do banco. Comparado com Andrea Pirlo por Massimo Maddaloni, treinador do meia no sub-15, tem características semelhantes às de Daniele De Rossi. Ele e Gabriel Appelt, brasileiro, ex-Resende, tem a confiança do treinador Marco Baroni. Yussie Chisbah é uma grata surpresa na volância e Gianluca Carfora é o xerifão à frente do goleiro Simon Sluga, internacional sub-19 da Croácia – que vê de perto a concorrência com o romeno /94 Laurenţiu Brănescu, contratado na última época.

Treinado por Kenneth Andersen, o Nordsjælland é o penúltimo colocado da Liga Sub-19 da Dinamarca. O clube tem apenas uma vitória em dez jogos, além de ter a segunda pior defesa do campeonato. Dos 12 gols feitos, Anders Junge, atacante, foi autor de quatro deles; o meio-campista Magnus Rasmussen fez três. Kristian Lindberg foi convocado para a seleção sub-17 dinamarquesa e atuou cerca de 30 minutos no último Mundial da categoria, no México.

Os dinamarqueses devem disputar a última colocação do grupo com o APIA Liechhardt, da Austrália. Na 10ª participação do clube em Viareggio, o clima é de férias: eles já divulgaram através de seu site oficial que esperam retornar à Oceania na manhã de 13 de fevereiro, ao fim da fase de grupos. O técnico Rod Williams e comissão afirmam que o Liechhardt quer aprender com os outros clubes do torneio; educar os jogadores e fazer uma inserção cultural. Sendo assim, o Città di Marino, da Serie D (quinta divisão), ganha uma oportunidade de mostrar serviço com seus jovens. No Juniores Nazionali, a equipe é líder do grupo com apenas oito gols sofridos. Tudo isso graças a um bom trabalho do técnico Mancini, que deu liberdade aos meias Rei e Laghigna. De qualquer forma, é um dos grupos mais fracos da competição e dificilmente uma das equipes se classificará, abaixo da Juve, como um das melhores segundas colocadas.

Grupo 5

Empoli, Honvéd Budapest (Hungria), Pakhtakor (Uzbequistão), Arzanese

Do Empoli campeão em 2000 nada sobrou. O técnico emergente Luca Cecconi passou por Prato e Bologna; Ciro Capuano luta por espaço no Catania; Salvatore Mastronunzio faz seus gols pelo Gubbio, na Serie B; e Simone Del Nero sumiu na Lazio. Com uma campanha louvável no Campionato Primavera, os azzurri chegam a Copa Viareggio com os atacatnes Matteo Saccà e Lorenzo Tempesti em destaque, além do zagueiro brasileiro Luan Menegaz. O volante brasileiro Zé Eduardo, ex-Cruzeiro e Parma e com passagens pelas seleções de base, treina com os profissionais, mas também tem idade para jogar a competição.

O Arzanese, da Lega Pro Seconda Divisione, conta com seu goleador Russo para avançar de fase. O retrospecto no Berretti é mediano, mas Vincenzo Onorato faz bom trabalho nas questões ofensivas do time da quarta divisão. Geralmente o Arzanese é postado no 4-4-2. O Pakhtakor, do Uzbequistão, pode contar com o meia Jamshid Iskanderov – que está com os reservas -, e o Honvéd Budapest vai com o peso de ter revelado o lendário Ferenc Puskás cinquenta anos atrás. A equipe lidera o torneio de jovens do país e é atual campeã sub-19. Nagy e Szala destacam-se no meio-de-campo, enquanto os internacionais sub-19 Baráth, zagueiro, e Erdélyi, atacante, são as joias do time.

Grupo 6

Sampdoria, Dukla Praga (República Checa), Pumas (México), Spezia

Um dos grupos mais difíceis desta Copa Viareggio. A Sampdoria não sabe o que é empatar no Primavera: a campanha é mediana no grupo de Juventus e Fiorentina. Andrea Tozzo, goleiro da Nazionale sub-20, é o grande destaque. Moreno Beretta, com seis gols na competição, é outro jogador para ficar de olho. O técnico Felice Tufano confia muito no meio-campista Gianluca Cafferata, autor de três gols no campeonato Primavera. Outro nome para ficar atento é o do zagueiro Luca Piana, que tem uma boa chegada ao ataque e uma boa impulsão.

