Liga Europa

Lazio e Roma não empolgam, mas conseguem bons resultados na Europa League



A segunda rodada da fase de grupos da Liga Europa foi melhor para a Itália, no geral. Se Lazio e Roma protagonizaram resultados opostos na abertura da competição, ao menos agora as duas equipes pontuaram e puderam comemorar resultados que lhes ajudam a se classificar para o mata-mata do torneio continental.

Atuando em casa, a Lazio se redimiu da derrota de virada para o Cluj, na Romênia, e deu o troco no Rennes. A equipe de Simone Inzaghi começou mal, saiu atrás no placar, mas conseguiu a reviravolta depois da entrada de Milinkovic-Savic. O triunfo por 2 a 1 deixa os celestes na terceira posição do Grupo E, com os mesmos 3 pontos do Cluj. O Celtic lidera, com 4, e o Rennes é o lanterna, com 1.

No Olímpico, italianos e franceses protagonizaram um primeiro tempo sofrível, com pouca intensidade e chances esparsas – e nada claras – de gol. O estádio quase vazio, com 13 mil espectadores, mantinha o clima frio da noite romana.

O Rennes, porém, era ligeiramente melhor. Isso graças ao angolano-congolês Camavinga, de apenas 16 anos, que ditava o ritmo dos rouge et noir. O regista quase abriu o placar no início do segundo tempo, depois de tabelar com Niang e tirar tinta da trave. Insatisfeito com o que via, Inzaghi sacou Cataldi e Berisha para colocar Luis Alberto e Milinkovic-Savic em campo.

Dois minutos depois das alterações, contudo, o Rennes abriu o placar. Grenier, ex-Roma, levantou bola na área e o zagueiro Morel apareceu livre para cabecear para as redes. Os franceses mantiveram o domínio nos minutos seguintes, mas o dedo de Inzaghi se fez notar aos 63: Luis Alberto encontrou Milinkovic-Savic na área e o sérvio bateu bem, de canhota, empatando a peleja. SMS voltou a ser decisivo 12 minutos depois, quando lançou Immobile na área e deixou o centroavante em ótimas condições de cabecear para as redes e virar a partida.

A vantagem no placar não significou conforto para a Lazio, que viu o Rennes ameaçar até o último lance – literalmente. Camavinga cansou e deixou o campo, mas os rubro-negros ainda levaram perigo com finalizações de fora da área, com Bourigeaud e Grenier. O mesmo Grenier teve uma falta para cobrar a partir da meia-lua, aos 95 minutos, mas desperdiçou a chance do empate. No sufoco, a Lazio voltou a triunfar na Liga Europa.

Spinazzola marcou para a Roma, mas o Wolfsberger empatou com um golaço (SEPA.Media/Getty)

Antes de a Lazio entrar em campo, foi a vez de a Roma atuar pela Liga Europa. Ao contrário da rival citadina, a equipe giallorossa saiu na frente do Wolfsberger, na Áustria, mas acabou levando o empate. O 1 a 1, contudo, manteve os italianos no topo do Grupo J, com os mesmos 4 pontos dos austríacos – Borussia Mönchengladbach e Istanbul Basaksehir têm 1.

Terceiro colocado na última Bundesliga austríaca, o Wolfsberger já havia mostrado suas credenciais ao golear o Mönchengladbach por 4 a 0, na Alemanha. Paulo Fonseca e seus comandados já sabiam, portanto, que – ainda que os alvinegros não tenham extensa tradição esportiva – a partida não seria fácil. O técnico Gerhard Struber repetiu a escalação que levou a melhor na abertura da competição, enquanto Fonseca optou por fazer um rodízio e mudou oito peças em relação à equipe que bateu o Lecce pela Serie A, no domingo.

Os austríacos se apresentaram com intensidade e marcação alta, com muita pressão, conseguindo incomodar a construção ofensiva romanista. Contudo, quando conseguia ultrapassar as linhas do Wolfsberger, em geral com Zaniolo pela esquerda e Kluivert pela direita, a Roma levava perigo. As melhores oportunidades, porém, ocorreram em bolas aéreas: Ritzmaier obrigou Mirante a efetuar grande defesa e, aos 27, acabou sendo vilão involuntário. Numa jogada de escanteio, Spinazzola cabeceou contra o meia e viu a bola ricochetear novamente em sua testa e ir para as redes.

Com a vantagem da Roma, o Wolfsberger voltou a pressionar. O empate, porém, só surgiu no início da etapa final, depois que Zaniolo desperdiçou uma oportunidade para os visitantes. O experiente Liendl acertou um petardo de canhota, de fora da área, e não ofereceu chances a Mirante – o goleiro já havia feito boa defesa ante o atacante Weissman.

Depois do empate, o Wolfsberger cansou e perdeu intensidade. A Roma começou a criar chances em profusão, mas as desperdiçou. Pastore, Zaniolo e Kluivert: todos finalizaram para fora. Kalinic, por sua vez, incidiu pouco e quase não incomodou a defesa adversária. Apesar das oportunidades perdidas, o empate ficou de bom tamanho para os romanos.



Deixe um comentário