Categorias de base

Fique de olho: Jonathan Biabiany

Biabiany tem como ponto forte sua velocidade e é comparado a Thierry Henry (Getty Images)

No início deste ano, uma curiosa estatística foi divulgada na Europa. Em uma lista que reunia os jogadores mais rápidos do mundo, estavam gente como Cristiano Ronaldo, Arjen Robben, Wayne Rooney, Theo Walcott, Robin van Persie e… Jonathan Biabiany. Segundo estes dados, o francês – muito menos conhecido do grande público do que os outros citados – corre a quase 3o quilômetros por hora, o que significa que é o mais veloz de toda a Serie A, que não é um campeonato conhecido especialmente por abrigar equipes rápidas. Na própria Itália, apenas Antonio Di Natale e Ezequiel Lavezzi rivalizam com o jogador do Parma.

Desde muito cedo, a velocidade de Biabiany se fazia notar, já aliada com uma característica importante para futebolistas: a capacidade de correr durante muito tempo com a bola dominada. Isto foi notado por Pierluigi Casiraghi (homônimo do ex-atacante e atual técnico da seleção sub-21 da Itália), olheiro da Inter, numa competição de equipes do subúrbio de Paris. Na época, Biabiany era apenas mais um garoto que vinha de família originária dos territórios ultramarinos franceses, assim como tantos outros anônimos e ilustres – como Thierry Henry. Sonhava jogar no Arsenal ao lado de seu ídolo, mas atuava pelo time amador de Blanc-Mesnil, bairro localizado no norte da capital francesa. As qualidades do atacante rapidamente chamaram a atenção do funcionário da Inter, que indicou o jogador para fazer testes no clube. Aos 16 anos, o jogador de origem guadalupense passou nos testes em Appiano Gentile e assinou um contrato semiprofissional de três anos com o clube.

Primeiros passos antes da arrancada
Na época que foi contratado para fazer parte da equipe dos Allievi Nazionali, Biabiany preferia jogar como segundo atacante, função que raramente exerceu quando atuou nas categorias de base da Inter. Mesmo depois, na equipe Primavera, onde era titular ao lado de Mario Balotelli, Francesco Bolzoni e Leonardo Bonucci, ele atuava como esterno no 4-4-2 do técnico Vincenzo Esposito. Vestindo nerazzurro, o francês foi um dos principais jogadores da equipe campeã do Campionato Primavera da temporada 2006-07, ajudando a conquistar um título que não chegava há cinco anos. Pelos profisisonais, Biabiany só jogou uma vez, ao entrar no lugar de Luis Figo num jogo contra o Empoli, válido pela Coppa Italia.

Na temporada seguinte, Biabiany foi emprestado ao Chievo, que havia sido rebaixado para a Serie B. Porém, não entrou em campo durante um minuto sequer nos seis meses em que esteve no clube vêneto, por conta de uma pubalgia. Em janeiro, retornou a Inter, que desejava mantê-lo, mas por um pedido do jogador, acabou cedendo e o emprestou ao Modena, também da serie cadetta. Em seis meses jogando pelos canarini, Biabiany jogou em 15 partidas e marcou um gol. Ao fim do empréstimo, chegou a treinar com a Inter recém-assumida por José Mourinho, embora as atenções daquela pré-temporada interista tenham se voltado para outro jovem: Davide Santon, ainda mais bem visto pelo técnico português. Como, há dois anos, o espaço para jovens na Inter era mais limitado que hoje, Biabiany foi emprestado novamente ao Modena.

Decolando da Serie B para a Serie A
Em sua segunda passagem pela equipe emiliana, Biabiany teve ainda mais destaque e pode, enfim, jogar como segundo atacante. Mais próximo ao gol, embora atuasse também fora da área, o francês foi o principal destaque da equipe, que ficou próxima da zona de rebaixamento para a Lega Pro Prima Divisione. No entanto, Biabiany marcou oito gols e alcançou a incrível marca de dezoito assistências na Serie B, que foram fundamentais para que sua equipe concluísse o campeonato a apenas um ponto de vantagem sobre a zona dos play-outs. Um de seus gols, marcado contra o Ascoli, no qual deu um chapéu no zagueiro Bellusci e deu um sem pulo diferente, foi um dos mais bonitos do campeonato.

A grande temporada do atacante chamou a atenção de algumas equipes, em especial a Udinese, que desenvolve um sério trabalho de observação de jovens jogadores em todo o mundo. Porém, Biabiany acabou sendo emprestado pela Inter ao Parma do técnico Francesco Guidolin, que acabara de retornar a Serie A após um ano sabático. Os ducali, assim como os bianconeri, montariam uma equipe que valorizaria os jovens, embora mesclada com gente experiente, como Stefano Morrone, Cristian Zaccardo e Christian Panucci. A este experiente trio, se juntavam Davide Lanzafame, McDonald Mariga, Daniele Galloppa e, claro, Jonathan Biabiany. A mescla deu certo e o Parma foi, durante o primeiro turno, uma das sensações da Serie A, criando dificuldades para as grandes equipes – como a ótima vitória fora de casa contra a Fiorentina. Embora tenha caído de produção, o time chegou a estar na zona de classificação para as competições europeias e teve em Biabiany um de seus principais nomes. Seu papel na boa fase da equipe parmigiana levou o técnico Eric Mombaerts, da seleção sub-21 da França, a convocá-lo pela primeira vez, para partidas contra Malta e Bélgica. Vestindo a camisa espoir francesa, não demorou muito para começar a ser comparado com Henry e até mesmo ganhar a alcunha de “O Pequeno Henry”.

No Tardini, porém, o atacante tem jogado poucas vezes como segundo atacante: Guidolin prefere utilizá-lo caindo tanto pelo lado esquerdo quanto o direito de seu tridente ofensivo, aproveitando a velocidade do francês para os contra-ataques nas costas dos laterais adversários e também sua boa qualidade para passes e cruzamentos. Mesmo assim, Biabiany não deixa de marcar gols: são quatro na temporada, incluindo uma doppietta contra o Genoa – quando jogou isolado no ataque crociato. Ele tem sido tão importante para o Parma que foi envolvido na negociação que levou Mariga a Inter: para amortizar o preço da transferência do queniano, a Inter cedeu a co-propriedade do jogador, avaliada em três milhões de euros. Ao fim da temporada, a Inter poderá exercer o direito de recompra do jogador, que certamente se encaixaria muito bem no esquema tático da equipe de José Mourinho, e seria ao menos uma opção interessante para compor elenco.

Jonathan Ludovic Biabiany
Nascimento: 28 de abril de 1988, em Paris (França)
Clubes: Blanc-Mesnil, Inter, Chievo, Modena e Parma.
Seleções de base que defendeu: França sub-21.
Títulos: Campionato Primavera 2006-07

Deixe um comentário