No campeonato júnior da República Checa, o Dukla está na 4ª colocação. São nove vitórias do time de Praga em 15 partidas disputadas. Tem um ótimo ataque, pois conta com goleadas massacrantes por 9-0 sobre o SENCO Doubravka e 10-0 sobre o České Budějovice. Atuando no 4-3-3, as esperanças estão depositadas em Ondřej Kotlík, bomber que marcou 12 vezes no torneio. Além dele, Ondřej Brejcha tem jogado bem. Patrik Toman é um talento a ser observado, mesmo vindo da reserva. Da equipe B do Dukla, o zagueiro Štěpán Hrazdíra e o atacante Jan Micka tem idade para atuar no torneio.

O Pumas chega correndo por fora para brigar pela segunda vaga no grupo, aproveitando um eventual tropeço de italianos e checos. No Apertura 2011, os atacantes José Alfonso Nieto Martínez e Rodrigo Alonso Kahlo foram os principais goleadores do Pumas. No entanto, apenas o primeiro continua como titular da equipe comandada por Raúl Monetti. Outro atleta que impressionou no campeonato nacional foi Aarón Alexis Sandoval, zagueiro. Já o Spezia é o líder do grupo C do Campionati Berretti, mas não deve ter muita chance de seguir em frente em Viareggio. Matias Carta é o segundo goleiro menos vazado do torneio e o destaque bianconero é Lorenzo Fiaschi, atacante.

CHAVE B

Grupo 7

Torino, Olé Brasil (Brasil), Spartak Moscou (Rússia), Sambenedettese

O Torino chega à Viareggio com ares de favorito em seu grupo e com seis títulos na bagagem. Porém, na última edição, a equipe deixou a competição precocemente – logo na primeira fase. Para 2012, a base do plantel granata será os jogadores que disputam o Campionato Primavera, no qual o Torino ocupa a 4ª colocação do Grupo A. A principal esperança do Toro é o meia Emanuele Gatto, que recentemente foi o destaque da seleção italiana sub-18 na conquista de um torneio da categoria em São Petersburgo. O atacante senegalês Abou Diop é o artilheiro na competição de base e é aposta para o ataque. O zagueiro Marco Chiosa também deve aparecer bem durante o campeonato de inverno.

Os dois estrangeiros do grupo vivem situações opostas: enquanto os russos são veteranos em Viareggio, o Olé Brasil fará o seu debute nesta temporada. A dupla deve disputar a segunda vaga do grupo. Pela sexta vez consecutiva disputando a competição, o Spartak decepcionou no ano passado e, em 2012, deve vir com a base vice-campeã júnior do Campeonato Russo. Entre os jovens está o meia Dmitriy Kayumov, artilheiro da disputa, com 17 gols. A linha defensiva também é forte e foi a menos vazada na recente campanha. Estreante, o time brasileiro vem com a base que foi eliminada nas quartas de final do Paulista Sub-17 e disputou a Copa São Paulo de Futebol Júnior pelo Olé Brasil. A Copa Viareggio também servirá para fortalecer a parceira entre o clube e o Comercial de Ribeirão Preto, que atuam juntos nas categorias inferiores. Os principais nomes do elenco estão do meio-campo para frente: o volante André Baratella e o atacante Kaíque.

Refundada em 2009, a Sambenedettese vai para a sua terceira participação seguida no famoso torneio de jovens. Sobre fazer parte de uma competição como esta, o diretor-geral Giulio Spadoni foi enfático: “é sem dúvida fonte de orgulho participar de Viareggio”. Mesmo reconhecendo a importância do torneio, os rossoblù devem entrar com uma equipe mais jovem em comparação aos outros participantes e, por conta disso, mais uma vez não deve ter chances de avançar à segunda fase. (Pedro Spiacci)

Grupo 8

Fiorentina, Stabæk (Noruega), Cesena, Vicenza

Os três clubes italianos do grupo 8 disputam o Campionato Primavera, mas apenas a Fiorentina tem bom desempenho – é segunda colocada no Grupo A, atrás da Juventus. Além disso, o histórico gabarita os viola como favoritos ao título da Copa: são os atuais vice-campeões e um dos maiores campeões da história do torneio ao lado do Milan, com oito títulos. Para ratificar o bom trabalho da base em Florença, o time abriu a temporada 2011-12 vencendo a Supercoppa Sub-20 – contra a Roma, por 3 a 2 – e ainda está na semifinal da Coppa Italia da categoria.

