Listas

Os 5 maiores brasileiros da história da Lazio

A Lazio sempre teve uma ligação mais forte com os jogadores argentinos do que com os brasileiros. No entanto, alguns jogadores nascidos no Brasil fizeram história no clube romano e foram os laziali os primeiros a darem real espaço aos brasileiros na Itália, na década de 1930.

Na verdade, a Lazio chegou a ter um time basicamente formado por brasileiros: a “Brasilazio” dos anos 1930. À época, a equipe chegou a contar com treze oriundi no elenco, mas os resultados dentro de campo não foram muito significativos. Além de Filó, conhecido na Itália como Guarisi, que era o grande craque daquele time, destacaram-se no período três membros da família Fantoni: João, Octávio e Leonízio, que vieram do Cruzeiro, ainda chamado de Palestra Itália, à época.

Entre os Fantoni, João, o Ninão, e Leonízio, o Niginho, foram os que mais tiveram destaque. Niginho, atacante, chegou a marcar quatro gols em um jogo sobre o Milan, antes de voltar ao Brasil com receio da guerra que se ensaiava, e se firmar como um dos maiores artilheiros da história do Cruzeiro. Octávio, o Nininho, teve fim trágico: após lesionar o nariz, sofreu uma infecção e morreu.

Após a “Brasilazio”, já no final da década de 1950, o atacante Humberto Tozzi fez história no clube mais antigo de Roma. O fluminense foi artilheiro da Coppa Italia de 1958, o primeiro grande título conquistado pela Lazio. Depois, apenas nos anos 1980, Batista e Amarildo (não “O Possesso”, que passou Milan, Fiorentina e Roma, mas um homônimo, que no Brasil teve destaque no Internacional) tiveram alguma relevância jogando pelo time da Cidade Eterna. César foi destaque ao fazer parte do time campeão da Coppa Italia em 2004 e chegou a usar a faixa de capitão, mas o último grande destaque brasileiro na Lazio foi Hernanes, que chegou ao clube em 2010.

No total, 27 brasileiros já vestiram a camisa da Lazio em partidas oficiais, contando com Ederson, Felipe Anderson e Vinícius, os três do plantel atual. Outros dois, Guilherme Siqueira e Djair (aquele!), chegaram a fazer parte do plantel principal, mas não fizeram partidas oficiais – totalizando 29 brasileiros que foram relacionados pelo clube em partidas oficiais. A lista abaixo foi elaborada pela equipe do Quattro Tratti e leva em consideração a importância do jogador para a história do clube, sua participação em títulos e suas qualidades individuais.

Observações: Para saber mais sobre os jogadores, os links levam a seus perfis no site. Os títulos e prêmios individuais citados são apenas aqueles conquistados pelos jogadores em seu período no clube. Confira também: Os 10 maiores jogadores da história da Lazio.

Brasileiros da história da Lazio (por ordem alfabética e, em seguida, no ranking):
Alessandro de Maria, Amarildo, Amílcar Barbuy, André Tedesco, André Dias, Armando Del Debbio, Arsenio Robespierri, Batista, Benedicto Zacconi, César, Cribari, Djair, Duílio Salatin, Ederson, Enzio Serafini, Felipe Anderson, Filó, Guilherme Siqueira, Hernanes, Humberto Tozzi, João Fantoni (Ninão), José Castelli (Rato), Leonízio Fantoni (Niginho), Matuzalém, Orlando Fantoni, Octávio Fantoni (Nininho), Pepe (Pedro Rizzetti), Sergio Clerici e Vinícius.

5º – Armando Del Debbio


Posição: zagueiro
Período em que atuou no clube: 1931-35
Títulos conquistados: nenhum
Prêmios individuais: nenhum

Com uma experiência no Libertas, clube da cidade toscana de Lucca, em 1924, Armando Del Debbio teria sido um dos primeiros jogadores brasileiros a atuar na Itália. Após vencer seis Campeonatos Paulistas com o Corinthians, foi contratado para fazer parte da “Brasilazio”.

Zagueiro forte na marcação e com bom porte físico, Del Debbio era um dos pilares da defesa da Lazio. Em quatro temporadas, colecionou quase 100 presenças com a camisa azul e chegou também a defender a seleção brasileira. Após encerrar a carreira, treinou os três grandes clubes paulistas.

