Categorias de base

Fique de olho: Viudez



Viudez: por que ele?

Quando os uruguaios Mathías Cardacio e Tabaré Viudez foram anunciados como novos reforços do Milan para a temporada 2008/09, muito se perguntou. Não sendo duas estrelas do futebol sul-americano, os dois promissores atletas causaram estranheza por desembarcarem em Milão tão precocemente. As dúvidas eram – e são – as mesmas: por que eles, logo eles, foram levados a Milanello? O que se pode esperar de ambos? Quem, de fato, são os dois? Na (atrasada) política de renovação do clube rossonero, com certeza os dois jogadores não vieram por acaso. E este texto, dedicado ao mais jovem da dupla, tenta explicar alguns porquês.

O início

Também conhecido como Chaio, Tabaré começou a sua curta carreira em um dos clubes de sua cidade natal, o Defensor Sporting. Na equipe quatro vezes campeã da Primera División Uruguaya (Primeira Divisão Uruguaia), Viudez conseguiu, em menos de um ano, saltar para um dos maiores clubes do mundo, o Milan. Em seu time de formação, estreou já na Copa Libertadores, em março de 2007, na partida contra o Deportivo Pasto. Passados quatro meses, teve a chance de entrar em campo na liga nacional, contra o Rampla Juniors, após substituir Mauro Vila nos minutos finais. Vestindo a camisa dez da seleção sub-20, Viudez cobria as posições de meio-campista ofensivo e atacante. Chaio estreou na mesma com apenas 18 anos, em julho de 2007, no Mundial sub-20 do qual sua seleção caiu na fase seguinte, contra os Estados Unidos.

Baixo e rápido, com 164 centímetros, Viudez chamou a atenção nos meses seguintes, durante o Apertura. Num total de 10 partidas – cuja maioria foi partindo do banco de reservas – balançou as redes do Cerro em setembro de 2007, no que seria seu primeiro e único gol na competição. Já no Clausura, Chaio acabou por atuar em todos os jogos de sua equipe, marcando dois gols nas duas primeiras partidas. A partir daí, não seria mais possível vê-lo com quaisquer olhos, devido à sua ascensão marcante em tão pouco tempo. Ainda seria, em abril de 2008, campeão do Uruguai, após playoff contra o Peñarol. No total, marcou seis gols profissionais em um ano de carreira. Ano este que foi suficiente para atrair o poderoso Milan.

No final de julho de 2008, Viudez foi oficialmente negociado pelo clube comandado por Carlo Ancelotti. Junto dele, também foi levado Mathías Cardacio, cuja pretensão é a de transformar em um substituto de Andrea Pirlo no futuro. Segundo a ESPN italiana, o valor do duplo negócio foi de aproximadamente 4.5 milhões de euros. Ainda segundo o veículo, a negociação ocorreu por conta do procurador Daniel Fonseca, ex-atacante de Juventus, Roma e Napoli. Com meros 18 anos, Tabaré Viudez já atingia um ponto almejado pela esmagadora maioria dos jogadores de futebol. Após alguns dias e frases emocionadas e empolgadas, Chaio entrou em campo durante o amistoso dos rossoneri contra o Manchester City, na pré-temporada.

Em campo e o que esperar

Viudez, bem como inúmeros outros baixinhos no mundo do futebol, compensa a baixa estatura com habilidade. Partindo para cima dos adversários com explosão, Tabaré não tem muitas características de um jogador artilheiro, e sim de um ágil assistente. Na Itália, claro, só rapidez e habilidade não bastarão. Para se consagrar na Serie A – o que, se acontecer, não deverá ocorrer em curto prazo –, ainda será necessário haver uma forte adaptação física e mental com o jogador. Fatores estes que só poderão ser alcançados com oportunidades em campo.

Para o desenvolvimento do meia-atacante, talvez seu destino seja aquele de ser emprestado a alguma equipe menor e também disputar algumas partidas da Coppa Italia, para crescer sem pressa e, claro, pressão. Logicamente, Viudez não será titular do Milan agora, e, portanto, nem valeria a pena discutir questões relacionadas à tática atual adotada pelo clube. De qualquer jeito, este quesito não deve atrapalhá-lo em sua trajetória: podendo ser aproveitado em posições avançadas do meio-campo, Chaio também poderia atuar como esterno e, claro, atacante.

Ainda é cedo para afirmar que o uruguaio é o futuro craque de sua seleção ou de sua equipe, mas, se tiver pelo menos parte da rapidez de crescimento que teve no Defensor, não vai demorar muito para se ouvir bastante sobre Viudez. Enquanto isso não ocorre, basta seguir os passos do atleta que no início de 2007 não era conhecido por ninguém, enquanto na metade de 2008 já fazia parte de um dos maiores clubes da história.

Ficha técnica

Nome completo: Tabaré Uruguay Viudez Mora
Data de nascimento: 08/09/1989
Local de nascimento: Montevidéu, Uruguai
Clubes que defendeu: Defensor Sporting, Milan
Seleções de base que defendeu: Uruguai Sub-20

Originalmente para o Olheiros.



1 comentário

  • Viudez é uma aposta a longo prazo. Obviamente ainda não está a altura de Kaká, Pirlo ou Seedorf. Mas acredito mesmo que o uruguaio deva ser emprestado para algum clube e, quem sabe, poder jogar mais. Assim, terá a oportunidade de se adaptar melhor ao estilo de jogo do futebol italiano. Porque, neste momento, no Milan, as chances de ele jogar são mínimas.

Deixe um comentário