O treinador Leonardo Semplici deve optar pelo 4-3-3, com destaque para o setor ofensivo, que deve ter o atacante Zohore, contratado junto ao Copenhagen. Ele substituirá Babacar, senegalês que foi emprestado ao Racing Santander e que, antes, havia balançado as redes quatro vezes no Primavera e acumulado bagagem entre os profissionais. Além dele, o ataque deve ter o ponta Ryder Matos, que participou da campanha vice-campeã em 2011, e Federico Bernardeschi, integrante da seleção italiana sub-18. No meio-campo, os ganeses Salifu, Acosty e Agyei são uma das esperanças para levar ao caneco novamente à sala de troféus da Fiorentina. A linha defensiva tem dois brasileiros que poderão fazer parte do plantel em Viareggio: o zagueiro Alan Empereur e o lateral-direito Everton França. Para completar a trupe canarinho, o volante Gustavo Campanharo e o atacante Jackson também devem participar da competição.

O Cesena deve ser a segunda força do grupo muito mais pela fragilidade dos adversários do que por mérito próprio. Os cavalos marinhos fazem campanha muito ruim na competição nacional e somaram apenas 12 pontos em 13 jogos. Os destaques da equipe da Emília-Romanha são o meia-atacante romeno Florentin Matei, com ampla carreira pela seleção de seu país na base, e o atacante Nicolò Lolli, goleador bianconero na disputa nacional (três gols). Tibor Cica, meia croata integrado ao plantel principal, deverá ser “rebaixado” e jogar a competição de base. O terceiro clube italiano do grupo é o Vicenza, um dos três piores times entre os 42 que se enfrentam no Primavera. Mais uma vez, os biancorossi devem parar na primeira fase em Viareggio.

O Stabæk, da Noruega, chega à Itália com uma equipe que tem sucesso nas categorias de base no país nórdico. Na recente disputa da Copa de Hegglund, os azuis mandaram duas equipes: uma delas chegou à semifinal; outra levou o título. O melhor jogador do torneio foi Fredrik Borenstein, e o Stabæk também teve o artilheiro do torneio – Emil Ekblom. É improvável, no entanto, que estas credenciais sejam suficientes para que os noruegueses alcancem à fase eliminatória no complicado Grupo 8. (PS)

Grupo 9

Milan, Grêmio Osasco (Brasil), Parma, Modena

Como de costume, o Milan chega à Copa entre os favoritos ao título. Uma boa parte da base que vestirá rossonero na competição foi campeã sub-17 na temporada 2010-11. O atacante Kingsley Boateng, autor do gol do título, seria um desses jogadores, mas rompeu os ligamentos cruzados de um dos joelhos e só volta a jogar em 2012-13. A equipe Primavera, no entanto, lidera seu grupo na disputa nacional da categoria. No sub-20 do Diavolo, o setor ofensivo também chama atenção: Gianmario Comi, é o artilheiro com 12 gols, e Simone Ganz, com passagens pelo time principal e filho do ex-ídolo Maurizio Ganz, é um coadjuvante de peso. Na defesa, o brasileiro Rodrigo Ely, ex-Grêmio, se destaca. O zagueiro, aliás, foi chamado por Allegri e jogou no Trofeo Tim ao lado de Alessandro Nesta – muito bem, por sinal. Além deles, o lateral De Sciglio e o meia-central Simone Calvano, com passagens pela base da Squadra Azzurra, são as esperanças milanistas para o nono título em Viareggio.