4º – Batista

Posição: meio-campista
Período em que atuou no clube: 1983-85
Títulos conquistados: nenhum
Prêmios individuais: nenhum

Contratado pelo presidente Giorgio Chinaglia após disputar a Copa do Mundo de 1982, Batista trouxe o equilíbrio que faltava ao meio-campo da Lazio em um período conturbado. O volante chegou ao clube com status de líder após ser multicampeão com o Internacional e chegou a ser capitão, mas não conseguiu evitar a queda para a Serie B em 1985.

Em duas temporadas, Batista jogou 53 partidas oficiais com a Lazio e marcou dois gols. Foi cedido ao Avellino em 1985 por conta dos graves problemas que o clube capitolino enfrentava.

3º – Hernanes

Posição: meio-campista
Período em que atuou no clube: 2010-2014
Títulos conquistados: Coppa Italia (2012-13)
Prêmios individuais: nenhum

A Lazio venceu uma grande concorrência para contratar Hernanes junto ao São Paulo, em 2010. O investimento de 13 milhões de euros mostrou ter dado certo e, já em sua primeira temporada na Itália, o pernambucano conquistou a todos com suas grandes atuações e seus (muitos) gols. Ao todo, foram 41 tentos em três temporadas e meia, um número significativo para um jogador de sua posição, principalmente no futebol italiano.

Hernanes ajudou a devolver à Lazio o espírito competitivo que faltava ao clube, que voltou a brigar por vagas europeias. Hábil na marcação e na construção das jogadas, passou a jogar mais adiantado e a ser uma fortíssima arma ofensiva. Apesar de alguns momentos de baixa, o Profeta manteve quase sempre um nível alto e deixou sua marca na história do clube ao conquistar a Coppa Italia contra a Roma em 2013. Sua cessão à Inter no início de 2014 causou grande comoção entre a torcida laziale.

2º – Humberto Tozzi

Posição: atacante
Período em que atuou pelo clube: 1956-60
Títulos conquistados: Coppa Italia (1958)
Prêmios individuais: artilheiro da Coppa Italia (1958)

O bomber de São João do Meriti chegou à Lazio depois de se destacar no Palmeiras e fez o que se esperava dele: gols. Logo em sua primeira temporada, ajudou a levar a equipe à terceira posição na Serie A, embora não tenha feito tantos gols. Em 1958, cresceu de produção, fez dez gols nas nove partidas da Coppa Italia e contribuiu fortemente para o primeiro grande título da Lazio. No ano seguinte, marcou 14 gols na Serie A, seu recorde pessoal.

Em pouco mais de 100 jogos na Lazio, Tozzi balançou as redes vezes, tornando-se um dos atacantes mais temidos da Itália em sua época. Na temporada seguinte, passou a demonstrar sua insatisfação com a vida longe do Brasil, mas manteve a titularidade. Atrapalhado pelo “banzo”, foi apenas sombra do prolífico atacante, e em fevereiro de 1960 retornou ao Palmeiras, após renunciar a um contrato milionário na Lazio e a uma transferência para o Torino. Em 1995, a Lazio fez uma turnê no Brasil e realizou um amistoso contra o Guarani em homenagem ao centroavante.

1º – Filó


Posição: atacante
Período em que atuou pelo clube: 1931-36 e 1937-38
Títulos conquistados: nenhum
Prêmios individuais: nenhum

Em pouco tempo de Lazio, Anfilógino Guarisi, o Filó, assumiu a condição de ídolo do clube e ganhou a faixa de capitão. Veloz e preciso pela ponta-direita, o ex-corintiano adaptou-se rapidamente ao futebol italiano. Conhecido como Guarisi na Velha Bota, o oriundo era notadamente o mais talentoso da “Brasilazio”. Chegou a defender a seleção italiana e foi campeão mundial em 1934, tornando-se o primeiro jogador nascido no Brasil a erguer a taça Jules Rimet. Também foi o primeiro jogador da Lazio a ter a honraria.

Sua baixa estatura lhe permitia se livrar dos adversários com facilidade e marcar gols — foram 42 em 134 partidas. Figura carismática, Filó conquistou a torcida da Lazio pela sua humildade. Em 1934, quando o ex-romanista Attilio Ferraris chegou ao clube, o brasileiro cedeu a faixa de capitão ao novato. Deixou o clube em 1938 para retornar ao Brasil, mas seu nome tem lugar especial na história da Lazio.

Deixe um comentário