Dérbis

Dérbis: Lazio x Roma

Nesta semana, daremos início a uma sequência de postagens tratando dos dérbis que acontecem em sequência nas próximas rodadas. O clássico entre Lazio e Roma do último domingo foi o segundo de uma série de cinco rodadas com dérbis, e o primeiro de uma sequência de quatro jogos de rivalidade regional: além de Juventus e Inter, na 11ª rodada, Lazio e Roma, na 12ª, Sampdoria e Genoa, na 13ª, Palermo e Catania, na 14ª, e, depois de quatro anos, Juventus e Torino, na 15ª.

Em um jogo, como de costume, cheio de emoções, muitos gols, virada, expulsões e muitas brigas fora de campo, a Lazio derrotou a Roma e conseguiu a terceira vitória de dérbi consecutiva, fato que não acontecia há 39 anos. Conheça um pouco da atualidade e da história do derby capitolino.

Significado do atual dérbi
Parece até o grande clichê dos clássicos, mas o dérbi capitolino não tinha um favorito. Há, porém, várias maneiras de se analisar um duelo: se o ponto de vista for o momento de cada time, envolvendo principalmente temporadas recentes e não apenas a atual, a Lazio seria ampla favorita. Um clube mais organizado, que terminou à frente do rival nas duas últimas Series A e que havia vencido os dois últimos dérbis.

Mas os laziali não venciam havia três rodadas e, pior, haviam sido humilhantemente goleados por 4 a 0 na rodada precedente pelo modesto Catania. Já a Roma, apesar de irregular, vinha de uma goleada em casa sobre o Palermo, por 4 a 1 e, se vencesse, deixaria para trás o rival. Portanto, mesmo com uma Lazio mostrando claramente ser um time mais equilibrado durante a temporada, as chances de vitória poderiam ser consideradas iguais antes do jogo.

E foi esse o sentimento que tomou conta da curva sul do Olímpico, quando Lamela, logo aos 11 minutos, abriu o marcador de cabeça para os giallorossi. O sentimento de que a sequência de triunfos da Lazio era só um momento e que o domínio exercido na década passada retornaria (foram nove vitórias giallorosse, contra apenas quatro da Lazio nos 20 dérbis entre 2001 e 2010).

O eterno laziale Chinaglia provoca a torcida da Roma (Pinterest)

Mas a principal fraqueza da Roma de Zeman, que não é novidade para ninguém, permitiu às águias virarem a partida ainda no primeiro tempo. Candreva e Klose, contando com falhas da fraquíssima defesa adversária. Com a expulsão de De Rossi, a vida dos comandados de Petkovic ficou ainda mais fácil. Mauri fechou a conta logo no primeiro minuto do segundo tempo e a Roma descontou no fim.

Vencendo o confronto direto, a Lazio volta com ainda mais força à disputa por vagas nas competições europeias. A Roma sofre a quinta derrota em 12 jogos e perde a posição para a Atalanta (que começou com dois pontos negativos). Historicamente, os giallorossi ainda mantém uma larga dominância, mas, na atualidade, pode-se ver que Roma parece ter uma nova dona: a que veste azul.

Os dérbis da temporada passada
7ª rodada – Lazio 2 x 1 Roma
Uma história semelhante ao clássico deste domingo: a Roma abre o placar no início, mas a Lazio se supera e vira heroicamente. Hernanes faltou fazer chover e Klose fez o gol da vitória aos 48 do segundo tempo, para a contagiante explosão do locutor laziale neste vídeo.

26ª rodada – Roma 1 x 2 Lazio
Desta feita, quem abriu o placar no início foram os biancocelesti, com Hernanes, de pênalti, logo aos 10. Borini empatou pouco depois, com uma cabeçada, mas “O primeiro Clube da Capital” chegou ao gol da vitória aos 16 da segunda etapa, com seu capitão Mauri, aproveitando cruzamento e selando o triunfo.

Estatísticas gerais
Apenas em Serie A, são 137 partidas, com 47 vitórias da Roma, 36 da Lazio e 54 empates. Os giallorossi balançaram as redes 168 vezes, enquanto os biancocelesti marcaram 133 vezes. Em estatísticas totais, são 172 partidas, 63 vitórias romanistas, 49 vitórias laziale e 60 empates.

A vitória de domingo representou a primeira vez que a Lazio venceu três dérbis consecutivos em Serie A desde 1973. Nas temporadas de 72/73 e 73/74, o time celeste venceu quatro dérbis seguidos.

Di Canio e Totti, dois dos maiores ídolos da Cidade Eterna (Getty)

Personagens históricos

Pela Lazio, poucos jogadores tiveram tanto destaque em muitos dérbis. Entre eles, estão o brasileiro Alexandre De Maria, que jogou pelo Corinthians entre 1928 e 1931. Pela equipe romana, foi o primeiro jogador a fazer três gols em um dérbi, em 1934, além de ter cinco gols no confronto – como Tommaso Rocchi. O artilheiro laziale é Silvio Piola, autor de sete gols em 17 dérbis disputados. Em número de presenças, Piola só é superado pelo zagueiro Giuseppe Wilson, histórico capitão da Lazio, que disputou 22 vezes a partida mais importante para seu clube. O laziale mais vitorioso é o goleiro Luca Marchegiani, com oito sucessos.