Modena e Parma dividem o mesmo grupo no Campeonato Primavera e ambas as equipes não fazem grande competição – tem 13 pontos, em 9º e 10º lugar, respectivamente. As agremiações se enfrentaram recentemente, e o Parma levou a melhor: 3 a 0. Os crociati colocam as esperanças em Malivojevic, capitão e líder do meio-campo. A equipe do treinador Fausto Pizzi costuma jogar no 4-2-3-1. Por isso, no ataque, muitas vezes o selecionável português Fabio da Silva acaba relegado ao banco de reservas para que o italiano Tramontano atue. Nos canários, o melhor setor é o meio-campo, onde jogam Roberto Ansaloni, Matteo Saguatti e Salvatore Fiandaca, que marcaram, respectivamente, seis, três e dois gols no Primavera – quase 70% dos gols do Modena na competição.

O brasileiro, em meio aos três italianos do Grupo 9, chega com alguma esperança para a competição após o bom desempenho na Copa São Paulo de Juniores. Apesar da eliminação precoce, a equipe do interior paulista venceu Bragantino e Grêmio. Na tradicional competição de base brasileira, o Grêmio Osasco apresentou o atacante Danrley como destaque: foram cinco gols em três jogos. É é nele que os brasileiros apostam para fazer um bom trabalho na Europa. (PS)

Grupo 10

Roma, Club Nacional (Paraguai), Santos Laguna (México), Virtus Entella

A grande favorita para o primeiro lugar no Grupo 10 é a Roma. Semifinalista da Coppa Italia Primavera, a equipe ainda não sabe se vai contar com Federico Viviani, meia que é artilheiro do plantel com nove gols mas está com o elenco principal. Ele fez três partidas – como suplente – e foi titular na vitória sobre a Fiorentina na Coppa. Gianluca Leonardi e Giammario Piscitela são os goleadores da Roma de melhor ataque no torneio de base – 53 gols em 13 jogos. Outros destaques certos são o lateral direito Loïc Négo, o meia Valerio Verrè e o atacante Junior Tallo.

O Santos Laguna está de volta à Viareggio após cinco anos, quando caiu nas oitavas de final para o Spartak, da Rússia. Naquela ocasião, o time mexicano contava com o meia Rodolfo Salinas e o atacante César Urueta. Em 2012, o técnico Miguel Ángel Vargas, também comandante do Fuerzas Básicas Sub-17, despeja as esperanças nos pés de Parra Miranda. O atacante tem passagens pela sub-17 do México, foi o artilheiro do Apertura 2011 com cinco gols e é o goleador do Clausura. Na fase final do Apertura do ano passado vencido pelo América, o atacante Jesús Escoboza foi à rede em quatro oportunidades. No entanto, ainda não é certo de que ele esteja entre os que viajam à Itália, pois Benjamín Galindo (técnico da equipe profissional) pode não liberá-lo. Outro jogador que é preciso ficar de olho é Cándido Saúl Ramírez.

A defesa do paraguaio Club Nacional é forte. Desta forma que os sul-americanos procuram avançar ao eliminatório da Copa Viareggio, uma vez que o ataque do time é frágil. O Nacional não passou da fase de grupos do Sub-20 do Paraguai – Guaraní e Cerro Porteño se classificaram. As boas jogadas ficam por conta dos meias César Aguilar e Cristián Melida e do atacante Iván Tillería. Do outro lado temos o Virtus Entella, uma grata surpresa no Campionato Berretti: marca muitos gols, porém, comete alguns erros no sistema defensivo.

Grupo 11

Palermo, Club Guaraní (Paraguai), Lazio, Sassuolo

Em meio a problemas no grupo principal, o Palermo faz campeonato sólido com os juvenis. Na terceira posição de seu grupo, a defesa era compacta, mas os rosanero sofrem para marcar gols. Dos 28 feitos, oito foram do atacante Mauro Bollino. Na abertura do returno do Campionato Primavera, levou 7 a 0 da Lazio – um resultado alarmante para um time que não era muito vazado. O técnico Antonino Capodicasa confia bastante em seu capitão, o volante Andrea Barberis, e no camisa 8 Francesco Vassallo. Celso Jara Martínez, que já jogou e marcou pelo time principal, também deve participar do torneio, oferecendo mais qualidade ao plantel.

