Categorias de base

Fique de olho: Alberto Paloschi

Mesmo com boas partidas na equipe principal, Paloschi não foi aproveitado pelo Milan e transferiu-se para o Parma, na temporada passada

Destaque no time de sua cidade, o Cividatese, Paloschi foi comprado pelo Milan para fazer parte do seu elenco júnior. Com apenas 16 anos e boas apresentações, o atacante milanês logo chegou à seleção sub-17 da Itália, em 2006, pela qual disputou 9 partidas e marcou 4 gols.

Pelo Milan, conquistou o título nacional da categoria organizado pela FIGC, o Campeonato Allievi, ao final da temporada 2006-07. Na boa campanha dos rossoneri, Paloschi se destacou por marcar 23 gols ao longo do campeonato e, principalmente, por ter sido o responsável pela grande vitória sobre o Genoa, na final, quando alcançou uma tripletta.

Seis meses depois, ao mesmo tempo em que era convocado pela primeira vez para a seleção sub-19, estrearia pelo time principal na derrota para o Catania, pela Copa da Itália. Apesar do péssimo jogo do time de Ancelotti, Paloschi foi bem e deixou seu gol. Então, foi relacionado para intertemporada de inverno rossonera, em Dubai, e no jogo de volta da Copa, entrou no segundo tempo do jogo para marcar mais uma vez. O gol solitário do garoto, no entanto, não foi suficiente para garantir o time na próxima fase da competição. Com o Milan eliminado, Paloschi voltou para a Primavera do Milan, onde marcou 9 gols.

Sem Kaká, Gilardino e Alexandre Pato a sua disposição, Ancelotti decidiu promover o garoto novamente e colocá-lo no banco de reservas para a partida contra o Siena, na Serie A. Quando entrou em campo, no lugar de Serginho, não precisou de mais de 18 segundos para mostrar a que veio: com um belo chute cruzado, foi o autor do gol na vitória milanesa.

Ao final do jogo, o técnico rossonero o classificou como “o predestinado”, dando a impressão de que agora, depois de 3 gols em 3 partidas pela equipe principal, o Milan aproveitaria o garoto. Não foi o que aconteceu. O time de Milão fez jus à sua fama e não apostou em sua própria revelação. Após o final da temporada, o atacante, ainda com 18 anos, foi vendido para o Parma.

Antes de fazer sua estreia vestindo gialloblù, disputou o Europeu sub-19 de 2008, na República Tcheca, no qual os italianos alcançaram o vice-campeonato, após derrota por 3 a 1 para a Alemanha. No mesmo ano, enquanto fazia boas partidas pelo Parma na Serie B, seria convocado para a Seleção Sub-21, pelo técnico Pierluigi Casiraghi.

No fim da temporada 2008-09, com o Parma de volta à divisão máxima do futebol italiano e 12 gols marcados, Paloschi foi disputar o Europeu Sub-21, na Suécia. Mais uma vez os alemães foram os carrascos da seleção italiana, eliminando os azzurrini nas semifinais. Dessa vez, contudo, o atacante do Parma não teve muitas oportunidades, entrando em campo apenas uma vez.

O jovem voltou a chamar atenção esse início de temporada, quando marcou nas duas primeiras partidas do Parma na Serie A e, logo em seguida, fez o gol italiano na derrota para a seleção do País de Gales, sexta-feira retrasada, dia 4. Paloschi ostentava a média de um gol por partida até a última terça-feira, quando os azzurrini venceram a seleção de Luxemburgo, pelas Eliminatórias do Europeu Sub-21 de 2011.

O ano começou muito bem para o garoto, mas agora precisa mostrar maturidade e aguentar a pressão sobre seu nome para deixar de ser promessa e virar a realidade em que o time do Milan não apostou, lá atrás. Alcançar uma regularidade na Serie A e fazer uma boa campanha com o limitado time de Parma é a principal meta desse ano. Assim, talvez volte a um grande clube para alavancar sua carreira. Só não precisa ter pressa. Com seus poucos 19 anos, ainda tem muito tempo para estourar.

Alberto Paloschi
Nascimento: 4 de janeiro de 1990, em Chiari
Posição: atacante
Clube profissional: Parma (desde 2008)
Seleções de base: Itália Sub-17 (9 jogos); Itália Sub-19 (11 jogos); Itália Sub-20 (1 jogo); e Itália Sub-21 (7 jogos)

1 comentário

  • Esse time do Parma é bom, com várias opções de qualidade em todos os setores. Acho que passam longe do rebaixamento.

    Além do Paloschi, eles tem outros jovens como Mirante, Mariga, Biabiany, Galloppa, Dzemailli e Lanzafame, além de Bojinov – que nem parece novo, depois de tanto rodar. Ainda tem os experientes Panucci, Morrone, Amoruso e Zaccardo. Time bem forte pra uma equipe recém-subida da Serie B.

Deixe um comentário