O atacante Paolo Di Canio, por motivos de identificação com a torcida laziale, também foi um personagem histórico do dérbi: jogou apenas cinco vezes e fez dois gols, mas um deles, em 1989, marcou a vitória da Lazio no primeiro dérbi que se disputava após quatro anos de pausa – como a Lazio passou três anos na Serie B, não houve o confronto. Após fazer o gol do 1 a 0, Di Canio comemorou o gol em frente à torcida romanista, enfurecendo os presentes. Hoje, Miroslav Klose começa a ganhar um espaço na história, já que foi fundamental para as três vitórias da Lazio nos últimos dérbis.

Na Roma, o grande nome do dérbi é Francesco Totti. O atual capitão romanista detém o recorde de presenças (35; 11 acima do ex-goleiro Guido Masetti, segundo colocado), o de vitórias (12) e também o de derrotas (14) e, por ser romano, representa a rivalidade entre as torcidas dentro de campo. Totti tem 8 gols no dérbi e só é superado por Marco Delvecchio (9) e pelo brasileiro Dino da Costa, que tem 11. Da Costa, inclusive, tem uma marca muito positiva, que marca ainda mais sua passagem pela Roma, que durou seis anos, enre 1955 e 1960: castigou a Lazio em oito dérbis consecutivos.

Um outro grande nome na história do confronto é Vincenzo Montella, único jogador a marcar quatro vezes no dérbi romano, em um 5 a 1 aplicado pela Roma na temporada 2001-02, em partida cujo mando era da Lazio. Com os quatro gols, o Aeroplanino tem 8 gols, assim como Totti, mas tem o espaço no coração da torcida por ter sido o responsável pela maior goleada da Roma sobre a rival em toda a história. Outro nome importante na história do clássico é o de Rodolfo Volk, um dos primeiros grandes centroavantes do futebol italiano, autor de sete gols para a Roma entre 1928 e 1933.

O único jogador a já haver marcado gols pelas duas equipes no dérbi é o sueco Arne Selmosson, vice-campeão mundial em 1958. Ele fez dois para a Lazio, em 1957 e 1958, e três para a Roma, em 1958 e 1959.

Totti também provoca: “detonei vocês de novo” (Mediaset)

Dérbis marcantes

O primeiro dérbi foi disputado em 8 de dezembro de 1929 e, na casa da Lazio, a Roma venceu por 1 a 0, com gol de Volk. Na Italia fascista, a vitória de um clube de origem popular, como a Roma, em oposição a um das camadas mais ricas, como a Lazio, acabou sendo muito comemorada especialmente pela resistência socialista. A primeira vitória laziale só aconteceu em 1932, com participação brasileira: marcaram De Maria e o meio-campista José Castelli, conhecido como Rato, que teve grande passagem pelo Corinthians, nas décadas de 20 e 30. Em 1934, De Maria marcou três gols e empatou uma partida que a Lazio perdia por 3 a 0, em uma das reações mais fortes na história da rivalidade capitolina.

Na “era moderna”, os clássicos de Roma ganharam muito mais prestígio a partir da década de 90. Um dérbi marcante aconteceu em 1998-99, quando Zdenek Zeman dirigia a Roma, depois de sua passagem pela Lazio. Na última temporada, a Roma de Zeman havia perdido os quatro dérbis jogados contra a Lazio de Sven-Göran Eriksson e, de virada, com gols de Roberto Mancini e Marcelo Salas, perdia por 3 a 1. Mas Totti deu uma assistência e marcou seu primeiro gol em um dérbi, evitando mais uma derrota – poderia ser vitória, caso um gol de Delvecchio não fosse mal anulado. No clássico seguinte, com dois de Delvecchio e outro de Totti, a Roma acabou voltando a vencer.

O já mencionado 5 a 1 aplicado pela Roma, no qual Montella marcou quatro gols, também é muito lembrado pelas duas torcidas. No ano anterior, que terminou com o título da Roma, a Lazio empatou um dérbi que perdia por 2 a 0 no quinto minuto de acréscimo do segundo tempo, mas não conseguiu atrapalhar o título da rival. Em 1999-2000, quando a Lazio foi campeã italiana, uma bela virada com gols de Pavel Nedved e Juan Sebastián Verón embalou a reta final da campanha gloriosa.

Recentemente, dois dérbis muito marcantes tiveram a presença de Paolo Di Canio. No seu retorno à Lazio, em um época de crise nas sociedades romanas, o polêmico atacante fez um dos gols na vitória por 3 a 1 sobre a rival, na temporada 2004-05. No último dérbi do capitão, porém, a Roma venceu, por 2 a 0. No pós-Di Canio, uma vitória por 3 a 0 em 2006-07 e uma incrível virada nos acréscimos, na vitória por 3 a 2, em 2007-08, foram os dérbis mais lembrados para os aquilotti. Para a Roma, uma vitória por 2 a 1 em 2009-10 é a mais lembrada, por causa da virada com dois gols de Mirko Vucinic, e pela empolgação que o triunfo dava na briga pelo scudetto, já que consolidava a equipe giallorossa na liderança. Na semana seguinte, porém, a Roma perdeu em casa para a Sampdoria e os torcedores viram o título cair no colo da Inter.

1 comentário

  • adoro matérias sobre histórias do passado. Só uma observação: o correto seria Alexandre De Maria. Como o Rato, foi um dos corintianos que participaram da "Brasilazio" dos anos 30. Del Debbio e Filó (o Guarisi campeão da Copa de 1934) foram os outros… havia também alguns cruzeirenses lá.

Deixe um comentário