Os dois principais goleadores do Primavera são Ceccarelli e Barreto. Ambos foram formados no lado celeste de Roma. Na Lazio, que ainda busca alcançar a líder Roma no campeonato nacional juvenil, Alberto Bollini deixa os atacantes à vontade para atuarem. Além deles, o ponto forte é o zagueiro Luca Crescenzi, que já atuou pela equipe principal. As saídas de Ceccarelli e Cavanda, por empréstimo, podem afetar bastante o time, já que ambos eram titulares. Mesmo assim, a Lazio deve seguir em frente na competição.

Sem experiência nas categorias de base, o Sassuolo dá o seu jeito de fazer uma campanha para teminar bem o Primavera. O sucesso da equipe neroverde se dá graças aos gols do meia-atacante Domenico Berardi e do atacante/ala tornante Vincenzo Ferrara. Guido Gómez e Riccardo Barbuti também fazem bom trabalho – principalmente para o sistema de rotação no plantel. A zaga com Gualtieri, Finizza, Conforto e Scialla protegendo o goleiro Di Fabio – o mais experiente dos três do elenco – não vai bem. Contra o Novara, no último dia 14, abertura do returno, permitiu o empate em 3-3 após estar vencendo por 3-1 com dois gols faltando nove minutos. Para seguir em frente, os jovens poderão ouvir muitos conselhos de Fulvio Pea, atual técnico da equipe principal e bicampeão em Viareggio, por Sampdoria e Inter.

A segunda agremiação do Paraguai convidada para o torneio é o Club Guaraní. Seu principal jogador é o meia Luis González, que costuma atuar atrás de Nildo Viera (ou Jorge González) e Wilson Arellano. Jorge Benítez, volante, marcou gol na final perdida do sub-20 paraguaio ante o Cerro Porteño. É com essas credenciais que o time do chaco tenta surpreender.

Grupo 12

Napoli, Club Brugge (Bélgica), Varese, Lega Nazionale Dilettanti

Napoli, apesar do sucesso em seu time profissional nos últimos anos, faz campanha medíocre na base. Um dos poucos jogadores que se destacam é o meio-campista Signorelli, titularíssimo. Para mudar um pouco o cenário, os azzurri fecharam com o atacante húngaro Nowothný, que deve estrear em Viareggio. O Varese, por outro lado, é o favorito no grupo. Já surpreendeu na temporada passada ao despachar a Roma e avançar à semifinal de Viareggio. Caiu, de pé, para a Fiorentina. O técnico Devis Mangia, que foi contratado pelo Palermo, foi substituído por Paolo Tomasoni.

A equipe faz boa campanha no Primavera e caiu nas quartas de final da Coppa Italia. Apesar da força do grupo, o título não é importante para o Varese, mas, sim, a revelação de talentos. Giuseppe De Luca e Luca Pompilio se destacaram em 2011 e já integram o elenco do time da Serie B. Além do brasileiro Daniel Ferreira, que participa do torneio novamente, fique de olho nos meias Federico Tiboni e Francesco Maio.

Da Bélgica chega o Club Brugge, treinado por Philippe Clément, ex-jogador da seleção belga. A campanha no torneio nacional é fraca: cinco vitórias em 12 jogos. Diante das circunstâncias, as goleadas sofridas para Standard Liège e Mechelen fizeram o treinador pensar em mudanças. Posicionados no 4-2-3-1, o sistema da moda na Europa, Fries Deschilder, meia /92, e Zinho Gano, atacante /93, são os principais atletas. Nick van Belle, também atacante, é oportunista e tem faro de gol.

A última equipe é o combinado de jogadores jovens da Serie D. As agremiações mais representadas são Messina e Marsala, com dois atletas cada. No teste contra o time primavera do Siena, vitória por 4-1 com gols dos /92 Salim Cissé (atacante do Atletico Arezzo), Filippo Guccione (meia do Cerea), Francesco Del Porto (atacante do Virtus Castelfranco) e Omar Pastorelli (atacante do Pierantonio). As expectativas são boas, já que o combinado surpreendeu ao chegar às semifinais dois anos atrás.

1 comentário

Deixe um comentário